My script

Siga-nos no Facebook

Nosso Instagram

Instagram

quarta-feira, 16 de maio de 2018

Pergamo, a igreja casada com o mundo!

INTRODUÇÃO:
Mais que nunca, precisamos ouvir o que Jesus disse à pequena Igreja de Pérgamo, que também vivia no quartel-general do inferno. Ela servia a Deus sob a sombra do trono de Satanás. Pérgamo não era um local fácil para se viver. Mesmo assim foi lá que Deus plantou Sua igreja. Nesta carta, Cristo alerta-os a permanecerem fiéis neste ambiente infernal.

I – A CIDADE DE PÉRGAMO:
Éfeso era a principal cidade da Ásia, mas Pérgamo era a capital, posto que lá era a sede do governo imperial.

É nesta cidade que satanás aparece como o “príncipe do mundo” (Jo 14.30 cf I Jo 2.15 e ss). O que o apóstolo João chama de mundo em sua Primeira Carta é, de fato, o grande inimigo da igreja de Pérgamo.

Em 29 a. C., os líderes de Pérgamo construíram o primeiro templo dedicado a César, na Ásia. O louvor ao imperador tinha força aqui. Se noutras proclamava-se uma vez por ano a deidade de César, em Pérgamo a idolatria imperial era cotidiana. Incenso era queimado diariamente ao imperador. Aqui servir a outros deuses não era problema, desde que o nome de César fosse glorificado. Quando alguém dizia: “Zeus é Senhor!”, César tinha de ser imediatamente aclamado.

A dificuldade para os crentes residia no fato de eles não poderem servir a dois deuses. Se proclamassem: “César é Senhor!”, trairiam ao seu Deus. Caso contrário, seriam mortos por amor a Cristo.

A montanha, que se elevava a 1000 metros acima da cidade, estava recoberta de templos pagãos, santuários e altares a Zeus, Atenas, Dionísio e Asclépio ou Esculápio. Cada um possuía seu templo.

Um gigantesco altar a Zeus, a maior das deidades gregas, foi construído ali em forma de trono. Muitos acreditam que este era o trono de Satanás citado na carta. De qualquer forma, era o altar pagão mais famoso daquela época.

A cidade estava tão profundamente envolvida com a idolatria que possuía seu próprio deus: Asclépio, o deus da cura. Adoradores vinham a este templo para encontrarem o alívio de suas enfermidades. Cobras arrastavam-se pelo templo. Os adoradores eram encorajados a deitar-se ao chão para que as serpentes subissem-lhes pelos corpos. Criam que o toque das víboras tinha poder curador. De fato, o símbolo da medicina – uma serpente enrolada – representa o deus Asclépio.

Era neste local que a Igreja se encontrava. Vivia ela no quartel-general do inferno. Servia a Deus nas raias do trono de Satanás.

II – O REMETENTE DA CARTA:
Apc 2:12 cf Rm 13.1-4 – Na cultura romana, a espada era símbolo do poder e autoridade; significava a punição capital: vida ou morte. César tinha a palavra final; sua determinação tornava-se lei.

Eis por que Jesus é descrito portando uma espada de dois fios. Aqui está a Sua autoridade judicial. Com a espada desembainhada, é o Guerreiro Divino. Vence os inimigos; pronuncia julgamento sobre eles. Ele é o único Senhor da Igreja. Tem poder sobre a morte e a vida; Sua palavra é final; Sua lei, patente; Seu reinado, absoluto.

Por que uma espada de dois fios? Porque corta de ambos os lados. Cristo tem poder sobre a vida e a morte. Possui autoridade para abençoar, salvar e condenar à eterna perdição.

Por que Jesus revela-se à Igreja desta forma? Há duas razões:

(A) – Pérgamo achava-se sob a espada de Roma. Intimidação e medo alastravam-se nos corações daqueles crentes. Por isto, não podiam esquecer que havia uma autoridade mais forte que a romana. A despeito das táticas amedrontadoras de Roma, Cristo controlava todo poder.

(B) – Como esta Igreja tolerava falsos ensinadores, não podiam esquecer de que há um padrão imutável: A PALAVRA DE DEUS. O Senhor zela para a cumprir! Por isso, os crentes de Pérgamo precisavam defender claramente a doutrina. Caso contrário, enfrentariam a disciplina severa das mãos do próprio Cristo.

III – A ORDEM DO REMETENTE PARA A PERSEVERANÇA:
Apc 2:13 – Esta é uma palavra de encorajamento. Jesus Cristo sabia o que significava viver no quartel-general do inferno. Desde o Seu nascimento, já enfrentava Ele as investidas de Satanás (Mt 2.13; 4.1-11; Mt 27).

Os crentes em Pérgamo viviam onde se achava o trono de Satanás. Aqui estava o seu quartel-general. Satanás visitava outras cidades, mas morava em Pérgamo.

Satanás não é onipresente, pois ele não é Deus; só pode estar num lugar de cada vez. Assim, passava a noite em Laodicéia, Sardo ou Éfeso, mas depois retornava ao seu domicílio, em Pérgamo. Habitar significa ocupar uma casa e viver nela permanentemente.

Mas por que Pérgamo era o trono do adversário?
A cidade, como já vimos, era o centro de adoração a Asclépio, o deus-serpente. Neste templo, os adoradores misturavam-se às cobras. Satanás, a antiga serpente, sentia-se muito bem em Pérgamo. Além disso, ficava aqui o centro regional de adoração ao imperador. Foi a primeira cidade na Ásia a ter um templo devotado a César. Havia, inclusive, um sacerdócio especial devotado a este culto. A adoração a César era mais intensa aqui.

Jesus parabeniza-os por haverem eles retido o Seu nome e não negado a fé. Eles permaneciam fortes em sua lealdade a Cristo como Senhor. Recusavam-se a adorar a César. Não obstante as pressões, permaneciam fervorosos. Mantinham-se fortes nos padrões divinos, apesar do declínio moral daqueles dias.

Entre estes crentes, Antipas destaca-se por sua coragem e fé. Seu nome significa “CONTRA TODOS”. Para defender sua fé, colocava-se de fato contra todos. Provavelmente pastor da Igreja, recusava-se a aceitar o status político daqueles dias; opunha-se ele ao governo, pois apenas Roma tinha o poder de aplicar a pena capital.

Mas se Roma o queria morto, Jesus refere-se ele como “MINHA FIEL TESTEMUNHA”. Pode haver maior tributo que este? O nosso testemunho tem de ser fiel. O que a fidelidade custou a Antipas? Ele foi morto onde Satanás habita.

Assim sendo, a fé que Antipas ostentava haveria de ser proclamada aos séculos vindouros. O mundo vê a morte dos mártires e lamenta: “Que perda!”. Deus, porém, regozija-se e diz: “Que ganho!” – Sl 116.15

IV – A FALHA DA IGREJA DE PÉRGAMO:
Apc 2:14-15 – Mais uma vez, podemos observar que não existe igreja perfeita; a perfeição só será alcançada no céu.

Apesar de sua constância, o pecado introduziu-se nela imperceptivelmente. O maior perigo não era a perseguição, e sim a perversão.

Se Satanás não pode derrotar a Igreja, tenta ingressar nela. A ameaça mortal vinha de dentro.

Em Pérgamo havia um pequeno grupo que instigava os crentes a se comprometerem com o mundo. Sua carnalidade prejudicava aos fiéis. Este grupo achava-se envolvido com a doutrina de Balaão.

A QUEIXA DE JESUS NÃO É DIRIGIDA AO GRUPO QUE ENSINAVA TAL HERESIA, MAS À IGREJA POR TOLERAR A DOUTRINA DE BALAÃO!

Mas que doutrina era essa?
Balaão era um profeta gentio do A.T.. Chamado para ser porta-voz de Deus, sempre falou pelo diabo. Durante a peregrinação de Israel pelo deserto, Balaque, rei de Moabe, ouviu dizer que o povo de Deus avançava. E ele sabia que não havia maneira de se defender dos israelitas. Desesperado, pediu ajuda a Balaão.

Vulnerável à tentação e ao lucro, o profeta estrangeiro buscou, em três momentos distintos, amaldiçoar o povo de Deus. Mas em lugar da maldição, a bênção. Ele não podia amaldiçoar a Israel. Tentando servir a Deus e ao dinheiro, arquitetou um plano engenhoso.

O profeta do lucro instruiu, pois, a Balaque a colocar tropeços diante dos israelitas. Instigou a Balaque a por meretrizes no arraial hebreu para que seduzissem o povo de Deus. Infelizmente, os filhos de Israel não eram páreo a tal tentação. Caíram; divertiram-se com pagãs. Com elas, adoraram os ídolos e comeram os alimentos oferecidos a estes. Adoraram-nos em templos pagãos de Moabe. Nestes templos, as prostitutas cultuais induziram os israelitas a cometerem todo o tipo de torpezas. O resultado foi devastador. Entretanto em guerra contra o Seu povo, Deus matou 24 mil israelitas. O que Balaão não pôde fazer, o pecado o fez. O tropeço foi grande e o resultado foi devastador!

PEDRA DE TROPEÇO É UMA ARMADILHA FEITA COM UM CHAMARIZ. Quando este é tocado, bum! A armadilha dispara e prende a vítima. Assim é o pecado. Parece atraente, mas tocado, captura a presa.

A doutrina de Balaão é o compromisso com o mundo. É a mistura das coisas santas com as profanas. É ter um pé na Igreja e outro no mundo. Com semelhante ensino, esse grupo de Pérgamo ameaçava destruir a Igreja. Afinal, quebra-se um elo e toda a corrente é inutilizada. Se apenas uma célula torna-se cancerosa, todo o corpo logo sofre.

Assim é a Igreja. Um pouco de fermento leveda toda a massa. Um pequeno foco de pecado prejudica todo o corpo. O mal, pois, precisa ser eliminado.

JESUS APONTA OUTRO PECADO OCULTO. Havia um segundo grupo ensinando falsas doutrinas – os nicolaítas. Pregavam uma doutrina destrutiva muito similar à doutrina de Balaão. Os frascos eram diferentes, o veneno, porém, o mesmo.

Devemos observar que: AQUILO QUE ERA “OBRA DOS NICOLAÍTAS” NA IGREJA DE ÉFESO, PASSOU A SER “DOUTRINA DOS NICOLAÍTAS” NA IGREJA DE PÉRGAMO! (Apc 2.6, 15)

A tradição conta que Nicolau foi um dos primeiros líderes da Igreja. Mas apostatando, começou a ensinar que o crente pode viver como quiser. Seu objetivo: achar um meio termo entre a vida cristã e os costumes da sociedade greco-romana.

Na realidade, os nicolaítas combinavam os ideais cristãos com a imoralidade e a idolatria. O resultado era uma heresia devastadora que ameaçava a existência da Igreja. Eles pervertiam a graça de Deus. Com o seu antinomianismo, ensinavam que nenhuma lei moral de Jesus está vinculada ao cristão atual. Reafirmando a idolatria de Balaão, encorajavam os crentes a envolverem-se com todo tipo de perversão.

O que é idolatria? Qualquer coisa ou pessoa mais importante do que Deus em sua vida. Amar, temer, servir ou desejar alguma coisa mais que a Deus é idolatria. É o que se acha entre nós e o Senhor. Um ídolo pode ser uma estátua entalhada em mármore, um talão de cheques, um carro, um barco, uma casa. Pode ser o diploma na moldura, uma causa, um talento dominador, ou um físico bem desenvolvido e bronzeado. Enfim, é qualquer coisa ou pessoa que ocupe o primeiro plano em sua vida ao invés de Jesus Cristo. (Tg 4:4; I Jo 2:15; 5:21)

Você acha que temos tais ensinamentos em nossas Igrejas hoje? Sim! Nunca a doutrina de Balaão esteve tão em voga. Estes mestres tentam minar-nos a carne com suas concupiscências. Eles ensinam o seguinte: – “BUSCAI PRIMEIRO O REINO DESTE MUNDO, E AS COISAS ESPIRITUAIS VOS SERÃO ACRESCENTADAS”.

Tal heresia alimenta a ganância, desperta o materialismo, estimula o mundanismo e a cobiça. Em resumo: Tudo contrário ao que diz a Palavra de Deus: Mt 6:33; Cl 3:2.

Ainda mais: Da mesma forma que em Pérgamo, há ensinadores e mestres hoje rebaixando o padrão de pureza. Muitas Igrejas e denominações já consentem na ordenação de homossexuais. Aliás, até fundam igrejas para estes. Outras aprovam o divórcio e outras uniões sem o devido respaldo bíblico. Outras ainda reintegram imorais ao santo ministério, toleram pessoas amigadas, aprovam o aborto como forma de controlar a natalidade. Enfim, falham na disciplina. Esta é a doutrina imoral de Balaão.

Um outro detalhe: A palavra prostituição ou imoralidade (porneia) é abrangente; inclui todas as formas de perversão sexual: adultério, sexo pré-nupcial, homossexualidade, pornografia, travestismo. A igreja não pode tolerar tais práticas. Precisamos desembainhar a espada de dois fios e removê-las do meio dos santos. A Bíblia não mudou e Deus também não (Ex 20:14; I Cor 6:16; I Ts 4:3; Hb 13:4; Ef 5:3)

V – A SOLUÇÃO PARA A IGREJA DE PÉRGAMO:
Apc 2:16 – Após o diagnóstico, o grande Médico prescreve a cura – uma cirurgia cardíaca.

O arrependimento exige mudança de opinião sobre o pecado. Mudança de coração e de vontade. Ou seja, uma mudança radical. Isto é arrependimento.

São palavras fortes. Pois sérios perigos aguardam os que continuam na idolatria e na imoralidade. Sérios perigos requerem medidas urgentes e radicais. Jesus não diz: “ESTÁ CERTO. TENHO GRAÇA ILIMITADA E PERDÃO SEM FIM. ENTÃO, VIVA COMO QUISER”.

Pelo contrário, Sua palavra é incisiva. Não há acordo. É um aviso a considerar. Trata-se de uma visita especial para julgar a Igreja.

Semelhante julgamento caíra sobre Balaão (Nm 22:23, 31; 25:5; 31:8); Os balaamitas e nicolaítas de Pérgamo não ficariam impunes. A Igreja precisa expulsar o pecado, para que Jesus não a expulse de Sua presença. Se ela não disciplinar a seus membros, o Senhor far-lhe-á guerra com a espada de dois gumes. Jesus lutará contra qualquer Igreja que tolerar o pecado. Lutará contra a imoralidade e a idolatria.

Ser tolerantes com tais doutrinas faz da Igreja cúmplice de Balaão e Nicolau. Mas a mensagem contida na carta é bem clara: IDOLATRIA E IMORALIDADE NÃO SERÃO TOLERADAS! A IGREJA DE CRISTO É SANTA!

VI – O SOFRIMENTO DA IGREJA DE PÉRGAMO:
Apc 2:17a – Jesus, o Maravilhoso Conselheiro, conclui com uma palavra de conforto. Novamente Jesus admoesta: O QUE ELE DIZ TEM DE SER OUVIDO. A Igreja precisa guardar o alerta. Ouvir e tornar a pecar não é ouvir corretamente (Lc 6:46). Precisamos ouvir o que o Espírito diz, e seguir-Lhe o conselho.

VII – A PROMESSA PARA A IGREJA DE PÉRGAMO:
Apc 2:17b – E se a Igreja se arrepender? Se desfizer o compromisso com o pecado? Se banir a idolatria e a imoralidade? Qual a promessa?

Novamente, Jesus fornece um antegozo do céu com a finalidade de motivar-nos a obedecer-Lhe a Palavra. Fala da glória futura como incentivo para um compromisso presente.

Grandes bênçãos são prometidas ao que vencer tais pecados. O que importa é como reagimos ao receber a mensagem do Senhor. Àqueles que se arrependem,Jesus promete o maná escondido, a pedra branca e um novo nome.

O MANÁ ESCONDIDO – No A.T., era a comida do céu com que Deus alimentava o Seu povo no deserto. Quando de seu encontro com Balaão, Israel ainda alimentava-se do maná. Que contraste com o alimento oferecido aos ídolos! O maná era comida santa.

Cristo é o verdadeiro maná. É o pão vivo que desceu do céu (Jo 6:35). Isto fala de nossa comunhão com Ele. Cristo convidou Laodicéia a cear Consigo (Apc 3:20). A ceia demonstra comunhão íntima. Somente os crentes recebem a promessa da doce e eterna comunhão com Cristo.

Por que o maná escondido? Por ser a doce comunhão que o mundo não conhece. Só pode ser conhecido através da fé. Jesus oferece o pão espiritual que não pode ser visto pelos olhos naturais.

PEDRA BRANCA – A pedra branca pode significar a prática judicial da absolvição (At 26:10).

Nos tempos antigos, o juiz dava o veredicto colocando um seixo preto ou branco numa urna. O primeiro era condenação; o segundo, absolvição.

Se confessarmos os nossos pecados e nos arrependermos, Cristo registrará a absolvição. A confissão traz o perdão. Somente o arrependimento pode reverter a decisão do tribunal.

As pedras brancas eram também oferecidas como símbolos de aceitação ou admissão num evento especial. É o que Cristo promete aos verdadeiros crentes.

UM NOVO NOME – Os vencedores recebem um novo nome, indicando nova identidade, novo estado e novo começo. É a nova condição em Cristo. Este novo nome acha-se oculto aos outros. Ninguém sabe o que Cristo significa para mim. O relacionamento entre Cristo e o crente é tão íntimo e pessoal; é uma experiência particular e mui reservada.

Como essas três promessas se encaixam?
(1) – Chegará o dia em que seremos aceitos na presença do Senhor: PEDRA BRANCA;
(2) – Desfrutaremos da doce comunhão: MANÁ ESCONDIDO;
(3) – Tudo de acordo com a nossa nova condição em Cristo: NOVO NOME.

O que essas imagens nos lembram? Sem dúvida, o casamento. Um jovem casal frente ao altar. O brilho na face da noiva reflete profunda antecipação. Ela vai ao altar com a pedra branca no dedo. Recebe novo nome e adentra num relacionamento mais rico e profundo com aquele a quem sua alma tanto ama.

Deus usa a imagem do casamento para demonstrar nossa glória futura. Um banquete nos espera (Apc 19:1-10). No momento em que formos totalmente aceitos num relacionamento mais íntimo com Ele, receberemos novo nome. Como a noiva no altar, nossos corações serão cheios de gloriosa consumação. Esta antecipação motiva-nos a permanecer espiritualmente puros e fiéis.

VIII – CONSIDERAÇÕES FINAIS:
Já ouvimos os especialistas políticos, sociólogos, psicólogos e até mesmo os teólogos. Agora, porém, é chegado o momento de ouvirmos O QUE O ESPÍRITO DIZ ÀS IGREJAS.

sexta-feira, 16 de março de 2018

As sete igrejas do Apocalipse

'Quem tem ouvidos ouça o que o Espírito diz às igrejas' Ap 3:22
As sete igrejas do apocalipse referem-se a igrejas literais descritas no apocalipse, capítulos 2 e 3. Essas igrejas cristãs estavam  localizadas na Ásia Menor durante a época do Império Romano. Embora as igrejas reais deixassem  de prosperar nos séculos de controle muçulmano,  depois dos romanos, há vestígios arqueológicos de todos os sete locais existentes na atual Turquia.

Significado Último das Sete Igrejas


São igrejas literais do primeiro século dC. No entanto, elas também têm um significado espiritual para as igrejas e crentes de hoje. O objetivo principal de João ao escrever as cartas para as Sete igrejas, era entregar um "boletim" de Cristo para as igrejas da época. Um segundo propósito dos escritos inspirados de João era descrever sete tipos de igrejas (e crentes) que surgiria uma e outra vez ao longo da história. As breves cartas às igrejas do apocalipse, estão como lembretes comoventes para os seguidores de Cristo.


(1) Éfeso (Apocalipse 2:1-7) - a igreja que havia abandonado seu primeiro amor (2:4).


O primeiro amor que caracterizou a Efésios era o zelo e ardor com que abraçaram a sua salvação como eles perceberam que amava a Cristo porque Ele os amou primeiro (1 João 4:19) e que era na verdade Seu amor por eles que os fizera "a vida juntamente com Cristo." Então, eles foram esmagados pela alegria que veio da compreensão de seu ex-estado de mortos em delitos e pecados, e sua vida nova em Cristo, que exibiu o fruto da alegria (Efésios 2:1-5 ). Por causa do grande amor de Deus para os Efésios, eles foram "vivificados em Cristo" e que a vida nova foi exibida na paixão de gratidão. Essa paixão pelo Salvador transbordou para o outro e para aqueles na cultura em que habitavam, corruptos como erma.


Jesus elogia os Efésios por suas muitas obras boas e trabalho duro. Eles testaram os professores para ver se suas profissões eram reais; eles suportaram as dificuldades e perseveraram sem cansar. Mas eles haviam perdido o seu calor e zelo por Cristo, e quando isso aconteceu, eles começaram a "passar" os movimentos de boas obras, motivadas não pelo amor por Cristo, mas pelas próprias obras. O que antes era uma relação de amor foi  resfriado em mera religião. Sua paixão por Ele se tornou pouco mais do que a ortodoxia fria.

Rodeado pelo paganismo e falsos mestres, a igreja de Éfeso teria tido uma ampla oportunidade para corrigir a falsa doutrina e confrontar os professores heréticos.  Em vez de seguir a Cristo com a devoção que mostrou uma vez, como uma noiva que segue o seu noivo "através do deserto" (Jeremias 2:2), Efésios estava em perigo de cair longe de Cristo completamente. É por isso que Ele adverte aqueles que têm "ouvidos para ouvir" para provar a realidade de sua salvação, devolvendo a Ele e reacendendo o amor que tinha começado a esfriar. Sem dúvida, havia entre os Efésios aqueles cuja profissão era falsa e cuja audiência havia se tornado entorpecida. Ele adverte o resto para não segui-los, mas se arrepender e voltar para Ele com a paixão que tinha por Ele no inicio da vida cristã.


Enfrentamos os mesmos desafios no século XXI. Há poucas igrejas que não estão sujeitas, e em perigo de, uma certa quantidade de falsos ensinamentos. Mas Jesus nos chama para falar a verdade em amor (Efésios 4:15), e para não deixar que a frustração de falso ensino domine acima  do amor de Cristo em nós (Efésios 4:31-32). O nosso primeiro amor é o amor que Cristo nos dá a Deus e uns aos outros. Devemos ser zelosos pela verdade, mas que o zelo deve ser temperado de modo que estamos sempre "falando a verdade em amor, vamos em todas as coisas crescer dentro Dele que é o chefe, isto é, Cristo" (Efésios 4:15 ).


Quem eram os Nicolaitas? Ap 2:6


A origem exata dos nicolaítas é clara. Alguns comentaristas da Bíblia acreditam que eles eram uma seita herética que seguia os ensinamentos de Nicolas-cujo nome significa "aquele que conquista as pessoas", que foi possivelmente um dos diáconos da igreja primitiva mencionado em Atos 6:5. É possível que Nicolas tornou-se um apóstata, negando a verdadeira fé e se tornou parte de um grupo seguindo "a doutrina de Balaão", que ensinou Israel "pecar por comer carne imolada aos ídolos e cometer imoralidade sexual." Clemente de Alexandria diz: "Eles entregaram-se ao prazer como cabras, levando uma vida de auto-indulgência." A graça de ensino pervertido é substituída pela liberdade com licenciosidade.


Outros comentaristas acreditam que estes nicolaítas não foram chamados a partir de qualquer homem, mas a partir do Nicolah palavra grega, que significa "vamos comer", como eles muitas vezes incentivados uns aos outros para comer coisas sacrificadas aos ídolos. Qualquer que seja a teoria é verdadeira, é certo que as obras dos nicolaítas eram uma abominação a Cristo. Eles, como os gnósticos e outros falsos mestres, abusaram da doutrina da graça e tentaram introduzir licenciosidade em seu lugar (2 Pedro 2:15, 19; Judas 1:4).

Jesus elogia a igreja de Éfeso por odiar as obras dos nicolaítas, como ele faz (Apocalipse 2:6). Sem dúvida, os líderes da igreja de Éfeso protegeram o seu rebanho a partir dessas heresias destruidoras e evitaram que  as suas pessoas  cometessem os mesmos atos malignos. Todo o pecado é odioso a Cristo, como deve ser aos Seus seguidores, como odeio obras dos homens maus, e não os próprios homens. Para a igreja de Pérgamo, Jesus não tinha elogios, mas censura. Ao contrário de Efésios, que realmente abraçou os ensinamentos dos nicolaítas (Apocalipse 2:15). Jesus adverte que se não se arrependerem, eles estão em perigo de o julgamento que é certo para cair sobre aqueles que ensinam falsa doutrina, atacar Sua Igreja, e destruir Seu povo. A espada do julgamento está pairando sobre suas cabeças, e sua paciência não é ilimitada (Apocalipse 2:16; 19:15).

A lição para nós é que a igreja do Senhor Jesus ao longo dos tempos tem sido assolado por aqueles de espírito nicolaíta. A única maneira de reconhecer o falso ensino é estar intimamente familiarizado com a Verdade através do estudo diligente da Palavra de Deus.
(2) Esmirna (Apocalipse 2:8-11) - a igreja que sofreria perseguição (2:10). 


Tanto Esmirna como  Filadélfia estão cercadas por aqueles que afirmam ser cristãos, mas não são. Porque Smyrna é  mais verdadeiramente justa do que algumas outras igrejsa do fim dos tempos, Satanás odeia e traz pesada perseguição religiosa sobre eles. Eles podem ser alguns daqueles citados  em Daniel 11 que mostram força diante de tanta perseguição e "realizam grandes façanhas."


Smyrna sofre perseguição por dez dias. Quanto tempo é esse? apocalipse 2:10 ; Daniel 1:12 , 14; Números 14:34 ; João 16:33 .
Daniel e seus companheiros comeram vegetais durante dez dias literais, então talvez esta perseguição durará dez dias também. Por outro lado, Deus às vezes usa um dia para representar um ano, talvez por isso Smyrna terá de enfrentar dez anos de perseguição. Daniel 11:32-35 indica "muitos dias", "alguns dias" (A Bíblia enfatiza) ou "para alguns tempo "(The New American Bible). Os comentários dizem que ele poderia ser metafórico, significando "um curto espaço de tempo." Nesse caso, devemos esperar o melhor e se preparar para o pior! Jesus diz que aqueles que são Dele vai sofrer perseguição, mas não devemos temer, pois Ele venceu o mundo . Ele vai nos ver através dele.

A Pedra Branca Ap 2:17


O significado da pedra branca é um mistério para os estudiosos da Bíblia. No entanto, várias interpretações foram oferecidas:

• Na Grécia antiga, os membros do júri lançariam uma pedra branca para significar uma absolvição, enquanto uma pedra negra proclamava o réu culpado. A fraqueza dessa interpretação é que as pedras lançadas nos tribunais não têm nomes inscritos nelas.
• Um pequeno objeto chamado de "tessera", feito de madeira, pedra, barro ou osso, transmitia privilégios especiais para seu proprietário. Os antigos romanos usavam ​​tesselas como fichas de admissão para eventos na arena. No entanto, tesselas não tem que ser de cor branca, e a durabilidade dos materiais utilizados, é questionável.
• Uma pedra branca era freqüentemente usada como um amuleto ou encanto. No entanto, este costume foi associado com feitiçaria, por isso seria estranho se a Bíblia usasse como um símbolo de salvação.
• Outra interpretação tem a ver com o material de construção usado durante o tempo em que João escreveu o apocalipse. Edifícios importantes foram feitos geralmente de mármore branco, incluindo o templo de Esculápio em Pérgamo (a cidade da igrejaa que Jesus está se dirigindo em apocalipse 2:17). Em frente ao templo, foram feitos  pilares de mármore branco, gravados com os nomes das pessoas supostamente curadas pelo Deus.
• Uma das explicações mais aceitas da pedra branca tem a ver com peitoral do sumo sacerdote, que continha doze pedras. Cada uma dessas pedras tinha o nome de uma das doze tribos de Israel gravado nele (Êxodo 28:21). Como ele ministrava no templo, o sumo sacerdote trazia os nomes do povo de Deus na presença de Deus. Da mesma forma, a "pedra branca" com o nome do crente escrito por ele poderia ser uma referência a nossa posição na presença de Deus.
• Outra explicação difundida sugere que a pedra branca pode ser uma pedra translúcida precioso como um diamante. A palavra traduzida como "branco" em apocalipse 2:17 é leukos e também pode significar "brilhante, brilhante." Esta interpretação sustenta que na pedra está escrito o nome de Cristo, não o nome do crente. apocalipse menciona que o nome de Cristo está escrito na testa dos santos (Apocalipse 3:12, apocalipse 14:1, e apocalipse 14:20).
O melhor sentido da pedra branca, provavelmente tem a ver com o antigo costume romano de concessão de pedras brancas para os vencedores de jogos atléticos. O vencedor de um concurso era premiado com uma pedra branca com seu nome inscrito nele. Isso serviu como seu "bilhete" para um banquete de premiação especial. Segundo essa visão, Jesus promete a entrada de vencedores para a comemoração de vitória eterna no céu. O "novo nome" provavelmente se refere ao trabalho do Espírito Santo de conformar os crentes à santidade de Cristo (veja Romanos 8:29, 3:10 Colossenses).
(3) Pérgamo (Apocalipse 2:12-17) - a igreja que precisava se arrepender (2:16). Onde estava o trono de Satanás?

O Altar de Pérgamo é uma estrutura maciça originalmente construído no século 2 aC, na antiga cidade grega de Pergamon. O templo foi dedicado ao deus grego Zeus. O Altar de Pérgamo,  fora do Império Otomano. A partir do local da escavação original, o líder da equipe alemã arqueológico por Carl Humann, e reconstruíu o Museu Pergamon em Berlim, no século 19, onde pode ser visto ao lado de outras estruturas monumentais como o Porta de Ishtar da Babilônia. 

O altar tem um medidor de 113 (371 pés) friso escultórico representando a longo gigantomaquia, ou a luta dos deuses e os gigantes. Na mitologia grega, os Gigantes eram  filhos de Ge (a mãe Terra primordial), que foi fertilizado pelo sangue de Urano e resultou de sua castração por Cronos.
Hitler e o altar de Zeus

Um arqueólogo alemão Carl Humann, começaram a escavar o altar em Sept.9, 1878. O altar voltou à Alemanha e foi reconstruído. Kaiser Wilhelm II celebrou a sua edificação em Berlim, em 1902. Em 1933, Adolph Hitler foi eleito chanceler da Alemanha. Em 1934 ele tornou-se ditador e ordenou a construção da Tribuna no Zeppelin Field, em Nuremberg para seus comícios nazistas.

O arquitecto, Albert Speer, usou o Altar de Pérgamo como o modelo para o Zeppelintribüne. O Púlpito do Führer estava no centro da tribuna, que foi construído de 1934-1937 por Adolph Hitler.

(4) Tiatira (Apocalipse 2:18-29) - a igreja que tinha uma falsa profetisa Jezebel (2:20). 


Você já ouviu falar de alguém que vivia em Tiatira?. Em Atos 16:14 uma senhora chamada Lídia morava lá. Ela era uma vendedora de púrpura, um pano roxo que foi tingido de púrpura. Tiatira era o centro de uma indústria de tingimento.  Muitos dos primeiros cristãos lá estavam no negócio de tingimento.

A maior fonte de lucro em Tiatira era um corante vermelho brilhante que os antigos chamavam de roxo. Na verdade, não era púrpura, era vermelho, vermelho brilhante. Tintureiros comerciais de produtos de lã naqueles dias eram membros de associações comerciais. Isto expõe um problema para os cristãos - Também  de hoje que se juntam a alguns sindicatos.
As associações de comércio adiantados em Tiatira realizavam refeições comuns em um templo pagão e comiam comida que havia sido oferecida aos ídolos. Será que você come a comida que havia sido oferecida aos ídolos? Não, se você é um cristão verdadeiro,  porque é descrito em muitos lugares na Bíblia que não devemos fazer isso. Nessas grandes corporações comerciais, houve alegria e embriaguez e todos os tipos de coisas. Uma mulher chamada Jezabel foi encorajar os cristãos a ir em frente e se juntar a esses sindicatos,  ir em frente e assistir a estas festas. Porque o Senhor o protegeria de danos espirituais de qualquer maneira. Então, comer beber e ser feliz é o que  tem que ser feito para ganhar a vida. Jesus descreve o problema de Jezabel em apocalipse 2:20 "No entanto, tenho contra ti. Que toleras Jezabel, que se chama profetisa Com os seus ensinos, ela induz os meus servos à imoralidade sexual ea comerem alimentos sacrificados aos ídolos. .
Aparentemente, a maioria da igreja tolerava ou permitia as  heresias de Jezabel. Que cor Jezebel vestia? Vermelho. É interessante não é? A cor de  Thyatira. O traje desta igreja apóstata.
Apocalipse 2:21,22. "E dei-lhe tempo para se arrepender (Deus é paciente.) De sua imoralidade, mas ela não está disposta. Assim que a porei numa cama de sofrimento, e eu farei aqueles que cometem adultério com ela sofrer intensamente, a menos que se arrependam de suas formas."
O julgamento trata da líder, Jezebel, e depois para os seus seguidores. Seus seguidores ainda podem se arrepender, mas seu destino está selado. O castigo de Jezabel se encaixa com o seu crime. Sua cama era um lugar de imoralidade e ela sofre condignamente. O pecado paga de acordo com nossas ações.
Talvez Jezebel fosse um membro da igreja. Líderes talentosos ainda podem enganar. Ela se chamava uma profetisa. Uma mulher pode ser profeta? Absolutamente! A Bíblia descreve oito senhoras diferentes que eram profetisas verdadeiras de Deus. Êxodo 15:20, Juízes 4:4, II Reis 22:14, Lucas 2:36 e Atos 21:9. Mas, considerando a condenação de Jesus a Jezabel,  sabemos que ela era um falso profeta. 

(5) Sardes (Apocalipse 3:1-6) - a igreja que tinha adormecido (3:2). 


Sardes era uma cidade situada no sopé do Monte Tmolus. Foi a capital do antigo reino da Lídia no século 7 aC e tornou-se uma importante cidade depois que foi conquistada por Ciro, o Grande no século 6 aC. No primeiro século dC Sardes tinha passado para as mãos dos romanos.

Apesar de um terremoto destruir Sardes em 17 dC, a cidade foi rapidamente reconstruída. Sardes  acreditava ter sido a primeira cidade em que  foi convertida pela pregação do apóstolo João. Ela também pode ter sido a primeira cidade em que se rebelaram contra o cristianismo e uma dos primeiras que foi colocada em  ruínas.
Os habitantes de Sardes tinham  má reputação entre os antigos pelos seus modos voluptuosos da vida. Pode ser uma alusão a este fato a mensagem de Deus para a igreja quando ele diz: "Você tem alguns nomes, mesmo em Sardes que não contaminaram suas vestes;" (Apocalipse 3:4).

(6) Filadélfia (Apocalipse 3:7-13) - a igreja que tinha sofrido pacientemente (3:10).


A igreja em Filadélfia (3:7-13) situou-se em um importante entroncamento da estrada que corria pós imperial de Roma através de Trôade , Pérgamo e Sardes  até Tarso ao Oriente. Eles tinham uma porta aberta através da qual a compartilhavam o Evangelho.

Mas aqui também existia a sinagoga de Satanás contra os crentes. Embora nenhuma evidência arqueológica para uma sinagoga tenha sido encontrada, uma inscrição do terceiro século foi encontrada a 10 quilômetros a leste da cidade mencionando uma "sinagoga dos hebreus". Filadélfia foi localizado em uma região propensa a terremotos chamado Catacecaumene.
Ambos Sardes e Filadélfia foram devastadas por terremotos em 17 dC. Templos asiáticos foram construídos para resistir a terremotos severos. Suas bases foram lançadas em leitos de carvão coberto com velo de lã, que causaram a estrutura para "flutuar" sobre o solo como uma jangada. Cada bloco foi unido a outro por cólicas de metal, de modo que a plataforma era uma unidade.
O templo seria a estrutura mais segura na cidade, daí a promessa de ser um pilar no templo de Deus . Pilares inscritos são encontrados em todo Egeu da Turquia. Um exemplo dramático é o templo de Zeus em Euromos com inscrições dedicatórias em dez dos onze pilares em pé. Jesus vai escrever nomes divinos, bem como o seu novo nome sobre os humanos pilares .
Porque guardaste a minha mensagem de resistência, eu vou mantê-lo seguro na hora da provação que há de vir ao mundo inteiro para testar habitantes da terra. Eu venho sem demora. Retende o que você tem, de modo que ninguém pode tirar sua coroa.Ap 3:10,11

(7) Laodicéia (Apocalipse 3:14-22) - a igreja com a fé morna (3:16). 


Rev 3:15 Conheço as tuas obras, que nem és frio nem quente: Quem dera fosses frio ou quente.

Muito é dito pelo  fato de que havia fontes de água quente na área. Talvez esta é realmente uma referência às águas termais em Laodicéia, mas independentemente disso, ainda podemos inferir uma verdade espiritual. Água fria traz refresco, e água quente pode trazer limpeza, mas muito poucos de nós em qualquer sociedade tem muito uso de água morna. Espiritualmente falando, parece que aqueles que são como "brasas" e queimam com paixão por Jesus Cristo podem  trazer mudança para que os rodeiam. Conseqüentemente, aqueles que são frios são mais aptos a reagirem quando entram em contato com o calor e a luz. Aqueles que são morna ou "meio da estrada" são menos propensos a afetar ou ser afetado por nenhum dos grupos. Parece que é mais fácil obter um indivíduo "frio" (alguém claramente fora de comunhão com Deus) para reconhecer o seu / sua necessidade de arrependimento, mas é muito difícil conseguir uma pessoa morna para assumir a responsabilidade por suas ações. Cristo nos disse que "o sal é bom", mas se o sal perder o que é saborear, é bom para nada!
Apocalipse 3:16 Assim, porque és morno, nem frio nem quente, vomitar-te eu vou sair da minha boca
A condição espiritual morna é uma abominação para um Deus santo. Como podemos ser tão apáticos quando Cristo fez grandes coisas por nós? Como escaparemos nós, se nós "negligênciarmos tão grande salvação" que Jesus nos proporcionou? Aqueles que optarem por ser indiferente aos mandamentos de Cristo e ainda assim permanecer "no banco de igreja" fazê-lo em seu próprio risco. Vemos que, talvez, o maior perigo reside em um tipo de "medíocre" da fé. Infelizmente esta é a condição predominante nestes últimos dias. Encontramos (especialmente no Ocidente) onde quase todo mundo diz ser um "cristão". A maioria das pessoas baseiam essa profissão não no fato de que eles realmente se arrependeram de seus pecados e nasceram de novo, mas sim por causa da falta de lógica, como "Eu sou um membro de tal e tal igreja", ou "eu fui criado em um lar cristão ", ou" Eu fui batizado quando criança. "
É muito difícil estabelecer uma nítida distinção entre a igreja e o mundo nestes últimos dias. Paulo advertiu a Timóteo que nos últimos dias a igreja estaria infectado com aqueles que "têm uma forma de piedade, mas negando a eficácia dela ... Destes afasta-te." Muito do que passa para o cristianismo, não é nada mais do que "psicologia pop" ou pensamento positivo. O destino da morna é realmente um ser terrível, vomitado da boca de Deus. Alguns advertem contra a leitura para muito sobre a natureza antropomórfica de frases como "ponto de vomitar-te da minha boca", mas uma coisa a considerar  como alguém pode ser expulso se eles nunca foram inclusos, em primeiro lugar. Estas são coisas para considerar em espírito de oração, de fato!

domingo, 4 de fevereiro de 2018

Como Deus faz com um vaso

Quero através desse estudo, fazer uma comparação, em como Deus faz um vaso em suas mãos, todo processo é muito doído.

Para isso vamos analisar Jeremias 18.1-6


Lendo essa palavra podemos colocar aqui quatro passos para ser fazer um vaso, e com certeza essa vai ser uma mensagem de impacto em sua vida, pois você vai ver como Deus está fazendo com muitas pessoas, e creio que está fazendo com você também. Deus tem um jeito todo especial para moldar o caráter daqueles que ele escolheu para fazer sua obra, e daqueles que o aceitarem como salvador de suas vidas, e quero mostrar nesse estudo como não é fácil ser moldado por Deus, é nesse momento em que Deus começa a moldar os vasos que muito que acham que servir a Deus é fácil, outros que se intitulam pastores, presbíteros, diáconos, obreiros e etc.…, acabam parando no meio do caminho, ou até mesmo desistindo de tudo, saindo dos caminhos do senhor, infelizmente é isso que muitas vezes acontecem, e nós paramos e pensamos que muitas vezes foi satanás que fez o servo de Deus cair, desistir, desanimar, mas às vezes é porque ele não quis ser moldado por Deus. Mas quero dizer que isso só acontece com aqueles que não estão estruturados na palavra de Deus, que acham que é fácil seguir o caminho estreito. Se segura que Deus vai falar com você através desta palavra com certeza.

Como eu disse no começo, são apenas quatro passos para se fazer um vaso.

1º- passo: A separação do barro, ou a escolha do barro

Pois se você não sabia existem aproximadamente duzentos tipos de barro, Alguns tipos de barro podem ser encontrados a céu aberto e outros em minas subterrâneas. Há o barro magro que parte com facilidade quando trabalhado, e o barro gordo que possui mais maleabilidade e plasticidade. O barro precisa ser úmido e maleável (fácil de trabalhar, não pode ser duro). Mas somente oito tipos é que pode ser usado na confecção do mesmo, sabe o que isso significa? Dentre tantos; Deus te escolheu (você é barro bom). Não importa se na escalada social você está em baixo ou em cima; Deus vai trabalhar em você! Se seu barro é magro (fraco, sem liga) o Espírito Santo vai interligar suas fraquezas com o poder de Deus e vai torná-lo material de primeira linha para a olaria de Jeová. Se você foi escolhido por Deus, você é um barro especial. Quando o oleiro vai se preparar para fazer um vaso de barro, (oleiro: aquela pessoa que trabalha na fabricação de artigos de barro), a primeira coisa que ele faz é separar o barro, assim Deus faz em nossa vida, nos separa primeiro, pois como disse tem apenas oito tipos de barro para se fabricar vaso, depois de separado ele começa a amassar o barro bem devagarzinho, depois deixa por um momento e vem ver a consistência, e amassa mais um pouquinho, e vai amassando até ter uma consistência ideal para ir para o 2º passo. Assim Deus faz com cada um de nós, primeiro ele nos tira do lamaçal do pecado, de um tremedal da lama, e começa a amassar nossas vidas, mas porque amassar? É nesse processo que ele vai tirando todas as impurezas que tem em nossas vidas, pois o barro quando tirado, traz consigo impurezas da terra, e nós quando estávamos no mundo, e quando fomos resgatados de lá, trouxemos conosco uma gama de impurezas, muita lascívia, prostituição, magoas, ódio, rancores, maldições hereditárias, e muitas outras coisas, que até mesmo nos envergonhamos da falar.

E assim vai Deus com sua tarefa, de tirar e separar todas as impurezas de nossa vida, e é nesse momento que muitos que se dizem crente, param no meio do caminho, pois não deixam o senhor Jesus tirar e limpar as impurezas de suas vidas, e quer ficar na igreja como vieram do mundo, cheios de sujeira, e ainda por cima querem trabalhar na obra de Deus, e quando Deus vai amassá-los para separar a sujeira, caem fora, não deixam o senhor Jesus fazer a obra completa, e tenho certeza que você já viu muitos assim, querem crescer espiritualmente, mas não se deixam moldar por Jesus, não querem passar pelo primeiro processo, que é a separação, mas se você que está lendo essa mensagem ainda não passou por esse momento, hoje pode ser o momento em que Deus vai tirar toda a sujeira que ainda existe em você, pois assim ele pode usar você de uma forma tremenda e sobre natural na sua vida.

2º- passo: o curtimento e pisamento.

É nesse momento que dói muito em nós, pois Deus primeiro nos deixa para o curtimento. E o que é curtimento? É o lugar onde o barro fica por um determinado tempo para criar consistência, Deus também nos deixa num cantinho para adquirirmos consistência, e parece que só fala com todos e ouve todos, menos a nós mesmo. É um momento muito difícil, pois ficamos que jogados pra escanteio, mas eu quero lhe dizer que não estamos jogados, é preciso passar pelo processo do curtimento, pois é nesse momento que adquirimos mais liga, que refletimos mais sobre nossa vida, e quanto maior a obra de Deus para nossa vida, mais tempo vamos passar no curtimento, pois assim adquirimos mais resistência para ir à obra, pois nesse passo Deus está avaliando você, pra ver se você tem capacidade para fazer a obra que ele tem preparado para você, pois você conseguiu passar pelo primeiro processo, e terá que passar pelo segundo passo, no curtimento ninguém nos ouve, somos deixados sempre de lado, não temos valor nenhum para o homem, mas para Deus somos mais que valiosos, pois quando estamos no curtimento, estamos sendo preparados para ser usado por ele, pois ainda estamos frágil, fracos para encarar a obra, mas nesse momento Deus está à observar você, vendo como se comporta no curtimento, pra ver se o barro não quebra, se corrompe com o ar que se forma dentro do barro, é nesse momento que você pensa que Deus esqueceu de você, mas ele não esqueceu não, pois quanto maior for o vaso, mais tempo de curtimento, aleluia, quanto maior a obra em sua vida, mais tempo terá que passar no curtimento.

Depois do curtimento vem o pisamento, é nesse momento que tem que tirar todo o ar existente no barro. Deus também nesse processo permite que você seja humilhado, pisado, até mesmo pelos seus. Deus permite sermos pisados, pois todo ar do nosso orgulho, vaidade, autoconfiança, o eu, egoísmo, vai saindo e ficando um barro puro, e Deus quer vasos puros na obra dele, vasos sem ar, resistente, que possam agüentar o trabalhar, vasos que sejam usados e aprovados. Nesse momento é doído, porque não queremos deixar nosso eu sair, nossa vaidade, nosso ego, não me toque que eu sou o tal, mas Deus muda tudo isso, tira todo ar de nossas vidas, aleluia, e muitos não conseguem passar por esse processo, pois o processo de limpeza e curtimento é doído demais, é somente os valentes que passam, e muitos se dizem valentes, mas no fundo são covardes, pois não conseguem passar pelo pisamento, não se deixam ser tirados o ar de sua vida, ar impuro, querem continuar com as impurezas em suas vidas.

3º passo: o molde.

Que processo mais difícil esse. Assim que você conseguiu passar pelo 2º processo, o curtimento e pisamento, vem a parte da modelagem, é onde o oleiro pega o barro e começa a moldar com suas mãos bem preparadas e calmas.

Nesse processo Deus também nos pega e começa a nos moldar.

Primeiro vem o molde por fora, é onde muitos não querem ser moldados por fora, onde Deus pega e começa a trabalhar em nossa vida, nosso caminhar, alias tem crentes que mesmo depois de convertidos andam com cada tipo de pessoas, que temos até vergonha de falar que ele é de nossa igreja, o jeito de falar ainda não mudou, falam como se estivessem ainda no mundo, somente palavras obscenas, vivem amaldiçoando as pessoas, e em todo lugar que vão é só gritaria, blasfêmias, tem uma língua mais comprida que a gravata do pastor, parecem maritacas antes da chuva, vivem na fofoca, falando mal dos irmãos e de todos, nosso jeito de se vestir, alias tem umas irmãs que ainda não conseguiram passar por esse processo, vem com cada tipo de roupas na igreja que misericórdia, o pastor passa apurado para pregar, tem que ficar de olhos fechados, e a igreja pensa que ele esta na unção, mas é para não ver o jeito que as irmãs sentam em frente dele, tem alguns irmão que ainda não aprenderam a se vestir corretamente, colocam cada tipo de roupas, querem ser como estavam no mundo, e todo sensual, mas Deus nesse processo começa a moldar esse tipo de comportamento, pois o oleiro tem que deixar o vaso bem bonito, senão ninguém se interessa por ele, e quantos estão assim dentro da igreja, não se querem ser moldados por fora, querem continuar do mesmo jeito do mundo, mas Deus quando pega nada escapa, nada.

Depois de ser moldado por fora vem por dentro, ah! É nesse processo que dói, pois nesse processo Deus mexe no coração da pessoa, e muitos não gostam que mexem no coração. Deus tira todo o rancor, toda mágoa, toda falta de perdão, arranca tudo que impede do vaso ser usado por ele, é um processo muito doido, pois Deus mexe no profundo da alma, curando, libertando, limpando todas as impurezas, e muitos não suportam esse processo, fogem logo no começo do processo, é por isso que tem crentes que quando Deus começa a modelagem saem da presença dele, pois muitos não querem se deixar ser moldados, e Deus precisa moldar muitos crentes por dentro, pois muitos estão em cima de púlpitos com o coração cheios de ódio, raiva, rancor, com remorso, não conseguiu liberar perdão, tristeza, ressentimento, e ainda querem ser usado por Deus, mas como?! Se eles não se deixam ser moldados por dentro, e o homem fala do que está cheio o coração, como você vai conseguir ouvir uma boa mensagem, se aquele vaso não está moldado ainda por dentro, e se você ainda não deixou Deus moldar você por dentro, hoje pode ser o dia, e só você deixar Deus agir e cumprir as promessas em suas vidas, depois dessa mensagem eu creio que você vai deixar Deus moldar você, e seu ministério vai crescer de uma forma tremenda, muitas bênçãos vão ser derramadas em sua vida, aleluia! Glória a Deus.

4º passo: o fogo.

Esse é o processo mais difícil da vida de um crente, muitos não conseguiram ainda passar pelo fogo, e têm muitos que nem conseguiram passar pelo primeiro processo, quanto mais chegar nesse processo. É onde o oleiro coloca o vaso no fogo, pois através do fogo ele fica resistente e pronto para ser usado. E quantas vezes somos provados a fogo, todos os dias em nossa vida, precisamos passar pela fornalha de Deus, pois nesse processo Deus testa nossa fé, pois para sermos vasos preciosos temos que passar pelo fogo, pois no fogo o vaso fica pronto para ser usado, ele cria resistência e fica puro, pronto para ser usado, como Daniel passou pelo fogo e foi aprovado por Deus, é assim nos dias de hoje, crente tem que viver no fogo do Espírito, enquanto temos crentes que só vivem no fogo da carne, temos que buscar mais e cada vez mais a presença do Espírito Santo em nossas vidas, é no fogo que ficamos mais resistentes, mais fortes para a obra, e muitos não querem nem saber do fogo de Jeová, quando Deus quer derramar fogo eles caem fora, pois tem medo de serem queimados pela gloria, pois suas vidas está só que pecados, porque depois do fogo, vem o descanso e o vaso está pronto para ser usado, e na vida do crente é o mesmo, depois das provas vem o processo de ser usado por Deus, ele nos enche com o Espírito Santo, com óleo puro, bálsamo de Gileade é derramado em nossas vidas, somos usados a cada dia que passa, depois de todos esses processos, estamos prontos para sermos usado por Deus, vidas vão ser curadas, libertadas, restauradas, através de nossa vida, você vai se maravilhar como Deus vai te usar muito mais do que ele usa, e ai você vai ver as bênçãos de Deus serem derramadas sobre tua vida, tua igreja, tua família, e tudo o que for fazer vai prosperar, pois Deus está te capacitando, te enchendo do fogo do Espírito Santo.

Você está pronto para passar por esses processos em sua vida, recomeçar uma nova vida nas mãos do oleiro? Você realmente se deixaria ser moldado por Deus novamente? Pois nós crentes temos que ser moldados todos os dias por Deus.

Analisando esses processos cheguei a uma conclusão do porque muitos se afastam dos caminhos do senhor, não conseguem chegar ao final da caminhada, até tentam, mas ficam no meio do caminho. Tudo isso porque não se querem deixar serem moldados pelo oleiro Jeová.

E você, já deixou Deus moldar sua vida por completo? Ou está com medo do primeiro processo? Ou não consegue passar pelo segundo? Ou encravou no terceiro? Ou o quarto está doido demais?

Que você possa meditar nessas palavras, e com certeza você vai sentir Deus fazendo um vaso muito valoroso em você, pois ele quer fazer a obra completa em sua vida, e te usar de uma forma tremenda, gloria a Deus, aleluuuiiaaa!

Lembre-se, se deixe passar por esses processos em sua vida, e Deus vai surpreender você nesse ano, no nome de Jesus.

Que todos fiquem na paz do senhor Jesus, e pensem muito nessas palavras, que vieram do coração de Deus para nossos corações.

Aleluia.

sábado, 3 de fevereiro de 2018

Crentes Que Bebem?

“O vinho é escarnecedor, e a bebida forte, alvoroçadora; todo aquele que por eles é vencido não é sábio” (Provérbios 20:1).


         O país está rapidamente se tornando uma sociedade encharcada de álcool e com muita gente intoxicada. O álcool agora é o bezerro de ouro moderno, e milhões de pessoas jovens ou velhas, homens ou mulheres, foram seduzidas por ele.
         Os abstêmios, os que apoiam a lei proibindo a venda de bebidas alcoólicas, e todos os demais que durante anos combateram este dilúvio de bebedeira se tornaram objeto incomparável de riso.
         Nós, modernos e liberais resolvemos que beber está na moda. Agora, beber socialmente é considerado sofisticado, urbano, pra frente. Experimente dizer “Não” à aeromoça que fica forçando drinks desde que você entra até que desça do avião. “O que o senhor quer dizer, não aceita drinks?” Ela olha como se você fosse um maluco por recusar bebidas grátis.
         Hoje em dia as pessoas se ofendem quando você recusa seu convite para um gole. Elas tentam lhe deixar com a impressão de ser inamistoso por não acompanhá-las, ou que você está querendo se mostrar “santinho”.
“Não estejas entre os bebedores de vinho...” (Provérbios 23:20).

        Para mim, a tragédia maior é que tantos assim chamados “cristãos” agora estão bebendo. Eu os chamo de “crentes que bebem um golinho”, porque é assim que começa - um gole de cada vez.
         A atitude permissiva para com o beber socialmente está rapidamente se infiltrando até mesmo dentro dos círculos mais conservadores das igrejas evangélicas.
“Liras e harpas, tamboris e flautas e vinho há nos seus banquetes; porém não consideram os feitos do Senhor, nem olham para as obras das suas mãos” (Isaías 5:12).

        O profeta Isaías tem uma mensagem para todo o movimento carismático - seja nos círculos católicos ou protestantes.
“...o meu povo será levado cativo, por falta de entendimento...Mas o Senhor dos Exércitos é exaltado em juízo; e Deus, o Santo, é santificado em justiça” (Isaías 5:13,16).

O profeta Oséias diz: “...o vinho e o mosto tiram o entendimento” (Oséias 4:11).

        Isto sugere que os santos que bebem um gole têm corações divididos.
         As pessoas cheias do Espírito reivindicam “sacerdócio real” junto ao Senhor. A Bíblia enfaticamente declara:
“Não é próprio dos reis beber vinho, nem dos príncipes desejar bebida forte. Para que não bebam, e se esqueçam da lei...” (Provérbios 31:6).

        Uma senhora cristã me escreveu dizendo:
         “Somos cristãos que freqüentam muito a igreja. Amamos o Senhor e não vemos absolutamente nada de mal em servir vinho em casa. Bebemos com moderação, e nossos filhos estão aprendendo a beber sob nossa supervisão. Eles não exageram. Nunca vimos ninguém bêbado em casa.”
         “O senhor está simplesmente nos fazendo sentir culpados, empurrando essa sua ética fundamentalista para cima da gente. Não fomos educados em baixo de tabus legalistas como o senhor certamente foi. Francamente, senhor, os nossos hábitos de bebida não lhe interessam.”
         Que Deus abençoe esta prezada senhora. Isso começa a ser problema meu quando estes adolescentes saem com os amigos e ficam bêbados.
         Conheci há pouco tempo uma jovem estudante, uma alcoólatra convertida, que me disse como virou beberrona. Os pais lhe ensinaram como beber com moderação. Em festas, aniversários, e quando chegava visita, todo mundo tomava um drink social. Era servido às refeições. Ela admirava e amava os pais. Eles rejeitavam as bebedeiras, porém tinham um bar em casa.
         Esta jovem começou a ir às festinhas de adolescentes e a beber socialmente com a turma. Isso a levou a beber nos clubes.Por fim, com o acúmulo dos problemas, passou a depender violentamente do vinho. Ela acabou numa instituição mental, como alcoólatra consumada. Quantas, quantas vezes ouvi isso: “Meus pais eram considerados bons cristãos. Iam à igreja. Mas sempre servimos vinho ou cerveja em casa. Meu irmão mais velho bebia moderadamente e era o meu herói. Eu bebia para ser igual aos meus pais e ao meu irmão mais velho, mas não conseguia. Mas me fizeram achar que bebida era uma coisa que as pessoas de bem usam.”
         Será que sou preconceituoso? Cabeça muito pequena nesta área? Claro que sim!
         Já ouvi todas as desculpas para a bebida e não posso aceitar nenhuma delas. Põem a culpa na água impura.
         Fico profundamente irritado com os cristãos que bebem, devido ao terrível exemplo que dão para os jovens! O país agora enfrenta uma praga de bebida no meio dos jovens. Hoje as duas palavras mais populares na escola são “zoar e beber.” O álcool está se disseminando em nossas escolas como um incêndio sem controle.
         Esta explosão de bebida que assola o país me dá medo. Eles agora bebem porque acham que o álcool não os vai “enterrar” como as drogas! A bebida agora é a “maconha líquida” preferida. Em toda parte onde se vêem os adolescentes se embriagando, eles dizem: “Agora não tem polícia, pais ou políticos que possam encrencar com a gente - porque todos também estão fazendo isso. Finalmente achamos uma coisa legal que não leva a gente pra cadeia!”
         Não quero entrar naquela velha discussão em relação à Bíblia e o vinho fermentado em contraposição ao suco de uva. Mas quanto mais vejo estes jovens estourados, arrebentados, desesperadamente afundados na bebida - mais fico convencido que Jesus não enganou aquela multidão nas bodas de Canaã, servindo a mesma coisa que está destruindo os nossos jovens hoje.
         Cristo veio para cumprir a lei! A lei diz: “O vinho é escarnecedor...todo aquele que por ele é vencido não é sábio”. Cristo foi ludibriado? Será que Ele serviria uma bebida que levaria um homem saído da festa a bater na esposa? E no tribunal seria perguntado a este homem: “Como você ficou tão embriagado?” E o condenado responderia: “Fui à uma festa de casamento. Jesus de Nazaré serviu uma bebida muito forte. Ele me deixou bêbado.”
         Não consigo conceber a idéia de que Jesus decepcionaria aquela multidão, e serviria uma bebida que poderia levar ao mau se tomada em exagero. Creio que o elixir que Jesus serviu foi o puro suco da vinha - um ponche sobrenatural tão cheio da combinação genuína da natureza, que foi uma transformação única e recebida com prazer! Será que Jesus adicionaria conteúdo alcoólico à Sua bebida sobrenatural e a tornaria a “número um” quando a lei diz:
“Não olhes para o vinho, quando se mostra vermelho, quando resplandece no copo e se escoa suavemente” (Prov. 23:31)

        Isso foi escrito por um rei que “se deu ao vinho” (v. Eclesiastes 2:3). E Jesus não iria nunca, nunca fazer com que os convidados se dessem ao vinho embriagante.
         Paulo também conhecia a lei. Ele respeitava a sabedoria de Salomão. Suco puro da uva é bom para a saúde! É nutriente. Mas o vinho fermentado não é mais nutritivo, segundo um médico amigo meu que já leu muito sobre o assunto. Como Paulo poderia recomendar a bebida de vinho alcoólico quando a lei que respeitava exortava: “Não estejas entre os bebedores de vinho...” ?
         Mas a questão real não é se o Novo Testamento se refere ou não a vinho fermentado ou a suco de uva. A questão real é o abuso que hoje prevalece tanto.
         Salomão tinha três mil esposas; uma vez Moisés autorizou o divórcio. Deus permitiu! Mas Deus não permite que Suas leis se tornem tão desmoralizadas e insultadas. Veja onde nossa permissividade nos levou: danceterias assim chamadas cristãs, servindo cerveja com dança de músicas cristãs. “Cristãos” rolando no rock, bebendo.

“Para que não bebam, e se esqueçam da lei...”

         Estamos esquecendo as leis de Deus, as próprias leis que Jesus disse ter vindo cumprir. Agora deixamos que uma sacerdotisa lésbica seja ordenada na igreja Episcopal. Os homossexuais não só exibem seu pecado, como ousadamente buscam reconhecimento e força dentro da igreja.
         Um milhão de divórcios novos este ano. Milhões de garotos vítimas de lares desfeitos. Danças com nus no santuário da igreja. Ministros liberais zombando dos antigos padrões sexuais bíblicos. Agora eles ensinam assim aos meninos: “A masturbação é um presente de Deus para aliviar a tensão.”
         Os cristãos bebem por causa da ignorância? Ninguém os confrontou com a Palavra de Deus? Será que estes novos convertidos do movimento de Jesus bebem para provar que são liberados e não estão sob a lei?
         Uma jovem senhora, membro de uma comunidade cristã de amor, disse: “Claro, nós todos bebemos. Jesus bebeu; Paulo bebeu! A Bíblia não deixa o assunto claro. Nossos líderes bebem com moderação. Todos são bons mestres bíblicos e viajam, falando nas reuniões dos jovens.” Sim - e sei que alguns deles também fumam. Eles misturam Jesus com rock pesado, e só Deus sabe até onde vão as concessões.
         Eles parecem achar que acrescentando a palavra “Jesus” à alguma coisa, a torna santificada e tudo bem.
         Você diz: “Não julgue, meu irmão! E a trave no seu olho?”
         Não sou o juiz de ninguém. Não me coloco como porta voz de nenhum grupo. Mas Paulo diz: “nós julgamos os aqui de dentro - Deus julga os lá de fora.”
         É hora de julgamento! É hora de todos os cristãos que bebem serem desafiados! É hora do Espírito Santo expor esta atitude frouxa e despreocupada de “liberou geral”. Se é errado para os meus queridos alcoólatras, viciados e prostitutas convertidos beberem mesmo que moderadamente, então é mortalmente errado que os cristãos amadurecidos bebam e lhes dêem um mau exemplo.
         E fico muito aborrecido e espiritualmente indignado quando os cristãos que bebem chegam para mim dizendo: “Ah, você é bem um santinho fundamentalista bitolado. Nós, cristãos modernos e liberais somos livres em Cristo. Não estamos embaixo da lei. Não vamos ficar presos por seus ataques à nossa liberdade.”
         Isso é uma ofensa à tudo em mim que aspira à piedade e à santidade. Isso é uma ofensa à todo recem-convertido a quem Deus trouxe convencimento a respeito do antigo hábito da bebida. E a Bíblia diz:
“Qualquer, porém, que fizer tropeçar a um destes pequeninos que crêem em mim, melhor lhe fora que se lhe pendurasse ao pescoço uma grande pedra de moinho, e fosse afogado na profundeza do mar. Ai do mundo, por causa dos escândalos; porque é inevitável que venham escândalos, mas ai do homem pelo qual vem o escândalo!” (Mateus 18:6-7).

        Recuso-me a ceder à crescente pressão do mundo - disfarçada de liberdade espiritual! O que aconteceu conosco, santos de Deus - que conseguimos ficar sentados sem tomar uma atitude, e não repreender estes princípios que corroem a moral tão depressa na casa de Deus?
         Creio na gratuidade da graça, mas não na licenciosidade. Creio na justiça imputada de Cristo, pela fé. Mas também creio que a santidade de Deus requer que “não toquemos o que é impuro.”
         Creio também que os pastores que fumam não estão sendo honestos com Deus. Estes “profetas da fumaça” recusam-se a praticar o que pregam. E pastores que bebem são uma acusação contra o nome e o poder de Deus.
         Não se trata de um esforço para condenar os verdadeiros ministros do evangelho. Mas como podemos nós, como ministros e pais pedir aos nossos filhos que parem de usar drogas e álcool, se não queremos limpar nossas próprias vidas - e dar o exemplo tornando-nos semelhantes a Cristo?
         Às vezes, só por um instante, fico pensando: “Talvez o errado seja eu. Talvez estes novos cristãos que se enfiam no rock, fumam, bebem, e que voltam aos seus antigos buracos para cantar, entreter, e representar - talvez eles tenham visto algo em Deus que eu ainda não vi. Talvez estas mudanças tão bruscas não sejam concessões, mas um sinal de maturidade e crescimento. Pode ser que eu seja muito antiquado, esteja muito por fora para reconhecer alguma coisa nova que Deus esteja fazendo.”
         Mas então começo a comparar o som estridente e agitado da música deles com antigos hinos como “Rocha Eterna” e “Santo, Santo, Santo.” E tenho vontade de chorar! Vejo-os voltando àqueles clubes enfumaçados para entreter a multidão de beberrões na pretensão de levá-los a Jesus, e aí os comparo aos milhões do povo de Deus ao longo dos séculos, desde os mártires até os viciados e bandidos de hoje, que se converteram e que abandonaram o mundo e tudo que está ligado a ele, para levar adiante a repreensão de Cristo. Começo a chorar pelos cristãos que fazem concessões. Sei que não estou errado.
         Oh meu irmão, não fique bravo comigo! Se você é um dos santos que bebem um golinho, não permita que sua mágoa ou raiva lhe roubem a verdade. Se você ficou ressentido por esta mensagem que prega a separação, é provavelmente porque Deus já lhe convenceu - e Ele agora está querendo que você desfrute de liberdade completa.
         Ore também para que Deus coloque no coração dos ministros por todo o país - se levantarem firmemente nos púlpitos contra esta insidiosa tendência.
         Ore por nossos adolescentes! As pressões que recebem para beber com a turma aumentam todo dia. Eles precisam ser encorajados a se levantar e resistir, para que não sejam atraídos para este rodamoinho da bebida.
          Mesmo que você não “sinta-se convencido” - abstenha-se pela simples mas poderosa razão de dar um exemplo para a juventude!

“Para quem são os ais? Para quem os pesares? Para quem, as rixas? Para quem, as queixas? Para quem, as feridas sem causa? E para quem, os olhos vermelhos? Para os que se demoram em beber vinho, para os que andam buscando bebida misturada. Não olhes para o vinho, quando se mostra vermelho, quando resplandece no copo e se escoa suavemente. Pois ao cabo morderá como a cobra e picará como o basilisco. Os teus olhos verão cousas esquisitas, e o teu coração falará perversidades” (Provérbios 23:29-33).

Jesus está voltando!

Nosso FACEBOOK

Seguidores

Páginas