My script

Siga-nos no Facebook

Nosso Instagram

Instagram

quarta-feira, 17 de setembro de 2014

A ascensão do anti-Cristo

As características e os objetivos do Anticristo à luz da Bíblia

INTRODUÇÃO
Sua influência é detectada em todas as camadas sociais. Da política aos negócios domésticos, imiscui-se em tudo e intromete-se em todas as coisas. Promove a iniquidade. Espalha a injustiça. Semeia a apostasia. Assim, de iniquidade em iniquidade, vai sedimentando o caminho da antiga serpente. Tão logo a Igreja seja arrebata, haverá de manifestar-se ao mundo. E, sob a eficácia de Satanás, governará absoluta, mas temporariamente, todos os povos e nações.

Talvez ele já esteja entre nós.

Cabe-nos, todavia, barrar-lhe o avanço. Não somos o sal da terra? Não temos as propriedades da luz? Então, estejamos preparados para enfrentar o cruel e impiedoso adversário. Mas, para que sejamos eficazes nessa batalha, é necessário conhecermos o preposto-maior do deus deste século. 
I. O ANTICRISTO, O REPRESENTANTE OFICIAL DO DIABO
O Anticristo não é uma figura mitológica. É um personagem bem real prestes a manifestar-se. Observemos como a Bíblia o descreve. Primeiro, buscaremos uma definição etimológica; depois, a teológica.

1. Definição etimológica. Procedente do grego, a palavra Anticristo significa aquele que é contra Cristo ou se põe em lugar de Cristo.

2. Definição teológica. O Anticristo é a mais completa personificação de Satanás e o seu mais autorizado representante. É o ditador que assumirá o comando do mundo após o arrebatamento da Igreja. 
II. OBJETIVOS DO ANTICRISTO
Os dois principais objetivos do Anticristo será:

1. Levantar-se contra o Cristo de Deus. Já que o mundo, recusando-se a crer em Cristo como o salvador e redentor da raça humana, predispôs-se a dar crédito ao maligno, este não terá dificuldades em arrastar milhões de almas ao engano e à mentira. Seu principal objetivo é opor-se formal e sistematicamente contra o Senhor Jesus Cristo.

2. Colocar-se em lugar de Cristo. Por-se-á ele “em lugar de Cristo, como se fora o messias que havia de libertar Israel e salvar a humanidade (Jo 5.43; 2 Ts 2.4). Aliás, é exatamente o que significa o prefixo grego anti: contra e em lugar de” (Dicionário de Profecia Bíblica – Edições CPAD).

Portanto, o Anticristo fingirá ser o salvador dos gentios e o messias dos judeus. Ele será tão convincente que logrará enganar ambos os povos. 
III. AS CARACTERÍSTICAS DO ANTICRISTO
Conforme João no-lo descreve, estas são as características do Anticristo:

1. Surgirá de entre as nações. À semelhança dos ditadores e demagogos, o Anticristo surgirá dentre as multidões, utilizando magistralmente as ferramentas do populismo: mentira, engano, corrupção, violência.

Ele não terá muito trabalho em seu intento, porque os incrédulos, distanciados da verdade, serão presas fáceis ao pai da mentira: “É por este motivo, pois, que Deus lhes manda a operação do erro, para darem crédito à mentira, a fim de serem julgados todos quantos não deram crédito à verdade; antes, pelo contrário, deleitaram-se com a injustiça” (2Ts 2.12.13).
2. Terá uma estrutura de sustentação governamental e política. De acordo com a narrativa de João, esta será a plataforma de governo do Anticristo: “Vi emergir do mar uma besta que tinha dez chifres e sete cabeças e, sobre os chifres, dez diademas e, sobre as cabeças, nomes de blasfêmia” (Ap 13.1).

De que forma podemos interpretar esses símbolos? O dez chifres referem-se a igual número de reis, ou mandatários, que estarão no comando das antigas províncias do Império Romano. Não importa se a União Européia, hoje, seja formada por mais de dez países. Em sua conformação original, Portugal e Espanha, por exemplo, constituíam uma única província.

Sobre os dez reis estará um conselho de sete superexecutivos que, arrogante e blasfemamente, ditarão as normas do Neo Império Romano (Dn cap. 2). Será um sistema de controle governamental e administrativo tão perfeito, que estará apto a resistir qualquer tentativa de rebelião.

No governo do Anticristo, todos serão vigiados por todos. O Estado será irresistível.

3. A índole do governo do Anticristo. Se o Império Romano já era considerado um terrível e espantoso animal em sua primeira fase (Dn 7.7), na segunda haverá de ser indescritível em seu poder e maldade. Levantar-se-á como uma síntese das maldades da Babilônia, Pérsia e Grécia. Eis como João o descreve: “A besta que vi era semelhante a leopardo, com pés como de urso e boca como de leão. E deu-lhe o dragão o seu poder, o seu trono e grande autoridade” (Ap 13.2).

De acordo com esse texto, sempre em ressonância com o profeta Daniel, tracemos um perfil do império do Anticristo: à semelhança do leopardo (a Grécia), conquistará o mundo, a partir da Europa, em tempo recorde; imitando o urso (a Pérsia), esmagará os opositores e quantos não lhe aceitarem o mando; e, tal como o leão (a Babilônia), abrirá a boca a fim de, orgulhosamente, zombar e blasfemar de Deus.

O império do Anticristo será a soma de todos os sistemas malignos que já governaram este mundo. 
IV. A ADORAÇÃO DO DEMÔNIO
João também viu que um dos primeiros executivos do Anticristo foi mortalmente ferido. Sua chaga, porém, foi logo curada, levando a humanidade ao delírio (Ap 13.3). Pelo texto sagrado, depreendemos que tanto o ferimento como a cura não passarão de uma bem urdida farsa, cujo objetivo é:

1. Fomentar a adoração de Satanás. Isso significa que todos os que aceitarem o governo do Anticristo predispor-se-ão a adorar o Diabo como se este fosse mais poderoso que Deus (Ap 13.4). Se hoje não são poucos os que adoram o dragão, o que dizer naquele período que, embora curto, será marcado pelo signo do mal? O Diabo não será mais cultuado nos ídolos de barro, pedra e metais; será adorado como o dragão – o próprio Satanás.

2. Incentivar a adoração da besta. Ao mesmo tempo, o pseudo milagre acima descrito levará os habitantes da terra a adorar a besta: “Adoraram a besta, dizendo: Quem é semelhante à besta? Quem pode pelejar contra ela?” (Ap 13.4).

Se ditadores como Hitler e Stalin eram divinamente incensados, a besta será louvada como se fora uma divindade única. Será um culto tão singular, que as honras prestadas aos imperadores romanos parecerá um simples jogral.

3. O discurso da arrogância. Solidificado já no governo do mundo, a besta revelará a sua verdadeira índole. Em discursos bem trabalhados, ofenderá e blasfemará o nome de Deus e escarnecerá dos que habitam no céu: Jesus Cristo, os santos anjos e a Igreja que, nesse período, estará nas bodas do Cordeiro (Ap 13.5).

Os pronunciamentos de Hitler parecerão resmungos de crianças diante das falas do homem do pecado e do filho da perdição (2Ts 2.3).

4. O tempo de seu governo. O Anticristo reinará por um período de quarenta e dois meses, ou três anos e meio, ou ainda mil duzentos e sessenta dias (Ap 13.5). Nesse período, todos, inclusive Israel, hão de pensar que ele é, de fato, o messias prometido.

Findo esse tempo, conforme lemos em Daniel 9.27, ele romperá o acordo que firmara com Israel, e passará a persegui-lo. É exatamente aí que terá início a Grande Tribulação: “Quando andarem dizendo: Paz e segurança, eis que lhes sobrevirá repentina destruição, como vêm as dores de parto à que está para dar à luz; e de nenhum modo escaparão” (1Ts 5.3).

Tardiamente, a humanidade apóstata e caída da graça de Deus perceberá o quanto foi enganada pelo filho da perdição. Mas será tarde demais, porque o Senhor despejará sobre a besta e seus adoradores todos os cálices de sua ira. 
V. A GUERRA CONTRA OS SANTOS
1. A guerra contra os santos. A besta, inspirada pelo dragão, além de blasfemar de Deus, voltar-se-á contra os que, embora não hajam tomado parte no arrebatamento da Igreja, não lhe aceitarão a plataforma de governo nem o sinal do seu domínio (Ap 13.7,8).

Não será uma mera perseguição religiosa; será uma guerra sistemática e cruel, visando eliminá-los da face da terra.

2. O domínio universal do Anticristo. A perseguição cruel e singular contra os cristãos levará o mundo todo a submeter-se ao mando da besta. A essas alturas, os filhos dos homens estarão completamente embriagados pela eloqüência, falsidade e engano da besta que subiu do mar.

CONCLUSÃO
Os santos, no período do Anticristo, conhecido também como a 70ª Semana de Daniel, sofrerão dois tipos de insuportáveis provações: o cativeiro e a morte à espada (Ap 13.10). Apesar de todo esse terrível sofrimento, eles hão de perseverar até o fim, porque o Senhor, através do Espírito Santo, os estará amparando e consolando-os até que venham a ser recebidos pelo Cordeiro de Deus.

Estamos nós perseverando em santidade e vigilância? João, ao descrever a paciência e bravura espiritual dos mártires da Grande Tribulação, é claro: “Aqui está a perseverança e a fidelidade dos santos”. Não fomos também santificados pelo Senhor? Então perseveremos até a volta do Senhor Jesus.
Autor: Pr Claudionor de Andrade, copilado e publicado aqui por
Elimar Gomes-Alves

Seja um seguir de nosso blog e um divulgador também! 
Estamos no twitter (@PrElimarGomes) e no FaceBook (www.facebook.com/prelimargomes).

quinta-feira, 4 de setembro de 2014

4 Passos para Deus....


1. Deus Ama Você!

A Bíblia diz, "Porque Deus amou o mundo tanto, que deu o seu Único Filho, para que todo aquele que nele crer não morra, mas tenha a vida eterna". O problema é que.

2. Todos nós fazemos, dizemos ou pensamos coisas que são erradas. Isto é chamado de pecado, e nossos pecados nos separam de Deus.
A Bíblia diz "Pois todos pecaram e estão separados da glória de Deus..." (Romanos 3:23) Deus é perfeito e santo, e nossos pecados nos separam de Deus para sempre. A Bíblia diz "Pois o salário do pecado é a morte..." (Romanos 6:23) A boa noticia é que a mais de 2000 atrás,

3. Deus enviou Seu único Filho Jesus Cristo para morrer por nossos pecados.
Jesus e o Filho de Deus. Ele viveu uma vida sem pecados e morreu na cruz para pagar o preço por nossos pecados. "Mas Deus demonstra seu amor por nós pelo fato de ter Cristo morrido em nosso favor, quando ainda éramos pecadores." (Romanos 5:8) Jesus ressuscitou da morte e agora Ele vive no céu com Deus Seu Pai.

Ele nos oferece o presente da vida eterna -- de viver eternamente com Ele no céu se aceitarmos Ele como nosso Senhor e Salvador. Jesus disse "Eu sou o caminho, a verdade e a vida. Ninguém vem ao Pai, a não ser por mim." (João 14:6) Deus te ama e deseja que você seja Seu filho "Contudo, aos que o receberam, aos que creram em seu nome, deu-lhes o direito de se tornarem filhos de Deus." (João 1:12) Você pode escolher e pedir para que Jesus Cristo perdoe seus pecados e entre na sua vida como seu Senhor e Salvador.

4. Se você deseja aceitar Cristo, você pode pedir para Ele ser seu Salvador e Senhor confessando pela fé com esta oração:
"Senhor Jesus, Eu creio que Tu és o Filho de Deus e o Salvador do mundo. Obrigado por vir a Terra e morrer para que eu pudesse ter a vida eterna. Por favor perdoe todos meus pecados. Agora eu quero Te seguir e Te servir com minha vida. Por favor envie o seu Santo Espírito e dirija meus passos. Em nome de Jesus , Amem."


Você fez esta oração?

Seja um de nossos seguidores no Twitter? @PrElimarGomes e ou em nossas FanPages no Facebook.

Deus te abenço

Agendando Pra Erica Gomes em sua igreja

segunda-feira, 18 de agosto de 2014

Num Abrir e Fechar de Olhos


“Num momento, NUM ABRIR E FECHAR DE OLHOS, ante a última trombeta; porque a trombeta soará, e os mortos ressuscitarão incorruptíveis, e nós seremos transformados.” (I Co. 15:52).

Nossas pálpebras piscam mais rápido que a nossa própria imaginação: “O fim do mundo”. Nossos olhos são impressionantes! São a Luz de nosso corpo! O Farol de nossa alma. Os olhos precisam ser sempre saudáveis. Eles nos dão cores, vida e luz no dia e noite. Por isso piscamos. Fechamos e abrimos os olhos para lubrificá-los, limpá-los. É um momento muito rápido, abrir e fechar de olhos.

Há uma revista científica que curto muito: Super Interessante, Editora Abril, em seu artigo 19, a revista afirma que um adulto normal fecha os olhos 24 vezes por minuto. Para umidificá-los e lima-los.

As Pálpebras funcionam como se fossem limpadores de pára-brisa. Uma piscada dura apenas alguns décimos de segundo, e esse tempo bem como a freqüência das piscadas variam de acordo com o estado geral e com o humor de cada pessoa. Com muito cansaço, por exemplo, pisca-se cerca de quarenta vezes por minuto.

Estudos recentes indicam, por análise de eletroencefalogramas, que o cérebro “desliga” o olho cerca de 50 milésimos de segundo antes de cada piscada. Isso seria uma forma de economizar o olho, pois este, durante a piscada, não seria mesmo capaz de passar nenhuma informação visual ao cérebro. Somando-se o tempo de “desligamento” do olho relativo a uma freqüência de 24 piscadas por minuto, chega-se ao total de 1,2 segundo de cegueira por minutos, o que corresponde, numa vida de 70 anos, a aproximadamente 21 dias sem enxergar.

A Bíblia diz que todo o olho verá Jesus vindo sobre as nuvens para reinar. (Ap. 1:7).

Num abrir e fechar de olhos. Gosto de levar essa pregação comigo. Lembro-me de uma vez em que pregava numa cidade do interior de Goiás, no Brasil, numa praça de Luziânia. Era uma noite de sábado, um pouco fria, porém iluminada e alegre. Havia muitos jovens ao redor daquela praça. Muitas pessoas sentaram para ouvir e outras continuavam passeando, comendo, comprando e passeando pela feira daquela praça. Deus me levou a falar da volta de Jesus na terra. Foi quando comecei a rascunhar sobre o piscar de olhos. E foi sobre isso que preguei.

Às vezes costumamos relacionar o fim do mundo com a volta de Jesus. Contudo, antes desse episódio chamado FIM, a humanidade experimentará e verá com seus olhos outros eventos acontecendo no céu, para aqueles que subirem no *arrebatamento e na terra, infelizmente para aqueles outros que ficarem. Vamos aprofundar o roteiro desse ensino num futuro artigo porque hoje vamos prender nossa atenção na velocidade de uma piscada, o momento em Jesus retornará em nuvens com júbilo e grande clamor de trombetas. Ele nos chamará pelo nome, nós o veremos e o ouviremos. Nossos olhos o verão e nós, o que estivermos vivos, seremos transformados e subiremos com Ele.

Ao terminar a pregação, o que me chamou a atenção mesmo foi que algumas pessoas que ouviam de longe o ensino, me procuraram e disseram que estavam com medo, um dia o mundo iria “acabar”. Eram jovens cristãos desviados do evangelho verdadeiro, não estavam com a certeza do arrebatamento para o céu Naquele Dia… Minha resposta foi imediata: Jesus não veio para destruir o mundo, veio para salvar o que se havia perdido.

Tomem logo a atitude do reencontro com Ele. Oramos ali mesmo num momento muito festivo de reconciliação. Glória a Deus!

Leia o ensinamento de Jesus a este respeito no livro de Mateus 24, o capitulo todo nos dá uma explanação completa sobre este episódio tão esperado pelos crentes verdadeiros.
Pois é…como podemos ver, a Vinda do Filho do Homem será a qualquer hora, a qualquer momento… Numa simples “piscada’ de tempo. Num abrir e fechar de olhos!

Vamos vigiar, né?

Até mais futuros moradores do céu!!



sexta-feira, 15 de agosto de 2014

Em 2 Samuel 12: 8 poderia muito bem sugerir que Deus aprova a prática da poligamia?

Minha esposa me interpelou hoje pela manha acerca do texto de 2 Sm 12:8 e por isso resolvi escrever o que penso a respeito do texto.

 Para oferecer uma perspectiva adicional para esta questão muito importante, digo "significativo" que se pode legitimamente questionar a um Deus que aprova a prática da poligamia e declara-lo como mais um falso deus nesta celeuma de deuses apresentados ao homem nos tempos atuais. Mas o verdadeiro Deus não aprova, embora vemos Ele tolerando tal prática. 

No texto em epígrafe, o Senhor, falando através do profeta Natã, disse ao rei Davi: ’’Eu te dei a casa de teu senhor e as mulheres de teu senhor em seus braços, e eu te dei a casa de Israel e Judá; e se isso fosse pouco, eu teria acrescentado-lhe muito mais coisas como essas’’.

Pelo valor de face, esta passagem bíblica parece sugerir que Deus deu a Davi várias esposas, e ainda estava pronto para adicionar ao seu harém com sanção divina quantas mais ele quisesse. Claro, isso é precisamente o problema com a expressão da Escritura que nos põe em um labirinto de maneira literal, porque, na verdade, se as palavras de Natã são qualquer coisa, elas são no minimo irônicas. Davi tinha ‘’apenas’’ assassinado um homem, a fim de ter outra mulher anexado ao seu harém. Apesar da generosidade do próprio Deus, que é o soberano da terra, o rei havia roubado a esposa de um servo seu, servo este tido como um ‘’valente de Davi’’  e que, para satisfazer seu desejo carnal, o assassinara. Assim, em uma linguagem que pingava com ironia, o profeta Natã pronuncia julgamento contra o rei de Israel. Como tal, 2 Samuel 12 dificilmente constitui aprovação divina para a prática da poligamia.

E este não é um caso singular. Tal como acontece com Davi, Salomão, seu filho, fez extravagâncias na multiplicação não só de cavalos e outros animais, mas multiplicando para si esposas, e isso foi um fator significativo para o desenrolar de seu reino. Quem pode esquecer a advertência explícita de Moisés, em Deuteronômio 17:17: Não multiplicar esposas ou seu coração será desviado! Se isto se aplica aos grandes reis de Israel, quanto mais os assuntos do reino. Além disso, o casamento monogâmico é claramente ensinado em Gênesis (2:22-24), e depois reiterado pelo próprio Cristo atraves do Apostolo Paulo em 1 Tm 3:2 e varios outros textos neotestamentários. De fato, Jesus passou a dizer que, "qualquer que repudiar sua mulher, não sendo por causa de infidelidade, e casar com outra, comete adultério" (Mateus 19: 9), mas a despeito dessa suposta razão para o divorcio, logo em seguida o próprio Jesus afirma que no principio não era assim, sugerindo que na realidade mesmo havendo impureza carnal, o melhor é relevar, perdoando, uma vez que Jesus diz ...perdoai e sereis perdoados Lc.6:37. Não só isso, mas o casamento é uma analogia para a relação que Deus tem com o seu povo, com a Igreja, o Seu único noivo Jesus Cristo.

Além disso, a leitura da Bíblia para que todo seu valor seja alcansado envolve reconhecimento de que as narrativas da Bíblia são muitas das vezes descritivo ao invés de prescritivo. O fato de que a Escritura revela os patriarcas com todas as suas verrugas, cicatrizes, pintas e rugas é para nos avisar de suas falhas, não é para nos ensinar a imitar suas práticas. Longe de pintar o comportamento poligâmico de Davi como correto, a Bíblia revela que, como resultado de seu pecado, a espada jamais saiu de sua casa.

Finalmente, deixe-me dizer isto; Como Moisés permitiu o divórcio por causa da dureza do coração dos homens, sendo tolerado por Deus, assim também o próprio Deus tolerou a poligamia por causa da teimosia insolente da humanidade. De fato, Deus faz com que até mesmo a ira do homem seja capaz de agradá-Lo. Assim, em Seus propósitos soberanos, ele poderia muito bem ter tolerado a prática da poligamia com o propósito de proporcionar estabilidade econômica e de segurança para as mulheres presas dentro dos limites de uma sociedade patriarcal, ressaltando o fato de que devido as muitas batalhas daquela epoca, muitas mulheres ficavam viuvas muito cedo. No entanto, como a história da redenção revela, Deus não simplesmente deixa o Seu povo, onde eles estão, mas  Ele se move para santificá-los. No esplendor das Escrituras, as mulheres são elevadas a partir dos limites de uma sociedade patriarcal ao status de igualdade ontológica completa com os homens. Como tal, o apóstolo Paulo de forma definitiva, diz assim: como não há escravos nem livres, assim também não há homem ou mulher, mas todos são um em Cristo (Gl 3:26-28). De fato, pode-se bem dizer que as palavras de Paulo em Efésios 5 têm enobrecido e conferido poder às mulheres onde elas são consideradas co-trabalhadores em Cristo com os mesmos homens que são instruídos a abandonar os seus direitos para com elas instruindo os mesmos a amá-las.

Não podemos nos esquecer a grande diferença que há entre a forma como Deus se manifesta no Velho Testamento e a forma como Ele se manifesta no Novo.

No Velho o homem era condenado se pego na prática do pecado, um exemplo claro é a questão do adultério, pois só se apedrejaria um homem e uma mulher caso eles fossem pegos durante a pratica da conjução carnal entre ambos, boatos, denuncias não evidenciavam a pratica do adultério, enquanto no Novo, Jesus disse em Mt 5:28 que só o fato de olhar e pensar já se cometeu o adultério. Provando que quem de fato julga o homem não é outro homem e sim o próprio Deus Onisciente que vê todas as coisas no céu, na terra e no inferno.

Ao explicarmos essa diferenca entre a forma de Deus trabalhar em ambos os testamentos não sugere que Deus muda em sua concepção, e sim evidencia o tamanho da sua misericordia para com a humanidade. Num temos a lei ditando os procedimentos do homem e noutro a Graça evidenciando nosso relacionamento direto com o Deus. O véu do templo foi rasgado! Aleluias, agora temos acesso ao Santissimo lugar.

Na lei para ser pecado necessitava de se provar a transgressão de algo definido como certo e na graça a própria conciencia é que nos julga primeiro, lembra do texto, ...se julgarmos a nós mesmos não seremos julgados de  1Co 11: 28-31?

Abrace os ensinamentos revelados ao homem atraves da Biblia e viva feliz consigo mesmo e com o Criador!

No amor de Cristo.

Rev. ELIMAR GOMES ALVES
Siga-nos no Twitter - @prelimargomes
No FaceBook - www.facebook.com/prelimargomes
E querendo, mande-nos sua pergunta para egalves7@gmail.com 



quarta-feira, 30 de julho de 2014

Por que as mulheres não são como os homens?

Talvez uma melhor pergunta seria: "Você realmente quer que sua esposa tenha mais características de homens?" Não eram as qualidades femininas dela que atraíram você no início? A maioria de nós, na verdade, não escolheríamos esposas com características masculinas. É somente em momentos de frustração que achamos que a mulher deve ser mais igual ao homem. A mesma observação é válida em relação às reclamações das mulheres sobre os homens. Num momento de desacordo, uma mulher pode achar que seria bom se seu marido pensasse e reagisse mais como ela, mas nos momentos mais tranqüilos ela lembra que admira as diferenças nele.      

Reconhecendo as diferenças básicas entre os sexos é importante. Porém, as diferenças não devem ser usadas -- nem por homens nem por mulheres -- como desculpas por falhas no comportamento. Tanto homens como mulheres podem melhorar, e nós todos faríamos bem imitando as qualidades do outro (3 João 11).

Nós, maridos, precisamos entender que nossas mulheres têm necessidades diferentes que nossas próprias. Nem todas as mulheres têm as mesmas necessidades, mas há algumas coisas básicas que devemos saber. Reconhecendo tais necessidades é meramente a metade da batalha. O homem deve estar disposto a suprir as necessidades de sua esposa. É nosso dever como maridos. Um grande benefício de cumprir esta responsabilidade é que nossas esposas vão responder com a mesma preocupação em suprir as nossas necessidades.

É claro, nem todos os homens e mulheres colocariam suas necessidades na mesma ordem de importância, mas uma pesquisa recente de homens cristãos e suas esposas deu os seguintes resultados:
Enquanto maridos e suas mulheres têm algumas necessidades em comum, há também algumas necessidades bem diferentes. A ilustração mais clara desta diferença é a necessidade de satisfação sexual. Enquanto muitos homens não a colocaram em primeiro lugar nas suas listas, esta necessidade apareceu em mais respostas do que qualquer outro item. Embora alguns homens não o admitem, é provável que as próximas necessidades (itens 2 e 3) seja extensões do desejo sexual. Esta ênfase forte é, as vezes, difícil para as mulheres entenderem. Os homens podem sentir desapontados em ver que a satisfação sexual nem foi incluída nos primeiros cinco itens nas listas das mulheres, mas podem ser consolados em saber que apareceu em sexto lugar!       

Mas, não vamos falar mais sobre nossas necessidades! Demos atenção às coisas que as mulheres descreveram como suas principais necessidades:
  • Liderança espiritual. Esta foi, claramente, a primeira necessidade mencionada. 91% das mulheres a colocaram na sua lista, e 55% a indicaram como a primeira prioridade. A liderança espiritual envolve não somente o bom exemplo do homem diante sua mulher e filhos, mas também seu envolvimento direto no desenvolvimento de maturidade espiritual no lar. Muitas vezes, os homens negligenciam este dever, colocando uma obrigação maior nas mulheres. Ela precisa que você tome a liderança na preparação da sua família para a eternidade, usando sua autoridade para incentivar comportamento piedoso, modéstia e envolvimento em louvor a Deus e estudo da Bíblia.
  • Compromisso com a Família. Esta e as próximas duas necessidades apareceram nas listas de 73% das esposas que participaram da pesquisa, mas compromisso com a família foi colocado como prioridade um pouco mais importante nas listas. Quando uma mulher se torna mãe, uma boa parte da vida dela é dedicada à unidade familiar. Ela precisa que você seja dedicado ao trabalho de fortificar seu lar contra tudo que ameaça a família.
  • Conversa/Comunicação. Não é surpreendente que a necessidade de conversa apareceu na lista de 73% das mulheres que responderam. O que surpreende é que este item apareceu entre as cinco prioridades dos homens! Geralmente, mulheres comunicam duas vezes mais que os homens. A mulher sente machucada quando seu marido não fala com ela como amiga. Enquanto pode não ser o propósito do marido desvalorizar sua mulher, ela freqüentemente interpreta a falta de conversa assim. Ela é sua parceira, e merece participação nos seus pensamentos e planos.
  • Carinho/Amor. Em nossa pesquisa, carinho/amor foi mencionado em 73% das listas das necessidades das esposas. Em pesquisas maiores, não limitadas às mulheres de cristãos, esta normalmente é a principal necessidade citada. Enquanto aparece também na lista dos maridos, as expectativas da mulher em termos de carinho geralmente são diferentes. Homens precisam ser mais criativos para inventar novas maneiras de mostrar carinho verdadeiro para suas esposas.
  • Segurança Financeira. Esta necessidade, incluída por 55% das mulheres que responderam, não deve ser interpretada como a necessidade de riquezas, mas antes, como o desejo que o marido seja responsável em sustentar a família. Há dois extremos que devem ser evitados. O homem que abandona sua responsabilidade de sustentar a família tem, obviamente, falhado em suprir uma verdadeira responsabilidade. Do outro lado, alguns usam a obrigação de sustentar a família como justificativa pelo materialismo.
A melhor maneira de encontrar felicidade nesta vida é suprindo as necessidades da esposa que você ama tanto. As necessidades dela não devem ser colocados em segundo plano a nada, exceto as coisas que Deus pede de nós. E, pelo fato que as mulheres sugeriram que sua principal necessidade é a liderança espiritual, elas não vão reclamar em tomar segundo lugar, depois de Deus.



Estude e Aplique:
1 Pedro 3:7. Como maridos, somos instruídos a ser compreensíveis no convívio com nossas esposas. Às vezes, diferenças físicas e emocionais fazem deste mandamento um desafio.
Tiago 4:1-3. Quando o marido não trata bem a sua mulher, suas orações são impedidas porque: Ele, provavelmente, vai orar menos; É menos provável que Deus responda.




Sugestões Práticas:

Tome a frente em fazendo e aplicando princípios espirituais na sua família (exemplos: vestimenta modesta, limites em atividades de lazer, prioridades de louvor, etc.)

Reserve tempo para atividades que envolvem a família toda.

Converse com sua esposa como sua melhor amiga. Peça as opiniões dela, e aceite os seus conselhos.

Procure novas maneiras de mostrar seu amor para ela (exemplos: ajudando em casa; cuidando dos filhos para deixar ela livre para fazer alguma coisa especial, dê pequenos presentes surpresos).


Material copilado e adaptado por: Rev Elimar G. Alves

Siga-nos no www.facebook.com/prelimargomes
Siga-nos também no Twitter @prelimargomes

segunda-feira, 21 de julho de 2014

Cante conosco


Sempre Vou Lembrar

Sempre vou lembrar, da coragem,
Do amor, da firmeza e Bondade, a fé e devoção
Da igreja do tempo de Paulo, de Pedro e João
Que enfrentavam a fúria de Roma
Mas nunca negavam sua fé de cristão
É um exemplo pra mim, verdadeira lição

Eu queria ver a bravura dos santos
Em plena arena, enfrentando os leões
Quando mais a fogueira queimava
Se ouvia o louvor dos nossos irmãos
Sobre o sangue tombavam nas ruas
Chegavam no céu com a vitória nas mãos
É um exemplo pra mim, verdadeira lição

Coro

Oh meu Deus!
Reaviva tua igreja de novo
Faz Tua chama arder neste povo
Como eram os primeiros cristãos
Oh meu Deus!
Reaviva Tua Igreja de novo
Faz Tua chama arder neste povo
Começando em meu coração

Eu queria ver a bravura dos santos
Em plena arena, enfrentando os leões
Quando mais a fogueira queimava
Se ouvia o louvor dos nossos irmãos
Sobre o sangue tombavam nas ruas
Chegavam no céu com a vitória nas mãos
É um exemplo pra mim, verdadeira lição

Coro

Oh meu Deus!
Reaviva tua igreja de novo
Faz Tua chama arder neste povo
Como eram os primeiros cristãos
Oh meu Deus!
Reaviva Tua Igreja de novo
Faz Tua chama arder neste povo
Começando em meu coração!

sábado, 5 de julho de 2014

Contatos Pra Erica Gomes


Siga no twitter: @Miss_EricaGomes
No FaceBook: www.facebook.com/ericagomes
Fan Page: www.facebook.com/prelimargomes

terça-feira, 24 de junho de 2014

Outra pergunta acerca do FIM.

A que época o Senhor se refere em Mateus 24?
A maior revelaçào profética dos Ultimos Dias


A resposta à pergunta anterior nos conduz automaticamente ao tempo em que esses fatos acontecerão. Trata-se da época em que Deus começará a agir novamente com Seu povo Israel de maneira coletiva, levando o povo da Aliança ao seu destino final (v. 3), que é a vinda do seu Messias e o estabelecimento de Seu reino. O centro de todas as profecias de Mateus 24 e 25 é ocupado pelos sete anos que são os últimos da 70ª semana de Daniel (Dn 9.24-27). Devemos estar cientes de que esse período é a consumação do século, o encerramento de uma era, e não apenas o transcorrer de um tempo. O sinal do fim dos tempos é a última semana, a 70ª semana de Daniel.

Coisas espantosas e grandes sinais no céu anunciam a chegada do grande dia da ira do Senhor.

Todos os sinais que o Senhor Jesus predisse em Mateus 24, que conduzirão à Sua vinda visível (v. 30), têm seus paralelos no Apocalipse, nos capítulos de 6 a 19. Mas nessa ocasião a Igreja de Jesus já terá sido arrebatada, guardada da "hora da provação" (Ap 3.10).

Os últimos sete anos – divididos em três etapas (Mt 24.4-28)

1. Os versículos 4-8 descrevem, segundo meu entendimento, a primeira metade da 70ª semana de Daniel. O versículo 8 diz claramente:"porém tudo isto é o princípio das dores".As dores não dizem respeito a uma época qualquer, elas definem especificamente o tempo da Tribulação, comparado na Bíblia "às dores de parto de uma mulher grávida" (1 Ts 5.3; veja também Jr 30.5-7). O princípio das dores são os primeiros três anos e meio da 70ª semana. Assim como existem etapas iniciais e finais nas dores que antecedem um parto, também esses últimos 7 anos dividem-se em duas etapas de três anos e meio. Há um paralelismo e uma concordância quase literal entre Mateus 24.4-8 e Apocalipse 6, onde o Senhor abre os selos de juízo: 
- Falsos cristos (Mt 24.5) – primeiro selo: um falso cristo (Ap 6.1-2). 
- Guerras (Mt 24.6-7) – segundo selo: a paz será tirada da terra (Ap 6.3-4).
- Fomes (Mt 24.7) – terceiro selo: um cavaleiro montado em um cavalo preto com uma balança em suas mãos (Ap 6.5-6). 
- Terremotos (Mt 24.7), epidemias (Lc 21.11) – quarto selo: um cavaleiro montado em um cavalo amarelo, chamado "Morte" (Ap 6.7-8). 

2. Nos versículos 9-28 temos a descrição da Grande Tribulação, ou seja, a segunda metade (três anos e meio) da 70ª semana de Daniel. 
- Nesse tempo muitos morrerão como mártires (Mt 24.9) – quinto selo (Ap 6.9-11). 
- Coisas espantosas e grandes sinais no céu anunciam a chegada do grande dia da ira do Senhor (Lc 21.11) – sexto selo (Ap 6.12-17). 
Em Israel, muitos trairão uns aos outros (Mt 24.10, veja também Mt 10.21). 
O engano e a impiedade se alastrarão, o amor esfriará, significando que muitos apostatarão de sua fé (Mt 24.11-12, veja 2 Ts 2.10-11). Quem perseverar até o fim verá a volta do Senhor e entrará no Milênio (Mt 24.13). 
O Evangelho do Reino será pregado por todo o mundo (v. 14). Ele não deve ser confundido com o Evangelho da graça, anunciado atualmente. O Evangelho do Reino é a mensagem que será transmitida no tempo da Tribulação pelo remanescente e pelos 144.000 selados do povo de Israel, chamando a atenção para a volta de Jesus, que então virá para estabelecer Seu Reino (compare Apocalipse 7 com Mateus 10.16-23). 

3. Mateus 24.15 refere-se à metade da 70ª semana de Daniel, o começo dos últimos três anos e meio de tribulação.

A "abominação desoladora" não teve seu cumprimento na destruição do templo em 70 d.C., pois refere-se à afirmação de Daniel, que aponta claramente para o fim dos tempos (Dn 12.1,4,7,9,11). 
A profecia da "abominação desoladora" de Daniel teve um pré-cumprimento aproximadamente em 150 a.C., na pessoa de Antíoco Epifânio. Daniel 11.31 fala a respeito. 
A "abominação desoladora" cumpriu-se parcialmente em 70 d.C. através dos romanos, que destruíram o templo. 
Mas "abominável da desolação" de que Jesus fala em Mateus 24.15 será estabelecido apenas pelo anticristo, vindo a ter seu cumprimento pleno e definitivo na metade dos últimos sete anos (como profetizado em Daniel 12). Essa profecia de Daniel é claramente para o tempo do fim (vv. 4,9), referindo-se a um tempo de tão grande angústia como jamais houve antes (v. 1), que durará "um tempo, dois tempos e metade de um tempo". É dessa Grande Tribulação, desse período de imenso sofrimento e angústia, que Jesus fala em Mateus 24.21 (veja Jr 30.7). 

Nos versículos a seguir, de 16 a 28, o Senhor Jesus explica como o remanescente dos judeus deve comportar-se durante a Grande Tribulação:
Eles devem fugir (veja Ap 12.6). 
Esses dias serão abreviados para três anos e meio, para que os escolhidos sejam salvos. 
Falsos cristos e falsos profetas farão milagres e sinais (veja Ap 13.13-14). 
Mas então, finalmente, diante dos olhos de todos, o Senhor virá "como o relâmpago sai do oriente e se mostra até no ocidente". Esses dias da ira de Deus (Lc 21.22), ou melhor, esses dias da ira de Deus e do Cordeiro (Ap 6.17), são descritos assim: "Onde estiver o cadáver, aí se ajuntarão os abutres" (Mt 24.28). O "cadáver" representa o judaísmo apóstata, afastado de Deus, e o sistema mundial sob a regência do anticristo, no qual reinará a morte e o "hades". Os "abutres" simbolizam o juízo de Deus. 

Terremotos, tempestades, inundações e doenças imprevisíveis, além de outros fenômenos e catástrofes da natureza, aumentam dramaticamente.

Como já foi mencionado, não creio que em Mateus 24.15 o Senhor Jesus esteja referindo-se à destruição do templo em 70 d.C., mas penso que Ele está falando do tempo do fim. Ele menciona a destruição do templo e de Jerusalém em Lucas 21, fazendo então a ligação com os tempos finais. Aliás, este é o sentido dos quatro Evangelhos: apresentar ênfases diferenciadas dos relatos. Os Evangelhos tratam da profecia como também nós devemos fazê-lo, manejando bem a palavra da verdade (2 Tm 2.15).

Em Lucas 21.20 e 24 o Senhor diz:"Quando, porém, virdes Jerusalém sitiada de exércitos, sabei que está próxima a sua devastação. Cairão ao fio da espada e serão levados cativos para todas as nações; e, até que os tempos dos gentios se completem, Jerusalém será pisada por eles." Isso cumpriu-se em 70 d.C.

Mas Mateus 24 menciona algo que não aparece no Evangelho de Lucas, pois cumprir-se-á apenas nos tempos do fim: "o abominável da desolação" (v. 15).

No Evangelho de Lucas, que trata primeiro da destruição do templo em 70 d.C., está escrito:"...haverá grande aflição na terra" (Lc 21.23) (não está escrito: "grande tribulação"). Mas em Mateus 24, que em primeira linha fala dos tempos do fim, lemos sobre uma "grande tribulação" "como desde o princípio do mundo até agora não tem havido e nem haverá jamais" (v. 21). A expressão "grande tribulação" diferencia nitidamente a angústia de 70 d.C. da "grande tribulação" no final dos tempos.

Jesus Cristo não é apenas a esperança para o futuro do mundo, mas a esperança para toda pessoa, para cada um que invocar Seu Nome!

sábado, 21 de junho de 2014

Sinais da Volta de Jesus

Uma menina e seu sonho
Aconteceu em uma igreja na Bahia a algumas semanas atras, numa sexta-feira uma menina de 06 anos, que é da igreja, acordou de manha e contou a sua mãe sobre um sonho, que Deus falou com ela e pediu para ela passar o recado a igreja, ela teve oportunidade na igreja naquela noite e falou que teve um sonho que Deus falava pra ela falar para os irmão orarem mais e vigiassem muito, e que se preparem -se, porque essa copa de 2014, vai acontecer uma tragédia tão grande que vai abalar não so o Brasil, mas o mundo inteiro, e era pra todos orarem muito e pedi muita misericórdia pra Deus nos livrar, e Deus falava no sonho pra ela também falar pra igreja, que todos acreditassem que era um recardo de Deus, ele falou no sonho pra ela que depois que ela contassem o sonho na igreja Deus iria recolher ela em 2 dias depois, essa criança contou esse sonho na sexta-feira passada e no domingo ela morreu, simplesmente durmiu no sábado e não acordou mais, exatamente os 2 dias depois que Deus falou com ela no sonho. Fizeram o enterro dela, foram reporteres no local pra entender o que aconteceu, mas mesmo assim tem pessoas que não acreditam nessa revelação que Deus passou a uma menina de apenas 06anos. Deus levou uma alma somente para despertar a igreja, e alertar e que possamos nos preparar, Deus disse que nessa copa de 2014 irá acontecer uma tragédia muito grande que vai abalar o mundo inteiro.
"Apocalipse: 2. 7. Quem tem ouvidos, ouça o que o Espírito diz às igrejas. "
(Tantos acontecimentos, muitas opiniões e uma só certeza: O Rei está voltando.)

Está a acontecer!!! 666 = marca da Besta! 

O Presidente Barack Obama nos EUA numa reunião com o Senado aprovou o Projeto de lei de Saúde. A implementação começaria em 23/03/2014. Este projeto de lei exige que todos os Americanos sejam implantados com uma  identificação por Rádio Frequência (RFID) chip para acessar cuidados médicos. O dispositivo será implantado na testa ou no braço.
Este é o cumprimento da profecia do Livro de Apocalipse (13:15-18)
sobre a marca da BESTA! Você ainda está duvidando do FIM DOS TEMPOS?
PREPARE-SE! O arrebatamento está próximo! Me respondam vocês: . .
(1-Porque é que o chip vai ser implantado exatamente onde a Bíblia diz que seria?. 
(2-Porquê na mão e na testa? . 
(3-Porquê não em outro lugar? . 
(4-Porquê que é está conectado a sua conta bancária? . .
Lembre-se: a Bíblia diz que você não será capaz de comprar ou vender sem a marca. E adivinhem! O chip é  conectado aos seus detalhes financeiros. Se Jesus vem agora?
Muitos não têm consciência que o fim está próximo. Não me diga que isto é  um avanço da tecnologia ou desenvolvimento...!!! Se achas que a sua vida está em sintonia com a palavra de Deus arrependa-se e seja convertido.
Se você perder o Céu, nunca perderás o inferno... Pense nisso seriamente por favor!!! O inferno não é um lugar bonito, a pior parte é que é para a eternidade... Por favor em vez de passar a mandar para os outros mensagens sem sentido, envie para todos que você conhece. Faça o trabalho de um evangelista. Por favor partilhe esta MENSAGEM COM Todos os seus conhecidos, amigos, famíliares,etc.
Você já se perguntou o que teria acontecido se nós tratássemos a Bíblia sagrada do jeito que tratamos o nosso telefone? E nós realmente não poderíamos viver sem Ela. Apenas 7% vai re-enviar esta mensagem.
Não seja um dos 93%, que não vai reenviar esta mensagem. Satanás disse: "Eu me pergunto como os seres humanos dizem que amam a Deus e desobedecem.
Mas afirmam que me odeiam, mas mesmo assim eles me obedecem"
Não envie mais tarde. Envia agora!!!
POR FAVOR REPASSE PARA O MÁXIMO DE PESSOAS QUE CONSEGUIR.. 
SEI QUE ESSAS MENSAGENS DE REPASSAR SÃO CHATAS..
MAS PENSE QUE VCE PODE ESTAR ALERTANDO MUITAS VIDAS ENVIANDO ESTÁ MENSAGEM.. POR FAVOR NÃO DEIXE DE ENVIAR..
A PALAVRA DE DEUS ESTÁ SE CUMPRINDO .. JESUS ESTÁ VOLTANDO!

Nosso FACEBOOK

Seguidores

Páginas