My script

Siga-nos no Facebook

Nosso Instagram

Instagram

sexta-feira, 17 de dezembro de 2010

Gmail: Email do Google

Olá pessoal, estavamos sumidos, mas já estamos na área novamente...
Um forte abraço

sexta-feira, 10 de setembro de 2010

Google Friend Connect: Adicione recursos sociais ao seu site

Google Friend Connect: Adicione recursos sociais ao seu site

Pastora Erica Gomes pregando uma palavra de Poder

http://www.youtube.com/watch?v=kJgqyluubbM&feature=related

A bênção de um compromisso absoluto

Há dois relacionamentos em vida nos quais Deus exige compromisso absoluto: o relacionamento do cristão com Cristo e o relacionamento da pessoa casada com seu conjuge. Uma pessoa pode trocar sua cidadania por outra, pode mudar de emprego ou de casa ou de congregação. Mas, os compromissos com Cristo e com o conjuge de casamento são para a vida toda. Abandono de qualquer um dos dois traz o desprezo de Deus.

Quando uma pessoa se torna cristã, ela promete sua lealdade a Cristo como seu Senhor e Rei. Perseguições podem vir, desânimo, tentações ou problemas na igreja, mas ela promete ser fiel, fiel até a morte. Semelhantemente, quando alguém se casa, ele(a) promete à companheiro(a) seu amor e fidelidade enquanto os dois viverem. Problemas podem surgir, doença, dificuldades financeiras, pressão dos membros da família, mal-entendidos, mas ele promete ser fiel. Ele não a deixará. Ele nem pensa em divórcio. Ele tem um compromisso com ela — ele pertence a ela e ela a ele — e o compromisso é absoluto.

A vontade de Deus em relação à permanência do casamento é claramente revelada. No casamento, um homem deixa seu pai e sua mãe e se une à sua esposa (Gênesis 2:24). São ligados (Romanos 7:2-3). São ajuntados por Deus e não devem ser separados (Mateus 19:6). Eles se tornam uma só carne (Mateus 19:6). Não conseguimos imaginar termos mais fortes para descrever a permanência do relacionamento. Não é de admirar que Malaquias disse que Deus odeia o divórcio (Malaquias 2:16).

A maior alegria que o homem pode realizar na terra se encontra nesses dois relacionamentos de compromisso absoluto. A alegria não é encontrada no meio-compromisso. Um homem que está sempre considerando outros empregos, nunca se comprometendo com seu atual emprego, é um homem instável, dividido entre duas opções. É assim com a pessoa que tenta servir ao Senhor com meio-compromisso. Ele anda entediado e desinteressado, e isso e o necessario para viver uma vida infeliz. Ele procura segurar o mundo com uma mão e o Senhor com a outra, e não acha a felicidade em nenhum dos dois. Por outro lado, precisamos olhar para os apóstolos e os primeiros discípulos para ver que o compromisso absoluto, o tipo de compromisso que aceita perseguição e faz sacrifício, é um elemento básico da felicidade no Senhor (Atos 2:41-47; 5:40-42; 16:25).

É assim com o casamento. Deus sabia que a alegria no casamento seria encontrada somente no compromisso absoluto. Portanto, ele ordenou pelo apóstolo Paulo: "...cada um tenha a sua própria esposa, e cada uma, o seu próprio marido" (1 Coríntios 7:2). Essa declaração pode perturbar aqueles que, no passado, ignoraram o ensinamento dele (as conseqüências do pecado sempre são terríveis SGálatas 6:7-8), mas ela é para o benefício do homem, e vem de Deus, o qual manda para o nosso bem (Deuteronômio 10:13).

Œ Compromisso absoluto cria confiança no casamento. O marido não precisa se preocupar com a fidelidade de sua esposa, nem a esposa precisa se preocupar com a lealdade do marido, pois seu compromisso um com o outro é aberto e óbvio. Devido ao seu compromisso aberto, tentação à infidelidade quase não existe. Por outro lado, aqueles que têm meio-compromisso serão freqüentemente tentados, pois tentação é inerente ao compromisso parcial.

 Compromisso absoluto cria segurança no casamento. Segurança vem de confiança e permanência. Quando uma pessoa duvida se seu relacionamento com uma outra pessoa é forte e permanente, ela se sente insegura.

Ž  Compromisso absoluto cria estabilidade no casamento. Já passaram os dias perturbados, instáveis e inseguros do namoro. Agora vem um relacionamento seguro e duradouro com um único parceiro.
 Compromisso absoluto constrói um alicerce sólido como a base do casamento. Sem esse alicerce, nenhuma família de qualidade será construída.

Gus Nichols escreveu uma vez que ele e sua esposa assistiram, no domingo anterior, às aulas bíblicas e dois cultos na congregação. Ele comentou que eles não tomaram a decisão naquele domingo, mas que a tomaram 40 anos antes, quando se tornaram cristãos. Ele disse que, quando apareceram em todas as reuniões da igreja, estavam meramente cumprindo o compromisso que haviam assumido 40 anos antes. Semelhantemente, eu coloquei a minha cabeça no travesseiro ontem à noite ao lado da minha esposa, e acordei hoje ao lado dela. Se Deus quiser, farei a mesma coisa hoje à noite e continuarei fazendo a mesma coisa enquanto nós dois vivermos. Não é que tomamos essa decisão agora, pois tomamos essa decisão há 8 anos. Meramente continuamos cumprindo o compromisso que fizemos muitos anos atrás.

"Digno de honra entre todos seja o matrimônio, bem como o leito sem mácula; porque Deus julgará os impuros e adúlteros" (Hebreus 13:4).


Copilado e adaptado por mim.

segunda-feira, 6 de setembro de 2010

Carga tributária no Brasil é maior do que nos Estados Unidos, na Espanha e no Canadá


2 de setembro de 2010

A carga tributária do Brasil é maior do que a de países como o Japão, os Estados Unidos, a Suíça e o Canadá. A comparação faz parte de estudo da Receita Federal divulgado nesta quinta-feira (2) e leva em conta os dados mais recentes, apurados em 2008, entre os países-membros da Organização para a Cooperação e o Desenvolvimento Econômico (OCDE).
Enquanto o peso dos impostos no bolso do cidadão chegou, em 2008, a 34,41% no Brasil, no Japão ficou em 17,6%. A carga também foi menor, por exemplo, no México (20,4%), na Turquia (23,5%), nos Estados Unidos (26,9%), na Irlanda (28,3%), Suíça (29,4%), no Canadá (32,2%) e na Espanha (33%).
Acima do Brasil, ainda na comparação com os países da OCDE, ficam o Reino Unido (35,7%), a Alemanha (36,4%), Portugal (36,5%), Luxemburgo (38,3%), a Hungria (40,1%), Noruega (42,1%), França (43,1%), Itália (43,2%), Bélgica (44,3%), Suécia (47,1%) e Dinamarca (48,3%).
Fora da OCDE, o estudo da Receita destaca a Argentina (29,3%). “A comparação com outros países é importante e serve como referência, só que a carga tributária de um país reflete muito o Estado que se tem. A Constituição brasileira traz obrigações que impõem certos gastos dos quais não há como fugir”, explicou o subsecretário de Tributos e Contenciosos da Receita Federal, Sandro de Vargas Serpa.
Segundo ele, em tese, países mais liberais, que não oferecem certos serviços públicos para a sociedade e não têm a Previdência administrada pelo setor público, por exemplo, têm carga tributária menor. “Países que têm o perfil mais ligado ao atendimento de forte demanda social à população notadamente têm uma carga tributária bruta maior. O Brasil se encontra no meio desse caminho”, afirmou.
Edição: Juliana Andrade
Daniel Lima / Agência Brasil

AULA DE ECONOMIA COM DELFIM


De excepcional inteligência e didatismo, Antônio Delfim Netto, 82 anos, um dos economistas mais ouvidos pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva, foi entrevistado pelo ESTADÃO. Tenham certeza que a leitura de trechos da entrevista é uma aula de ECONOMIA. Boa leitura.


Quais são os principais desafios da economia no próximo governo?

O Brasil está hoje em uma situação muito melhor que no passado recente. Por que a partir de 2003 a coisa mudou? Porque o mundo entrou em expansão. O Brasil ligou seu plugue ao mundo e, de repente, um país que tinha problemas permanentes de financiamento de contas correntes se transformou em credor do FMI. A expansão brasileira não tem nada de especial. E isso medimos pela proporção da exportação em relação ao mundo, que continua perto de 1%. O Brasil nunca fez esforço exportador e continua com uma política cambial devastadora. O País sempre teve dois problemas que abortavam o crescimento: energia e déficit em contas correntes. A oferta de energia está crescendo 4,5% a 5% ao ano, suficiente para uma nação que precisa crescer entre 5% e 6% ao ano. Já o déficit em conta corrente está se restabelecendo e nós estamos levando isso na flauta. Estamos brincando, fingindo que não tem importância. Tem, sim. A história mostra que déficit em conta corrente produz surpresas. Hoje temos US$ 250 bilhões de reservas. Mas isso é muito relativo. Uma boa parte desaparece em pouco tempo se as condições se desintegram.

Por que o senhor está preocupado com o déficit em conta corrente?

Estamos fazendo um déficit gigantesco, com enormes prejuízos para a sofisticação do nosso processo industrial. Nós temos, hoje, 10 ou 15 exemplos concretos de empresas brasileiras e estrangeiras que têm indústria no Brasil e na China. Dentro da fábrica, a produtividade brasileira é igual à produtividade chinesa e a qualidade é um pouco melhor. Portanto, a competição com a China não tem nada a ver com setor privado. Tem a ver com o governo, que é ineficiente, gastador, não dá suporte adequado, não produz a infraestrutura. Nós temos um problema de burocracia gigantesco, mas ninguém vai resolver fazendo revolução. São medidas na margem, todos os dias. O Brasil está apropriado por uma burocracia sindical que vive nas tetas do governo. Esse déficit em conta corrente, seguramente, é em boa parte por causa do câmbio de R$ 1,78. Não vamos ter ilusão. Taxa de câmbio competitiva é fundamental para o crescimento econômico.

O senhor é favorável à intervenção no câmbio?

A valorização do câmbio é produzida por uma política monetária que mantém a taxa de juro real interna muito superior à externa. Os juros estão fora do lugar, o que põe o câmbio fora do lugar. O importante neste caso é que você tem de escolher. O BC tem de ser autônomo operacionalmente, mas independência é uma tolice. É bom trabalhar com o sistema de metas da inflação? É. Mas como o BC obtém credibilidade? Aumentando a taxa de juros real de equilíbrio e reduzindo o PIB potencial, para conseguir a meta de inflação. É por isso que o papel do BC é discutível. Você tem que discutir os parâmetros que ele usa.

Está na hora de o BC interromper a alta dos juros?


Está visível que a inflação era um surto. O pior é que o BC vai achar que foi ele que reduziu a inflação. Não foi. Ele levou um susto com a inflação caindo antes do que esperava e reduziu o aumento de juros. O sistema financeiro adquiriu um tal poder que quem produz parafuso não vale nada. Quem vale é quem tem um papel no computador. O grande drama é que levamos longe demais essa distorção cambial. O País não está sofrendo da doença holandesa. Hoje vendemos mais geladeira que antes, logo não há desindustrialização. Só que quando você olha para dentro da geladeira, o valor adicionado nacional era 80%, hoje é 30%.

O senhor disse que o governo é gastador. O Brasil precisa de ajuste fiscal?

Não precisa de revolução nem de choque de gestão. Tudo isso é conversa mole para boi dormir. O governo precisa de um programa de 10 anos em que as despesas de custeio e transferência cresçam menos que o PIB, conduzindo a diferença para o investimento. O Estado está apropriado pelo funcionalismo. A Previdência é um problema que vai ter de ser enfrentado, não só pelo aspecto financeiro mas também pela justiça. Você extrai do trabalhador para entregar ao funcionário. Basta ver o ataque ao Tesouro feito nas últimas semanas. Deu um ataque de loucura no Congresso e houve um conluio entre o Legislativo e o Judiciário para destruir as finanças do País. E isso tudo feito com alegria, samba, foguete dentro de um Congresso absolutamente irresponsável.

Um dos pontos de restrição ao crescimento é a baixa taxa de poupança. Como resolver isso?

Um dos parâmetros usados é que você precisa de 25% de investimento para produzir 5% a 6% de crescimento. Primeiro, esse parâmetro não é estável. Segundo, depende da qualidade dos investimentos. A poupança vem depois do investimento. No caso brasileiro, isso é visível. É claro que no curto prazo tem uma pressão inflacionária. É isso mesmo. Para isso temos controles. Mas também é claro que isso é um fator preocupante. Quanto maior for a taxa de poupança, melhor. Quem destruiu isso foi o setor público. Hoje a carga tributária é 35% e o governo investe 1%. O setor privado poupa: representa pouco mais de 60% do PIB e poupa 15%. Quem não poupa é o governo.

Como o senhor avalia a atuação do BNDES no governo Lula?

Passamos por momento de dificuldade e o BNDES agiu corretamente. Podemos discutir um ou outro investimento do banco, que não faz sentido, mas é uma questão menor. Vamos supor que o BNDES não tivesse agido: o PIB cairia 3% e a arrecadação também. O BNDES é um mecanismo de financiamento importante, mas o Brasil precisa de outros. Imaginar que o BNDES pode escolher os melhores investimentos sem nenhum viés é um equívoco. Agora, negar o papel do banco é ridículo. A única coisa justa é: houve sim um subsídio, que tem de ser apurado e colocado no orçamento. Evidentemente o Tesouro não deve continuar fazendo aportes do BNDES. Isso foi um incidente.

Sem reforço do Tesouro no caixa do BNDES, como o Brasil vai financiar a usina de Belo Monte, as obras do PAC, os estádios da Copa do Mundo?

Você tem aí uma soma de investimentos que eu não estou convencido que caiba no PIB. São maiores que o Brasil. É verdade que isso é feito ao longo do tempo, que depende do ritmo de crescimento do País e dos mecanismos de financiamento. Mas você não vai ter todos esses investimentos sem financiamento privado. Quem faz investimento é o setor privado. O governo, o melhor que faz é discurso. Provavelmente não vamos realizar todos esses investimentos: vamos fazer o pedaço de um, vai faltar a perna do outro. E provavelmente a maioria deles não vai ter nenhuma taxa de retorno.

Qual deve ser o papel de um economista hoje?

Alguns economistas não têm o mínimo de humildade. O nosso papel – Adam Smith (o mais importante teórico do liberalismo econômico) já dizia – é quem sabe ajudar o governo a fazer uma sociedade que cresça robustamente e seja mais justa. Mas não determinar o que a sociedade quer. Isso quem determina é a urna. Cada vez que você exagera no economicismo, a urna vem e tem põe fora. Cada vez que você exagera no populismo, a urna vem e te põe fora. É por isso que os países progridem. Ou você acha que o Chávez (o presidente da Venezuela) vai continuar errando a vida inteira? Ou ele vai para um poste ou vai pedir asilo em Cuba. O capitalismo é um processo. É por isso que sai dessa crise um novo capitalismo. O homem precisa disso e tem novas exigências. Resolveu entender agora, por exemplo, que abusou da natureza. Nos anos 70 ninguém pensava nisso. Pelo contrário. Eu lutava para importar poluição. Queriam acabar com a indústria de aço na Europa. Nós dizíamos: podem vir para o Brasil. Não acredito que a China possa continuar com essa expansão. Por uma razão simples. Para continuar a expansão, precisa importar outra terra. Os chineses compraram a África e estão tentando comprar o Brasil. Isso é uma grave miopia do governo brasileiro – permitir que um Estado soberano compre terras, minérios, recursos naturais em outro Estado soberano. Essas empresas chinesas são o próprio Estado chinês.

O senhor acha que o Brasil está a caminho de se transformar em um país desenvolvido?
O Brasil está caminhando e tem tudo para crescer 5% a 6% ao ano. Nós não temos competência para impedir esse crescimento. É claro que muitas coisas precisam ser feitas, como eliminar a burocracia. É óbvio que quem tem que ser consertado é o governo. Mas é uma idiotice dizer que precisa de governo fraco. Sem um Estado indutor, não há crescimento. Com um mínimo de inteligência, o Brasil é seguramente um país que já tem os recursos para, em 2030, ter um nível de vida equivalente ao da Europa Ocidental de hoje

sexta-feira, 3 de setembro de 2010

A peleja é do Senhor!!!



"Não temais: aquietai-vos e vede o livramento do SENHOR que hoje vos fará; porque aos egípcios que hoje vedes, nunca mais os tornareis a ver. O SENHOR pelejará por vós e vós vos calareis" Êxodo 14:13-14.

Você já passou por momentos difíceis na vida, problemas que levaram muito tempo até serem resolvidos, e quando tudo parecia estar caminhando bem, coisas começaram a acontecer, para lhe preocupar, e até desanimar? Você busca a Deus, Ele vem lhe socorrer, você vence uma grande batalha, e quando tudo está indo bem, você dá uma olhada ao seu redor e vê o inimigo ainda mais veloz para derramar sangue e ainda mais furioso querendo uma revanche e acabar de vez com sua raça.

Os filhos de Israel, por exemplo, ainda festejavam a vitória sobre seus inimigos, começavam a sonhar com um novo lar, um belo jardim, animais domésticos, gado, horta, e, o que era melhor, trabalhariam para si mesmos, para sua nação, para o seu Deus, e não mais para um povo que os escravizara durante anos e anos. No entanto, enquanto caminhavam rumo à Terra prometida, alguém olha para trás e avista o exército de Faraó, pronto para matar a todos e largar seus corpos naquele deserto. E o que é pior, olham pra frente e avistam o poderoso Mar Vermelho. Que coisa horrível estava para acontecer - pensaram eles - estavam totalmente sem saída. Correção, estariam sem saída, se o Senhor dos Exércitos, poderoso nas batalhas não estivesse com eles naquela última batalha contra os egípcios.

Mas o que eles tinham que fazer, então? Humanamente voltar não podiam, ir pra frente, também não. A coisa estava feia e ficando mais feia a medida que o tempo passava, alguns ficaram irados com Moisés, quando, então, foi-lhes dito, pelo próprio Deus, o que eles tinham que fazer para serem vitoriosos na última batalha contra o Egito escravisador:

  1. "Não temais": esse é um dos sérios problemas do homem - mesmo depois de grandes amostras do poder de Deus em suas vidas, ficam amedrontados diante de novos obstáculos e de novos inimigos, ou até mesmo de antigos, quando insistem em nos perseguir. De uma certa maneira, temer é normal a nós, filhos e filhas de Adão, mas permanecer temendo não é coisa que se faça. Quando insistimos em temer, desviamos os olhos de Deus, e nos acovardamos, Paulo sabendo disto, ele afirmou prossigo para o Alvo (Fp. 2:12-14), ou seja me foco está no Senhor, assim como o salmista que diz: Elevo meus olhos (Sl 121:1).
  2. "Vede o livramento do Senhor": quando paro de temer, e começo a olhar pra Deus, e observo o Seu trabalho e o Seu livramento. Eta! Coisa boa de se ver é o livramento do Senhor. Quando não temos mais o que fazer, quando estamos encurralados e diante de situações acima de nossa capacidade, olhemos para o nosso general que é Cristo.
  3. "porque aos egípcios que hoje vedes, nunca mais os tornareis a ver": Israel só conseguia ver os egípcios. E é isso o que acontece conosco, quando super valorizamos o nosso inimigo. O resultado é que desanimamos e nos entregamos. Mas quando confiamos nas promessas do Senhor, Ele nos garante vitória e livramento. Israel teria na vida outros inimigos, mas aquele, o Egito, eles seriam derrotados para sempre.
  4. "O SENHOR pelejará por vós e vós vos calareis": Aí está o que eles tinham que fazer - parar de resmungar, de praguejar, de olhar pra trás, e assistir a peleja, ver a poderosa mão de Deus agindo a seu favor e contra o seu inimigo. E assim que o Senhor quer fazer hoje, é assim que Ele age por aqueles que esperam n’Ele (Is.64:4).

quinta-feira, 2 de setembro de 2010

iGoogle

iGoogle

Web Site da Pastora Erica

Você está convidado a conhecer o site da Pastora e Missionária Erica Gomes.
O endereço é www.pastoraerica.com e ou www.ericagomes.com.br
No site você poderá ver fotos, adquirir materiais da Missionária, além de solicitar agenda para as festividades de sua igreja. Atendemos a convite dentro e fora do Brasil.
Além do site, temos os sites de relacionamento como: o ORKUT (http://www.orkut.com.br/Main#Profile.aspx?uid=16222387369583777519&mt=os)  e o TWITTER (https://twitter.com/MISS_ERICAGOMES)
Vejo vocês por lá.
Forte abraço...

Pr Elimar Gomes

A Minha Graça Te Basta


"E disse-me (o Senhor): a minha graça te basta, porque o meu poder se aperfeiçoa na fraqueza. De boa vontade, pois me gloriarei nas minhas fraquezas, para que em mim habite o poder de Cristo. Pelo que sinto prazer nas fraquezas, nas injúrias, nas necessidades, nas perseguições, nas angústias por amor de Cristo. Porque quando estou fraco, então sou forte." II Coríntios, cap. 12, verss. 9 e 10.

         Há um grupo de cristãos que se pudessem, arrancariam determinadas páginas da Bíblia, e essa seria uma delas. Há um movimento do Evangelho que só prega bênçãos, e quando sobrevêm as tribulações, não suportam e agem exatamente como aquele homem que edificou a sua casa sobre a areia e desceu a chuva e correram rios, e assopraram ventos, e combateram aquela casa, e caiu, e foi grande a sua queda. Mas todo aquele, pois, que escuta e pratica a palavra de Deus, é como o homem prudente, que edificou a sua casa sobre a rocha, e desceu a chuva, e correram rios, e assopraram ventos, e combateram aquela casa, e não caiu, porque estava edificada sobre a rocha.
    

         Praticar a palavra de Deus, é não omitir nem um jota nem um til do que o Senhor, por intermédio do Espírito Santo, nos deixou registrado na Bíblia. Viver segundo as Escrituras Sagradas, é reconhecer que somos direcionados pelo Espírito de Deus e que as bênçãos do Senhor nos alcançam e que não necessitamos correr atrás delas, mas necessitamos conhecer as Promessas do Pai, conforme está escrito em Deuteronômio, capítulo 28, do versículo 1 ao 13. Citarei os dois primeiros:

"E será que se ouvires a voz do Senhor teu Deus, tendo cuidado de guardar todos os seus mandamentos que eu te ordeno hoje, o Senhor teu Deus te exaltará sobre todas as nações da terra. E todas estas bênçãos virão sobre ti e te alcançarão, quando ouvires a voz do Senhor teu Deus..."  Deuteronômio 28.1,2

        E alguém já me disse que são cerca de oito mil bênçãos que o Senhor nos promete de Gênesis ao Apocalipse.

         Papai, Aba, tem imenso prazer em satisfazer os desejos do coração, mas acima de tudo, Ele almeja a salvação de seus filhos, pois de que vale ao homem ganhar o mundo inteiro e perder a sua alma?

          E é por isso que quero te convidar hoje a mudar de mudar de vida! Paremos com a idéia de um evangelho só de prosperidade, de “só vitória” como muitos o tem pregado. É verdade que você vai vencer, desde é claro que você não pare de lutar. Eu quero orar por aqueles que precisam de ânimo para continuar a lutar e a buscar seus objetivos nesta vida.

          Venha louvar e engrandecer o Senhor Jesus conosco, dando a ele o seu melhor, aceite a Jesus hoje, antes que seja tarde demais.

quarta-feira, 1 de setembro de 2010

4 Passos para Deus....

1. Deus Ama Você!

A Bíblia diz, "Porque Deus amou o mundo tanto, que deu o seu Único Filho, para que todo aquele que nele crer não morra, mas tenha a vida eterna". O problema é que.

2. Todos nós fazemos, dizemos ou pensamos coisas que são erradas. 

Isto é chamado de pecado, e nossos pecados nos separam de Deus.
A Bíblia diz "Pois todos pecaram e estão separados da glória de Deus..." (Romanos 3:23) Deus é perfeito e santo, e nossos pecados nos separam de Deus para sempre. A Bíblia diz "Pois o salário do pecado é a morte..." (Romanos 6:23) A boa noticia é que a mais de 2000 atrás,

3. Deus enviou Seu único Filho Jesus Cristo para morrer por nossos pecados.

Jesus e o Filho de Deus. Ele viveu uma vida sem pecados e morreu na cruz para pagar o preço por nossos pecados. "Mas Deus demonstra seu amor por nós pelo fato de ter Cristo morrido em nosso favor, quando ainda éramos pecadores." (Romanos 5:8) Jesus ressuscitou da morte e agora Ele vive no céu com Deus Seu Pai.

Ele nos oferece o presente da vida eterna -- de viver eternamente com Ele no céu se aceitarmos Ele como nosso Senhor e Salvador. Jesus disse "Eu sou o caminho, a verdade e a vida. Ninguém vem ao Pai, a não ser por mim." (João 14:6) Deus te ama e deseja que você seja Seu filho "Contudo, aos que o receberam, aos que creram em seu nome, deu-lhes o direito de se tornarem filhos de Deus." (João 1:12) Você pode escolher e pedir para que Jesus Cristo perdoe seus pecados e entre na sua vida como seu Senhor e Salvador.

4. Se você deseja aceitar Cristo, você pode pedir para Ele ser seu Salvador e Senhor confessando pela fé com esta oração:

"Senhor Jesus, Eu creio que Tu és o Filho de Deus e o Salvador do mundo. Obrigado por vir a Terra e morrer para que eu pudesse ter a vida eterna. Por favor perdoe todos meus pecados. Agora eu quero Te seguir e Te servir com minha vida. Por favor envie o seu Santo Espírito e dirija meus passos. Em nome de Jesus , Amem."

Você fez esta oração?

Nosso FACEBOOK

Seguidores

Páginas