My script

Siga-nos no Facebook

Nosso Instagram

Instagram

quinta-feira, 26 de outubro de 2017

Pensando no Outubro Rosa...

EM QUE CONSISTE A BELEZA DA MULHER

1 Pedro 3:3-4 “O enfeite delas não seja o exterior, no frisado dos cabelos, no uso de jóias de ouro, na compostura de vestes, mas o homem encoberto no coração, no incorruptível traje de um espírito manso e quieto, que é precioso diante de Deus.”

 Pedro exorta às mulheres:

1) A não exagerarem na aparência física (dando a ela mais valor que à beleza interior).

Pedro não está pregando contra batom, brincos nem penteados (note os enfeites nas noivas de Cristo e a de Isaque).

Ele está fazendo contraste entre beleza exterior e interior.

OBS.: É importante que a mulher se cuide, mesmo depois de casada. Há mulheres que não se cuidam depois que conseguem seu príncipe encantado. Não há desculpa para a mulher deixar de ser bonita (também) por fora.

Por que não fazer ginástica? Por que não cuidar do “templo do Espírito Santo”? A ginástica é boa para a saúde e para a beleza exterior.

2) A dar ênfase à beleza interior
Para Deus, a beleza interior é mais importante que a beleza exterior. Ele acha importante a mulher ter um espírito manso e tranqüilo. Isto é que realmente tem valor. A palavra traduzida por grande valor significa literalmente precioso.

Devemos encher nosso coração, nossa vida, com a Palavra de Deus. Por que?

a)    Ela vai deixar nosso interior “precioso” ao olhos do Pai;

b)    Ela vai torná-la “preciosa” ao olhos do seu marido;

c)    Ela vai torná-la aquela mulher “preciosa” que outras mulheres gostariam de ser.
Devemos gastar horas em oração, conversando com nosso Pai do Céu, pedindo que sejamos aquela mulher que Ele quer que sejamos, aquela mulher que agrade ao esposo que Ele lhe deu.

OBS.: A beleza interior é uma qualidade ou característica incorruptível.
beleza exterior ou aparência física é uma característica corruptível. Vestidos, jóias, beleza física, tudo isto passa, pois somos criaturas mortais; mas um espírito manso, amoroso, tranqüilo nunca perecerá.

Mansidão – Entregar todos os direitos a Deus pois, Jesus “quando ultrajado, não revidava com ultraje, quando maltratado não fazia ameaças, mas entregava-se àquele que julga retamente”.

Ex.: Muitas vezes eu digo: “Eu tenho meus direitos!” Entregue-os a Deus.

Pessoas de grande caráter – Têm controle de si mesmas, não entram em pânico, não se irritam, são mansas e tranqüilas. Uma mulher com estas características não deve ser considerada fraca mas sim uma mulher que confia no Senhor e sabe que o “coração do rei” está nas Suas mãos.

Quero ser uma mulher assim!

1)      Você já deu o primeiro passo: querer mudar.

2)      O segundo passo é saber que este processo de mudança dura uma vida inteira.
OBS.: Mudar a beleza exterior é coisa de minutos (para algumas são horas) mas para desenvolver uma beleza interior ou qualidades incorruptíveis é necessário toda uma vida.

3)      O terceiro passo, é submeter esta sua vontade à obra do Espírito Santo, pedindo a Deus que fale bem alto ao seu coração para que você possa desenvolver estas qualidades incorruptíveis.

OUTRO ASPECTO DA MULHER BONITA:

Obediência ao marido. I Pedro 3:5-6.

Obedecer é muito difícil para a mulher.

No grego, “obedecer” =  prestar atenção cuidadosa a alguém. Suprir as necessidades do outro.

Mulheres ativas de hoje em dia, envolvidas em atividades da sua igreja, na escola de seus filhos, no clube, deixam de atender às necessidades do seu lar, não têm nenhuma disposição para suprir as necessidades do marido. Se você suprir as necessidades do seu marido, será que ele vai se aproveitar disso? Veja a promessa de Deus: “praticando o bem e não temendo perturbação alguma”.  Deus honra quem obedece à Sua Palavra. Ele não permitirá que seu esposo se aproveite da situação.

OBS.: A mulher que age como as santas mulheres que esperavam em Deus, estando submissas a seus próprios maridos, é chamada filha de Sara.

Deus quer abençoar seu marido, seus filhos e muitas outras pessoas, através de sua beleza interior.

Todas as citações bíblicas são da ACF (Almeida Corrigida Fiel, da SBTB). Esta Bíblia e a ARC (excelente até a edição 1894, ainda aceitável nas edições da IBB/JUERP, desaconselhada na edição SBB-1995) são as únicas Bíblias impressas que o crente deve usar, pois são boas herdeiras da Bíblia da Reforma (Almeida 1681/1753), fielmente traduzida somente da Palavra de Deus infalivelmente preservada (e finalmente impressa, na Reforma, como o Textus Receptus).
                                                                                                            por: Valdenira Nunes de Menezes Silva

segunda-feira, 25 de setembro de 2017

Compreendendo a Profecia


Muitas pessoas crêem que a profecia bíblica é muito complexa para ser compreendida, então deveríamos apenas deixá-la com os "peritos". Mas a profecia pode ser facilmente – quem sabe devamos dizer prontamente – compreendida quando observada com um pouco de bom senso. A Bíblia não diz que Deus deu as profecias apenas para os teólogos e para os eruditos bíblicos, mas [revelou] "...aos seus servos as coisas que em breve devem acontecer..." (Apocalipse 1.1). Isso significa que você e eu podemos entender a Palavra Profética de Deus, e Deus espera que a estudemos porque Ele é o autor da profecia. Certamente devemos desejar ler o Seu Livro!

Entendendo a Profecia

A existência paralela da Igreja de Jesus Cristo e a preparação para o reino do Anticristo nesta terra são conceitos padrões pelos quais a profecia bíblica é compreendida.

A
profecia bíblica, muitas vezes, parece complicada porque deixamos de levar em conta o fato de que algumas partes das profecias já foram cumpridas, enquanto outras ainda estão por ser cumpridas no futuro.

Quando João Batista nasceu, por exemplo, seu pai proferiu
profecias específicas, das quais porções ainda não foram cumpridas até o dia de hoje: "Zacarias, seu pai, cheio do Espírito Santo, profetizou, dizendo: Bendito seja o Senhor, Deus de Israel, porque visitou e redimiu o seu povo, e nos suscitou plena e poderosa salvação na casa de Davi, seu servo, como prometera, desde a antigüidade, por boca dos seus santos profetas, para nos libertar dos nossos inimigos e das mãos de todos os que nos odeiam; para usar de misericórdia com os nossos pais e lembrar-se da sua santa aliança e do juramento que fez a Abraão, o nosso pai, de conceder-nos que, livres das mãos de inimigos, o adorássemos sem temor, em santidade e justiça perante ele, todos os nossos dias. Tu, menino, serás chamado profeta do Altíssimo, porque precederás o Senhor, preparando-lhe os caminhos, para dar ao seu povo conhecimento da salvação, no redimi-lo dos seus pecados" (Lucas 1.67-77).

Notamos que muitas partes dessa
profecia não foram cumpridas naquela época, nem se cumpriram até o dia de hoje. Vejamos alguns exemplos.

Inimigos de Israel

O versículo 71 diz que Israel se "...libertará dos nossos inimigos e das mãos de todos os que nos odeiam". Mas isso ainda não foi cumprido. Aliás, conforme revelam muitas fontes seguras, o anti-semitismo está até aumentando. Veja alguns relatos da mídia:

Os incidentes anti-semitas nos Estados Unidos aumentaram 8% em 1993, havendo um grande crescimento de ataques e ameaças, informou a Liga Anti-Difamação... A pesquisa mostrou que esses ataques, ameaças e molestamentos contra indivíduos ou organizações subiram 23% a mais que no ano anterior... Abraham Foxman, diretor nacional da LAD, disse: "Estamos profundamente preocupados com esse anti-semitismo descarado..." (Reuters, 24/1/1994)

A revista semanal alemã Focus registrou números oficiais que mostraram que no primeiro semestre de 1994 os ataques anti-semitas cresceram mais de 100% na Alemanha, se comparados com o mesmo período do ano anterior. Citando um relato da Agência BKA, da polícia federal, a Focus disse que 701 de tais ataques foram cometidos em comparação com 343 no mesmo período de 1993.

Recentemente, os neonazistas se reuniram em cidades da antiga Alemanha Oriental gritando "Sieg Heil!" e "A Alemanha para os alemães!" (Dispatch From Jerusalem, 12/1994)

Outra Profecia Não Cumprida

Ainda hoje, Israel não serve a Deus. Os judeus estão cegos para o seu Messias, como afirma Romanos 11.28: "Quanto ao evangelho, são eles inimigos por vossa causa; quanto, porém, à eleição, amados por causa dos patriarcas".

O sacerdote Zacarias profetizou que
Deus haveria "de conceder-nos que, livres das mãos de inimigos, o adorássemos sem temor, em santidade e justiça perante ele, todos os nossos dias" (Lucas 1.74-75).

Sabemos que essa parte do discurso profético dele não foi cumprida até hoje. Eles ainda não foram libertados de seus inimigos, e nem estão servindo a
Deus em santidade e justiça.

Os versículos seguintes, entretanto, foram cumpridos naquela época: "Tu, menino, serás chamado profeta do Altíssimo, porque precederás o Senhor, preparando-lhe os caminhos, para dar ao seu povo conhecimento da salvação, no redimi-lo dos seus pecados graças à entranhável misericórdia de nosso
Deus, pela qual nos visitará o sol nascente das alturas, para alumiar os que jazem nas trevas e na sombra da morte, e dirigir os nossos pés pelo caminho da paz" (Lucas 1.76-79). Assim sendo, vemos a partir desses versículos que o discurso profético não está limitado ao cumprimento estático, que acontece numa só vez. Esta profecia foi proferida há quase 2000 anos. Parte dela foi cumprida e outra parte ainda aguarda seu cumprimento final.

A Proclamação Messiânica de Jesus

Outro exemplo forte de uma profecia parcialmente cumprida, usado com freqüência pelo Dr. Wim Malgo, fundador da Obra Missionária Chamada da Meia-Noite, encontra-se em Lucas capítulo 4. Jesus foi a Nazaré e entrou na sinagoga local no sábado. Ali Ele leu as Escrituras para aquele dia: "Indo para Nazaré, onde fora criado, entrou, num sábado, na sinagoga, segundo o seu costume, e levantou-se para ler" (Lucas 4.16). Então o rabi encarregado deu-lhe o livro e Ele começou a ler: "O Espírito do Senhor está sobre mim, pelo que me ungiu para evangelizar os pobres; enviou-me para proclamar libertação aos cativos e restauração da vista aos cegos, para pôr em liberdade os oprimidos, e apregoar o ano aceitável do Senhor. Tendo fechado o livro, devolveu-o ao assistente e sentou-se; e todos na sinagoga tinham os olhos fitos nele. Então, passou Jesus a dizer-lhes: Hoje, se cumpriu a Escritura que acabais de ouvir" (vv. 18-21).

Que passagem Ele citou? Isaías 61.1-2! Vejamos o que Isaías escreveu: " O Espírito do SENHOR
Deus está sobre mim, porque o SENHOR me ungiu para pregar boas-novas aos quebrantados, enviou-me a curar os quebrantados de coração, a proclamar libertação aos cativos e a pôr em liberdade os algemados; a apregoar o ano aceitável do SENHOR e o dia da vingança do nosso Deus; a consolar todos os que choram".

Dá para detectarmos uma clara diferença. Isaías fez essa proclamação de um fôlego: "Apregoar o ano aceitável do SENHOR e o dia da vingança do nosso
Deus..." Mas na sinagoga, naquele dia de sábado, Jesus não leu a última parte desse versículo. Ele simplesmente parou depois de dizer: "a apregoar o ano aceitável do SENHOR..." Fechou o livro, deu-o ao rabi e se assentou.

Depois Ele disse algo extremamente significativo: "...hoje, se cumpriu a Escritura que acabais de ouvir". O Senhor
Jesus veio para proclamar salvação. Ele veio para cumprir aquilo que estava escrito a Seu respeito pelos profetas. Ele não veio para executar "...o dia da vingança do nosso Deus..." naquela época. Isso ainda está por acontecer.

A afirmação profética de Isaías compreende a primeira e a segunda vinda de
Jesus como uma só. Os 2000 ou mais anos ocultos – entre ‘...o ano aceitável do SENHOR..." e "...o dia da vingança do nosso Deus..." – são a época da Igreja. Somente depois que a Igreja tiver partido para se encontrar com Jesus, "...entre as nuvens...", é que "...o dia da vingança..." terá início.

Medo do Desconhecido

Ao simplesmente reconhecermos que as profecias que citei foram cumpridas apenas parcialmente, o seu significado já fica mais claro. Elas começam a fazer mais sentido. Como crentes, não temos razão para temer, pois Deus claramente nos diz em Sua Palavra que aqueles que persistem em sua incredulidade terão muito motivo para ficar amedrontados!

Por causa do medo do desconhecido, muitos estão relutantes e deliberadamente evitam tentar compreender as
profecias. Ignorar a Palavra Profética, entretanto, não impede que ela seja cumprida. Aqueles que rejeitam a Palavra Profética ou optam por ignorá-la não podem ser informados de, ou preparados a respeito daquilo para o que ela veio. Sem uma clara compreensão da Palavra Profética, temos toda a razão para temer as coisas que virão sobre este mundo. Veja alguns exemplos:

A despeito das melhorias na saúde, ou dos cuidados com nosso meio ambiente, psicólogos, sociólogos e epidemiologistas dizem que podemos muito bem estar vivendo na mais ansiosa e temerosa sociedade de nossa história. Por que estamos tão apavorados – e muitas vezes por coisas erradas? Muitos dizem que as notícias da mídia são as quem têm maior parcela de culpa. A mídia, afinal de contas, dá mais atenção àqueles assuntos, questões e situações que mais assustam os leitores e telespectadores. Assim sendo, quase todo dia, lemos, ouvimos e vemos acerca de algum tipo de ameaça nova à nossa saúde e segurança. (The State, 25/12/1994)

Ao mesmo tempo que podemos admitir que o mundo tem razões legítimas para temer as coisas que estão acontecendo, os cristãos não precisam temer. Nós seremos apenas tomados pelo medo se não estudarmos a Palavra Profética.

O apóstolo Pedro nos dá o conselho correto que, se considerado, não nos levará a temer o desconhecido, pelo contrário, fará nossos corações se regozijarem: "Temos, assim, tanto mais confirmada a palavra profética, e fazeis bem em atendê-la, como a uma candeia que brilha em lugar tenebroso, até que o dia clareie e a estrela da alva nasça em vosso coração" (2 Pedro 1.19). Ter medo do desconhecido não é justificativa para a negligência. Ao contrário, se uma pessoa ignora a Palavra Profética, ela sentirá medo desnecessariamente e perderá um gozo inigualável que vem do estar completamente envolvido com a Palavra de
Deus!

No Lugar Errado, na Hora Errada

Quando nos dedicamos à verdade da Palavra Profética, nós nos encontramos no lugar certo o tempo todo. Isso nos dá segurança absoluta das coisas que estão por vir. Mas, quando descremos da Palavra Profética ou a ignoramos, então estamos em território desconhecido e somos tomados pelo medo.

Permita-me reconstituir uma experiência angustiante que tive quando jovem em Melbourne, na Austrália.

Naquela ocasião, o anoitecer veio rápido demais. Parecia que o dia havia simplesmente se desligado, tornando-se trevas. Ainda mais estranho e amedrontador foi o silêncio quase sepulcral que fez com que eu e meu amigo Dieter tivéssemos um sentimento estranho de que algo estava errado.

"Isso não pode estar acontecendo. Deve ser um pesadelo. Vai cessar no momento em que eu acordar", pensei. Mas era real demais. Ali estávamos, dois imigrantes da Alemanha com 19 anos de idade, sem qualquer conhecimento da língua inglesa, exceto algumas frases que havíamos aprendido a bordo do navio italiano de imigrantes chamado Castel Felícia. O navio navegou durante cinco semanas da Alemanha até Melbourne, Austrália. Uma frase em inglês em particular ficou presa à minha mente, simplesmente porque eu a achava tão boba: "Isto é uma maçã".
Eu percebi que não podia andar pelas ruas da grande cidade de Melbourne com apenas o conhecimento dessas quatro palavras em inglês, esperando me comunicar suficientemente para encontrar um lugar para passar a noite, e menos ainda para encontrar um emprego. Esse era o propósito de irmos de carona para Melbourne, deixando para trás um acampamento seguro de imigrantes, a 240 km de distância. Claro, nós fomos avisados no acampamento de Bonnegilla para não sairmos daquela propriedade. Disseram-nos: "O governo cuidará de vocês. Vocês conseguirão um emprego, aprenderão a língua e ganharão dinheiro". Foi extremamente difícil sermos confortados por tais promessas, porque naquela época os empregos na Alemanha eram abundantes.

Alguém poderia dizer a seu chefe: "Eu me demito!", atravessar a rua e ser rapidamente aceito em outra firma. Portanto, os alertas que nos foram feitos não tinham o mínimo sentido para nós. Por não prestarmos atenção àquelas palavras de alerta, acabamos nos encontrando numa situação difícil, a muitos quilômetros daquele acampamento.

Pensamos que algo estranho devia estar acontecendo na cidade, porque ela parecia abandonada. Jamais poderíamos ter imaginado que era bastante normal para uma cidade australiana estar virtualmente vazia depois das horas de trabalho. Na Europa, as pessoas vivem na cidade, em apartamentos em cima de lojas e escritórios. Mas o centro da cidade de Melbourne era estritamente comercial. Quando chegava a hora de fechar, todos iam para suas casas nos subúrbios, deixando a cidade vazia. E aquele silêncio estranho e amedrontador contribuiu para o nosso desespero. Uma cidade sem pessoas era algo totalmente além da nossa imaginação. "E agora?", nós nos perguntamos. Estávamos perdidos, com fome e praticamente sem dinheiro. Além disso, estávamos desesperadamente precisando de um lugar para dormir. De repente, no escuro dessa cidade estranha, deparamos com um prédio aparentemente vazio. Por sorte, a porta estava aberta. Exceto por alguns ratos amedrontados correndo em todas as direções, nós nos sentimos razoavelmente seguros, até mesmo protegidos, depois de fecharmos a porta. Parecia até um pouco mais quente do que do lado de fora, naquela rua escura.

Entre o lixo, achamos uma pilha de jornais velhos e depois de comermos o nosso último doce, aqueles jornais tornaram-se os nossos cobertores naquela noite. "Amanhã tudo será diferente", pensamos. "Certamente encontraremos um emprego numa construção e as coisas haverão de melhorar". Depois pegamos no sono.

Deve ter sido perto de duas ou três horas da manhã quando o frio nos acordou. Sem problemas. Sabíamos que o calor procura os lugares mais altos, então subimos numa escada parcialmente quebrada para o andar de cima, trazendo conosco nossos cobertores de jornal. Voltamos a pegar no sono.

Passado não muito tempo, entretanto, fomos acordados pelo barulho de um carro, um barulho de que havíamos sentido imensa falta na noite anterior. Estranhamente, o motor parou e a porta do carro abriu e fechou bem na frente do nosso prédio.

Colocamo-nos rapidamente em pé e olhamos pela janela suja. Meu amigo reconheceu um carro esporte britânico, um MG. Nossos corações começaram a bater mais rápido quando a porta no andar de baixo se abriu e alguém entrou. Quase instantaneamente eu procurei por um objeto que servisse para me defender, e o mesmo fez meu amigo. Agora, nós realmente achávamos que as nossas vidas estavam correndo risco.

Os pensamentos passaram em ritmo rápido pela minha mente, acerca das muitas vezes em minha jovem vida que eu havia escapado por pouco da morte. Uma dessas vezes foi em 1944, por exemplo, quando toda a nossa família quase morreu de fome por causa do cerco russo. Mas nós conseguimos vencer, perdendo apenas um membro da família – minha irmã mais nova.

Em outra ocasião, os alemães estavam sendo executados sem mais nem menos pelas forças comunistas que haviam ganhado a guerra. Mas eles pararam com a matança bem próximo do local em que estávamos. Por isso, a essa altura eu estava preparado virtualmente para qualquer coisa. Mas os minutos pareciam uma eternidade.

Nós ouvimos claramente cada passo e esperamos em meio ao suspense os ruídos começarem a subir as escadas. Silêncio – depois o som de jornal sendo remexido. Parecia que o jornal estava sendo jogado nas escadas. O suspense foi tão grande que conseguimos ouvir até o nosso coração bater.

Nós não perdemos sequer o som de um fósforo sendo riscado. De repente tornou-se claro que aquele homem não estava atrás de nós! Ele nem sabia que havia gente no prédio. Tratava-se provavelmente de um incendiário! Quem sabe era o proprietário do prédio que queria queimá-lo para receber o seguro.

Mas, e nós? Deveríamos tentar detê-lo? E se ele tivesse uma arma, nós não teríamos a mínima chance. Poderíamos ser facilmente silenciados – duas testemunhas convenientemente desaparecendo no meio do fogo.

Começamos a sentir o cheiro de fumaça. Agora o nosso desespero aumentou. Se não fizéssemos nada, morreríamos ali, mas se fizéssemos alguma coisa, ainda assim poderíamos morrer. Então o longo silêncio foi interrompido pelo som de passos. A porta se fechou no andar inferior. Que alívio tremendo para nós. Agora estávamos livres para agir. Dieter correu para a janela e viu que o homem havia entrado rapidamente em seu carro conversível, sem sequer usar a porta. Ele ligou o carro e sumiu de vista.

A essa altura eu já havia chegado no andar abaixo e o fogo havia começado a pegar na madeira seca da escada. Nossa decisão seguinte levou apenas segundos... nós apagamos o fogo.

Exaustos, finalmente saímos para o lado de fora do prédio, naquela cidade estranha, contentes por estarmos vivos. Certamente o incendiário deve ter esperado ver fumaça e ouvir o alarme de incêndio, mas em vão, pelo menos naquela noite. Chegamos a considerar deixar o fogo queimar o prédio, mas a nossa presença na cidade, sem dúvida, nos deixaria como prováveis suspeitos. Qualquer policial poderia imediatamente nos identificar como os incendiários porque, afinal, estávamos no prédio. Dois jovens num lugar onde não deveriam estar, não falando praticamente nada de inglês, sem ter dinheiro, teriam sido facilmente vistos como quem começou o fogo para se esquentarem, e que este saiu de controle. Teria sido a pressuposição lógica. Contentes com nossa decisão, agora estávamos cheios de esperança para o dia que estava amanhecendo.

Perdidos em Terra Estranha

Por que eu estou contando essa experiência num artigo a respeito da compreensão da profecia? Faço isso com o propósito de demonstrar que estávamos no lugar errado em hora errada, colocando-nos em situação extremamente perigosa, por assim dizer, navegando em território em que não devíamos estar.

Da mesma maneira, esse exemplo deveria servir para nos lembrar que qualquer pessoa sem Cristo está totalmente perdida, rumo à condenação eterna. A Bíblia afirma que a separação de
Deus é para sempre para aqueles que morrem sem Cristo.

Se Dieter e eu simplesmente soubéssemos a língua, nós poderíamos ter perguntado a alguém aonde poderíamos encontrar um lugar para ficar. Nós facilmente poderíamos ter evitado aquela terrível situação em que nos metemos.

Essa experiência se aplica igualmente a qualquer pessoa que deixa de dar ouvidos à Palavra Profética. Tal pessoa anda nas trevas e vive oprimida por um medo que não precisaria sentir.

Segurança Eterna em Cristo

Dê ouvidos à preciosa garantia que a Palavra de Deus nos fornece: "Não se turbe o vosso coração; credes em Deus, crede também em mim. Na casa de meu Pai há muitas moradas. Se assim não fora, eu vo-lo teria dito. Pois vou preparar-vos lugar. E, quando eu for e vos preparar lugar, voltarei e vos receberei para mim mesmo, para que, onde eu estou, estejais vós também. E vós sabeis o caminho para onde eu vou" (João 14.1-4).

Não se trata de um anúncio barato, um folheto promocional ou uma propaganda bem elaborada de um shopping famoso. Trata-se da promessa do
Jesus Vivo que fez os céus e a terra e tudo o que neles há!

Você é filho de
Deus? Então não precisa temer. Leia o livro de Apocalipse, que Deus nos deu para detalhar o futuro.
Deus, de fato, nos dá uma maravilhosa promessa se lermos este livro: "Bem-aventurados aqueles que lêem e aqueles que ouvem as palavras da profecia e guardam as coisas nela escritas, pois o tempo está próximo" (Apocalipse 1.3).

O estudo da Palavra Profética, portanto, não é algo insignificante. Não se trata também de algo a ser deixado apenas com os especialistas. Ele é para todo filho de
Deus.
 
RESUMO:
Muitas pessoas creem que a profecia bíblica é muito complexa para ser compreendida, então deveríamos apenas deixá-la com os teólogos e os profetas. Porém não entrarei em detalhes específicos sobre os acontecimentos proféticos, mas me detenho no quando a profecia se cumpre. As três últimas trombetas do Apocalipse são identificadas como ais...

Autor: Arno Froese


sexta-feira, 31 de março de 2017

Uma reportagem dizia dessa flor peculiar:

         Ela é conhecida como especialista na arte da sobrevivência e cresce de forma selvagem em Israel, num clima que mataria muitas outras plantas. Estamos falando do dente-de-leão persa. Ao examinar o “ranúnculo asiático” sob o microscópio, uma surpresa esperava pelos pesquisadores do Instituto Volcani de Israel: sua estrutura celular tinha o formato da estrela de Davi.

“É realmente simbólico”, declarou a Dra. Rina Kamenetsky, que se defrontou com a curiosa formação celular ao pesquisar os mecanismos de sobrevivência dessa flor incomum. Essa espécie vegetal da Terra Santa também é conhecida nos meios botânicos como “planta da ressurreição”, que sobrevive sem água e “desperta” quando volta a chover, diz Kamenetsky.

As paredes das células reservatórias servem de escudo protetor. Por ocasião das primeiras chuvas no inverno, as membranas celulares bloqueiam o repentino excesso de água, que poderia romper as células, mas permitem que elas absorvam o suficiente para que estas não ressequem. Essa “armadura” é semelhante a uma estrela de Davi, que em hebraico se chama “escudo de Davi” (Magen David).

 “Até hoje não vimos uma estrutura assim em outras membranas celulares vegetais”, comentou Kamenetsky. “Ela é muito rara – talvez única”.

Israel em clima inóspito

         Sem dúvida, essa planta é uma ilustração maravilhosa da resistência de Israel! Os judeus viveram e vivem em um clima hostil. Durante a Diáspora (Dispersão), em perseguições, sofrendo desprezo e rejeição, e mesmo depois de sua volta à própria terra, eles sempre estiveram cercados de inimigos, de ódio e guerras. Assim como a “planta da ressurreição”, os judeus também demonstraram ser mestres na arte da sobrevivência. Foram privados das fontes de água, excluídos de agremiações, organizações e corporações, expulsos de cidades e Estados, expropriados de seus bens, mas sobreviveram e floresceram.


Israel é indestrutível

         Onde qualquer outra planta morreria, o “taraxaco”, como essa flor também é conhecida, sobrevive e floresce. Podemos mais uma vez compará-la com Israel. Qualquer outra nação que estivesse dispersa durante quase dois mil anos por todos os continentes e exposta a um clima tão adverso não teria sobrevivido nem conservado seu idioma, sua cultura e sua identidade nacional. Mas o povo de Israel é diferente – ele sobreviveu, ele vive e viverá. Israel é um milagre! Nações vieram e se foram, tiveram um grande nome e depois desapareceram – muitas vezes em poucos séculos. O povo judeu sobreviveu a todas elas. Em Deuteronômio 14.2 está escrito:
“Porque sois povo santo ao Senhor, vosso Deus, e o Senhor vos escolheu de todos os povos que há sobre a face da terra, para lhe serdes seu povo próprio.”  Deuteronômio 14.2


A prosperidade do povo de Israel

         Assim como essa flor é conhecida nos meios acadêmicos como uma espécie de “planta da ressurreição”, Israel tornou-se conhecido entre os povos como “povo da ressurreição”. Durante séculos os judeus estiveram nos “sepulcros” das nações (veja Ez 37). Eles tinham se tornado um povo ressequido, a ponto de serem comparados a ossos sequíssimos (veja Ez 37.1-4), mas quando voltaram à sua terra, na região do Rio Jordão e do Lago de Genesaré, começaram a desabrochar. Israel “ressuscitou”, pois voltou a ter vida, superou as adversidades e fez a terra frutificar. Fisicamente Israel já reviveu, mas espiritualmente ainda não. Cumpriu-se o que está escrito em Amós 9.14-15:
“Mudarei a sorte do meu povo de Israel; reedificarão as cidades assoladas e nelas habitarão, plantarão vinhas e beberão o seu vinho, farão pomares e lhes comerão o fruto. Plantá-los-ei na sua terra, e, dessa terra que lhes dei, já não serão arrancados, diz o Senhor, teu Deus”.  Amós 9.14-15


Israel é único

         Os cientistas afirmaram acerca da “flor da ressurreição”: “Nunca encontramos semelhante estrutura em membranas celulares de outras plantas... Essa é uma estrutura muito rara – talvez única”.
         Essa descrição não poderia ser mais adequada ao povo de Israel, que realmente é singular. A passagem de Isaías 66.8 proclama que Israel é especial:
“Quem jamais ouviu tal coisa? Quem viu coisa semelhante? Pode, acaso, nascer uma terra num só dia? Ou nasce uma nação de uma só vez? Pois Sião, antes que lhe viessem as dores, deu à luz seus filhos”.  Israel 66.8


Israel sob o microscópio

         Assim como os pesquisadores descobriram o segredo do dente-de-leão apenas através do microscópio, nós também precisamos olhar pelo “microscópio” da profecia bíblica para entender o milagre que é Israel. Se observarmos Israel a olho nu, esse milagre permanecerá oculto. Somente através da Palavra de Deus a maravilha que é Israel se desvendará diante de nossos olhos, e somente pela Bíblia podemos avaliar corretamente o povo judeu. Essa será uma grande surpresa para o mundo, que costuma ver Israel apenas com olhos humanos. Deus não arranca aquilo que plantou e não permitirá que a semente de Israel pereça:
“Assim diz o Senhor: Se a minha aliança com o dia e com a noite não permanecer, e eu não mantiver as leis fixas dos céus e da terra, também rejeitarei a descendência de Jacó e de Davi, meu servo, de modo que não tome da sua descendência quem domine sobre a descendência de Abraão, Isaque e Jacó; porque lhes restaurarei a sorte e deles me apiedarei” (Jr 33.25-26).
 

O Deus de Israel

         Israel é um povo único e singular porque um Deus único e singular é fiel às Suas promessas. As pessoas já teriam quebrado suas promessas há muito tempo, mas a Bíblia diz:
“...que deus há, nos céus ou na terra, que possa fazer segundo as tuas obras, segundo os teus poderosos feitos?” (Dt 3.24).
        Ela também afirma:
“Que grande nação há que tenha deuses tão chegados a si como o Senhor, nosso Deus, todas as vezes que o invocamos?” (Dt 4.7).


O escudo de Davi

         O segredo da sobrevivência do “ranunculus asiaticus” é o “escudo de Davi”, que circunda e protege suas células. O segredo da sobrevivência de Israel é o Davi celestial, o Messias de Israel, Jesus Cristo. O salmista diz que Ele é “o Senhor, nosso auxílio e escudo” (Sl 33.20). E, por Seu amor, Israel não perecerá. A realidade desse amor de Deus por Seu povo não poderia ser descrita mais adequadamente do que através das palavras do profeta Oséias:
“Serei para Israel como orvalho, ele florescerá como o lírio e lançará as suas raízes como o cedro do Líbano. Estender-se-ão os seus ramos, o seu esplendor será como o da oliveira, e sua fragrância, como a do Líbano. Os que se assentam de novo à sua sombra voltarão; serão vivificados como o cereal e florescerão como a vide; a sua fama será como a do vinho do Líbano. Ó Efraim, que tenho eu com os ídolos? Eu te ouvirei e cuidarei de ti; sou como o cipreste verde; de mim procede o teu fruto” (Os 14.5-8).


A estrela de Davi

         O escudo protetor das células dessa planta tem o formato da estrela de Davi. Isso deve ser um consolo para todos os amigos de Israel que usam uma estrela de Davi em solidariedade a Israel e como identificação com seu Messias, Jesus. A estrela de Davi não tem origem ocultista. Ela já aparece na criação, e o próprio Deus a formou, colocando-a em uma flor e enfeitando o núcleo de cada floco de neve. Mesmo que muitos usem esse símbolo para fins ocultos, isso não deve nos perturbar. Para nós a estrela de Davi é mais uma referência à fidelidade de Deus para com Seu povo Israel. Quando Balaão pretendia amaldiçoar o povo judeu, mas pela vontade de Deus foi obrigado a abençoá-lo, profetizou:
“Vê-lo-ei, mas não agora; contemplá-lo-ei, mas não de perto; uma estrela procederá de Jacó, de Israel subirá um cetro que ferirá as têmporas de Moabe e destruirá todos os filhos de Sete” (Nm 24.17).

         Devemos confiar plenamente nas promessas de Deus, pois está escrito:
“Guardemos firme a confissão da esperança, sem vacilar, pois quem fez a promessa é fiel” (Hb 10.23).


Autor: Norbert Lieth

sábado, 25 de fevereiro de 2017

Bartimeu e sua capa

TEXTO: Marcos – 10:46 a 51


46. Depois chegaram a Jericó. E, ao sair ele de Jericó com seus discípulos e uma grande multidão, estava sentado junto do caminho um mendigo cego, Bartimeu filho de Timeu. 47. Este, quando ouviu que era Jesus, o nazareno, começou a clamar, dizendo: Jesus, Filho de Davi, tem compaixão de mim! 48. E muitos o repreendiam, para que se calasse; mas ele clamava ainda mais: Filho de Davi tem compaixão de mim. 49. Parou, pois, Jesus e disse: Chamai-o. E chamaram o cego, dizendo-lhe: Tem bom ânimo; levanta-te, ele te chama. 50. Nisto, lançando de si a sua capa, de um salto se levantou e foi ter com Jesus. 51. Perguntou-lhe o cego: Que queres que te faça? Respondeu-lhe o cego: Mestre, que eu veja. 52. Disse-lhe Jesus: Vai, a tua fé te salvou. E imediatamente recuperou a vista, e foi seguindo pelo caminho.


1) INTRODUÇÃO

Esta é uma mensagem que com certeza o amado irmão leitor já ouviu algum profeta de Deus pregar, e de várias formas e de vários ângulos esta mensagem já chegou até você, eu apenas gostaria de trazer uma palavra que me foi mostrada neste contexto e com certeza ela, a Palavra de Deus fará a diferença em sua vida.

Eu denominei esta mensagem de A CAPA DE BARTIMEU, porque é sobre a capa que o contexto central desta mensagem falará.

A Bíblia é um celeiro infinito de mensagens, uma fonte inesgotável da Palavra de Deus, e a vida desse mendigo, cego, andarilho, sujo, pobre, pedinte, chamado Bartimeu, filho de Timeu, irá nos mostrar uma verdade que mudará a sua vida, seja como cristão ou não, você com certeza receberá esta palavra como a verdade de Deus para sua vida e que esta verdade divina seja para cada um de nós um alicerce, sustentando nossas vidas espirituais.

Bartimeu foi um homem que muito nos ensinou através de sua atitude na presença do Senhor Jesus e através de sua situação de vida. O que quero lhe mostrar é a mais pura verdade em que nós vivemos.


2) A VIDA DE BARTIMEU

O texto diz que saindo Jesus de Jericó uma grande multidão lhe acompanhava, eram os moradores daquela cidade que estavam ainda felizes com os milagres que o mestre tinha feito, que não foram escritos na Bíblia conforme João nos relata (Jo.21:25). O interessante é que Jericó era uma cidade maldita (Js.6:18), pois a ordem de Deus era para Josué não tocar em nada daquela cidade pois era anátema, ou seja, maldito, então foi Jericó destruída, que tristeza habitar em uma cidade maldita, era lá que Bartimeu nasceu e cresceu. Cresceu pobre, e cego, pois sua família não podia pagar um guia para ele, então Bartimeu foi ser pedinte, e a vida dele era ser humilhado, maltratado, insultado, ninguém se importa com um mendigo.

A verdade é que nem o próprio mendigo se preocupa consigo mesmo, verdade é que se você perguntar a um deles qual o seu projeto de vida, com certeza ele não terá, e com bartimeu não era diferente, sem contar que ele era cego.

Muitos em nosso meio estão como Bartimeu, sem projeto, sem sonhos, sem esperança, vivendo uma vida miserável espiritualmente, não tendo visão do amanhã. Bartimeu sabia de sua situação, sabia quem ele era e o que ele era, por isso meu amado cristão, não despreze seu irmão que aparenta estar sofrendo, ele pode necessitar de sua ajuda. Note que Bartimeu era cego e ficava à beira do caminho, com certeza ele precisava de ajuda de algum outro mendigo para ir até a beira do caminho que ficava fora da cidade para pedir dinheiro ou comida, ou qualquer outra coisa. É triste, mas a beira do caminho não é lugar de se ficar, somente mendigos sentam a beira do caminho, pois eles não eram aceitos no interior da cidade onde vivem os fariseus e os escribas.

Mendigo, cego, pobre, pedinte, rejeitado pela família, que nasceu e viveu em uma cidade maldita, proibido de viver no meio da sociedade da época, que vida mais desgraçada era a de Bartimeu, talvez se fosse outro já teria se suicidado, mas ele não. Eu creio que Bartimeu não era uma pessoa infeliz, frustrada, amarga, embora tivesse toda razão para isso, mas sinceramente creio ser ele um homem positivo e esperançoso, talvez fosse essa razão que o levou a ficar gritando para o Filho de Davi.

Ainda tenho fé que Bartimeu tivera alguma informação sobre Jesus e creu naquilo que lhe contaram, pois a Bíblia relata que ele gritava: “JESUS, FILHO DE DAVI, TEM COMPAIXÃO DE MIM”, isso nos mostra que ele sabia com quem estava falando.

Que lição de vida esse pobre homem nos ensina, talvez essa é a atitude que nós não temos tomado diante dos problemas da vida, e ao invés de acreditarmos e lutarmos, sendo esperançosos, pois a vida desse homem é excepcional, pois logo que ele ouviu que era Jesus que passava pelo local ele não duvidou em seu coração de que Jesus seria a solução de seus problemas, então como eu acredito que Bartimeu conhecia a fama de Jesus, ele apela para aquilo que Jesus mais tem, COMPAIXÃO.

Uma das coisas que mais me chama a atenção e a sabedoria de Bartimeu em apelar para aquilo que de certa forma seria o ponto fraco de Jesus, se é que posso dizer assim. Bartimeu diz “...TEM MISERICÓRDIA DE MIM”, como que Jesus não atenderia tão grande apelação. Aquele que outrora era desprezado, humilhado cego, sujo, mendigo, pedinte, pobre, desgraçado, nascido em uma cidade maldita, estava próximo de alcançar um milagre que iria mudar a sua vida por completo, mas Bartimeu mesmo cego vê que ainda faltava uma coisa, talvez a mais importante, que se não fosse resolvida poderia estragar o milagre, o impossibilitando de receber a benção.

É aqui que eu quero chegar, o ponto chave na visão de um cego.


3) A CAPA DE BARTIMEU

Talvez você já tenha visto um mendigo pelas ruas da sua cidade, ou talvez tenha visto pela televisão, mas no Brasil  dificilmente você não tenha visto um mendigo com seus próprios olhos, pois até os telejornais mostram que no Brasil tem gente que até põe fogo em mendigos que estão dormindo pelas ruas. Mas eu vou refrescar sua memória, e com certeza você irá concordar comigo.

Um mendigo anda pelas ruas sem lembranças sólidas, pensando somente no agora, ele já não valoriza mais seu próprio corpo, pois já não se importa com banhos, cortes de cabelos ou com se barbear, seja homem ou mulher, eles se embriagam, procuram tocos de cigarro pelo chão, restos de comida pelos lixos. E por serem pessoas assim, acabam por repelir as pessoas, pois causam rejeição de todos, tenho certeza que você nunca perguntou a um mendigo quem ele é, ou qual o seu nome, ou mesmo se ele tem família ou uma profissão. Os mendigos estão em baixo das pontes, viadutos ou marquises, procurando um lugar para abrigarem do frio ou da chuva, trazem consigo todo tipo de coisa, que para nós é puro lixo, e se agarram naquilo, pois é o pouco que eles têm para sobreviverem.

De tudo que um mendigo traz consigo, o que ele mais se apega é a um pedaço de pano sujo, um trapo que ele usa como cobertor nas madrugas de frio, e nos dias de inverno, que durante as horas de caminhada você a verá nas costas do mendigo, sendo usada como UMA CAPA.

Era essa capa que viram em Bartimeu, suja, mal cheirosa, podre, encardida. Bartimeu levava uma consigo, como todo mendigo. O interessante que as coisas que chamam atenção, só as chamam por dois motivos, primeiro por serem coisas belas aos olhos, ou segundo por serem terríveis aos olhos, e a capa de Bartimeu se enquadra na segunda opção, era uma capa terrivelmente horrível, e Bartimeu viu a necessidade de se livrar dela para ir até a Jesus, pois ele em um momento espiritual nos revela algo sobrenatural.


4) CONCLUSÃO

Essa capa horrível e mal cheirosa de Bartimeu representa o pecado, o medo, os vícios, a idolatria, o mal, tudo de ruim na vida de uma pessoa, aquilo que por ser horrível nos separa de Deus, leia (Is-59:02), nos deixa impedidos de sermos abençoados. Por isso quero te dizer uma coisa, tenha a visão de Bartimeu que mesmo sendo cego, teve a inteligência, a sabedoria de se desfazer de sua capa suja, para se aproximar do Mestre, pois numa revelação do Espírito Santo, se Bartimeu viesse a Jesus com a capa com certeza não receberia o milagre, pois embora mesmo sem tomar banho, sem cortar seus cabelos, ou fazer sua barba, ele se atreveu a se apresentar a Jesus. Isso me mostra que Jesus te recebe com seus defeitos, suas maneiras erradas, suas ignorâncias, mas seus pecados devem ficar para trás, pois o Senhor não tem parte com o pecado.

Amados, desfaça de sua capa suja, jogue ela fora e corra para os braços de Jesus, Ele quer fazer um milagre em sua vida, pois a pergunta já foi feita a você:

O QUE QUERES QUE TE FAÇA? Então Bartimeu pediu aquilo que ele mais queria, VER.


Boa reflexão neste periodo de carnaval... que o Senhor Jesus te abençoe sempre!

Rev Elimar e Pra Erica Gomes

sexta-feira, 17 de fevereiro de 2017

Preparando-se para o grande encontro

1 Então, o Reino dos céus será semelhante a dez virgens que, tomando as suas lâmpadas, saíram ao encontro do esposo. 2 E cinco delas eram prudentes, e cinco, loucas. 3 As loucas, tomando as suas lâmpadas, não levaram azeite consigo. 4 Mas as prudentes levaram azeite em suas vasilhas, com as suas lâmpadas. 5 E, tardando o esposo, tosquenejaram todas e adormeceram. 6 Mas, à meia-noite, ouviu-se um clamor: Aí vem o esposo! Saí-lhe ao encontro! 7 Então, todas aquelas virgens se levantaram e prepararam as suas lâmpadas. 8 E as loucas disseram às prudentes: Dai-nos do vosso azeite, porque as nossas lâmpadas se apagam. 9 Mas as prudentes responderam, dizendo: Não seja caso que nos falte a nós e a vós; ide, antes, aos que o vendem e comprai-o para vós. 10 E, tendo elas ido comprá-lo, chegou o esposo, e as que estavam preparadas entraram com ele para as bodas, e fechou-se a porta. 11 E, depois, chegaram também as outras virgens, dizendo: Senhor, senhor, abre-nos a porta! 12 E ele, respondendo, disse: Em verdade vos digo que vos não conheço. 13 Vigiai, pois, porque não sabeis o Dia nem a hora em que o Filho do Homem há de vir.      MT. 25. 1-13


INTRODUÇÃO:

Jesus compara o evento da sua segunda vinda a uma alegre procissão de casamento, exemplificando a necessidade do preparo para a sua volta, em ambos os eventos os não preparados não podem entrar.


CONTEXTO:

Um casamento Judeu era sempre precedido de um ritual, isso gerava uma certa expectativa nos participantes que tinham que se preparar com antecedência, todos os passos eram ensaiados várias vezes para que nada desse errado, pois o casamento em si dependia muito desse ritual. Algumas virgens eram selecionadas para serem acompanhantes da noiva, geralmente eram suas amigas, enquanto que alguns amigos do noivo também eram convidados para acompanhá-lo. No dia do casamento a noiva ficava em uma casa com as virgens, suas amigas, preparadas e adornadas, munidas de lâmpadas e azeite. O noivo ficava em outro lugar com os seus amigos e em um certo momento saiam para buscar a noiva com as suas acompanhantes. Todos levavam lâmpada e azeite, era parte do ritual durante todo o percurso as lâmpadas permanecerem acesas, em nenhum momento poderiam apagar-se, e muitas vezes o percurso era longo e para manter as lâmpadas acesas era necessário azeite de reserva. Depois de andar por todo o percurso de ida com as lâmpadas acesas o noivo com os seus amigos chegavam ao lugar onde a noiva com as suas amigas estavam a esperar, então se dava o encontro só que quando o percurso era longo os homens gastavam uma grande parte do seu azeite, então era responsabilidade das mulheres iluminarem o caminho de volta. Após o encontro, o noivo levava a noiva e todos os seus amigos juntos para o evento principal que era a cerimônia de casamento. Porém quando eles entravam na casa para festejarem as portas se fechavam e depois disso qualquer outro que chegasse seria considerado indigno ou não convidado.


ALGUMAS COMPARAÇÕES QUE PODEMOS FAZER:

A quem se comparam as virgens? São comparadas com os crentes de hoje. (ALGUNS PRUDENTES, ALGUNS NEGLIGENTES)


A quem se compara o noivo? O noivo é Cristo que vem buscar a sua noiva, a igreja, e aqueles que acompanharão deverão estar preparados.


O que é o azeite? O azeite é a reserva do crente, assim como as virgens precisavam de azeite além das lâmpadas acesas, o crente precisa ter algo a mais. Não basta apenas ser crente, tem que estar preparado. É o agir do espírito Santo, não a manifestação, como muitos dizem, mas as obras que realizamos através dEle.


QUAIS AS LIÇÕES QUE APRENDEMOS?

1º lugar- Todos teremos um encontro com Jesus: (II Corintios 5:10) Porque todos devemos comparecer ante o tribunal de Cristo, para que cada um receba segundo o que tiver feito por meio do corpo, ou bem, ou mal. A maneira se Dará o encontro é nisso que devemos pensar.

2ºlugar- Não devemos apenas esperar o dia do encontro, mas prepararmo-nos para esse dia. V. 4. (II Corintios 11:2,3) Porque estou zeloso de vós com zelo de Deus; porque vos tenho preparado para vos apresentar como uma virgem pura a um marido, a saber, a Cristo. Mas temo que, assim como a serpente enganou Eva com a sua astúcia, assim também sejam de alguma sorte corrompidos os vossos sentidos, e se apartem da simplicidade que há em Cristo.


3ºlugar- O fato de parecer tardia a vinda de cristo, não quer dizer que ele não venha mais, assim como o noivo ele virá numa hora em que ninguém estará esperando, por isso não devemos ficar descuidados, devemos ter sempre a expectativa que ele breve virá! V. 5 – 10. (Apocalipse 16:15) Eis que venho como ladrão. Bem-aventurado aquele que vigia, e guarda as suas roupas, para que não ande nu, e não se vejam as suas vergonhas.


4ºlugar- Estar preparado para o encontro com Jesus implicará em subir com ele na sua vinda e entrar pela porta antes que ela se feche. Não estar preparado implicará em ficar de fora, não subir com ele e ter que bater na porta depois.V.11.( Lucas 13:25-27) Quando o pai de família se levantar e cerrar a porta, e começardes, de fora, a bater à porta, dizendo: Senhor, SENHOR, abre-nos; e, respondendo ele, vos disser: Não sei de onde vós sois; Então começareis a dizer: Temos comido e bebido na tua presença, e tu tens ensinado nas nossas ruas. E ele vos responderá: Digo-vos que não sei de onde vós sois; apartai-vos de mim, vós todos os que praticais a iniquidade.


Independentemente de sermos cristãos ou não, a Bíblia diz que   "a todos está ordenado morrer uma só vez, vindo depois disto o juízo!"


Em Cristo

  

domingo, 12 de fevereiro de 2017

A grande tribulação e o Armagedon


O ponto culminante da Grande Tribulação será a batalha do Armagedom. Apocalipse 16:14-16. Na verdade, talvez seja melhor falar da "campanha" do Armagedom, uma vez que não é uma batalha única, mas uma série de eventos em que todas as nações do mundo serão atraídas como participantes. A palavra "Armagedom" é formada a partir das palavras hebraicas "Har" ou montanha, e "Megido", uma cidade em uma colina - na parte norte da Terra Santa, interior de Monte Carmelo (perto do porto moderno de Haifa). É no "cruzamento das encruzilhadas" em que a antiga Via Maris ("Caminho do Mar") cruza a rodovia transversal central de Israel. Esta comanda uma vista do vale de Jezreel, o "celeiro de Israel." Foi um posto de comando estratégico para o controle de toda a área por muitos séculos. Os viajantes do Egito à Síria, Babilônia, Pérsia, Ásia Menor, normalmente passam por esse caminho, e poderia ser tributado por quem controlava a cidade. Por este motivo, a cidade foi conquistada por muitas vezes as várias potências que ocuparam a Terra Santa.

Duas questões importantes têm de ser consideradas: Jerusalém é o foco da batalha, mas Megido, fica 55 milhas de distância de Jerusalém. Isso pode ser entendido quando o enorme número de soldados envolvidos nesta batalha são considerados. Essa área, Megido, e o vale de Jezreel, (também conhecido como a planície de Esdrelon) serão a área de teste onde as tropas multi-nacionais se reunirão antes de seu avanço em Jerusalém. Haifa, no extremo oeste do Vale, é o porto lógico para desembarques de tropas principais.

A outra questão é :quem está lutando contra quem nessa batalha? É evidente que, no final de sua carreira, o Anticristo estará lutando contra várias alianças, e seu império parece estar se desintegrando. Por outro lado, de acordo com Apocalipse 19, todas as forças estarão reunidas para que a batalha seja travada contra Jesus Cristo. O versículo 19 afirma: "Então vi a besta e os reis da terra e os seus exércitos reunidos para fazerem guerra contra o Cavaleiro sobre o cavalo e seu exército." O cenário provável é que o Anticristo, percebendo que seu poder está diminuindo, consegue unir todas as forças da terra juntos contra seu inimigo comum - o Rei dos Reis e Senhor dos Senhores. Como todos os não-crentes fazem, eles pensam que podem prevalecer contra Ele!

Esta batalha terrível é o tema de muitas passagens do Velho e Novo Testamento. É realmente uma série de inter-relacionados desastres. Vamos primeiro olhar para algumas das previsões do Antigo Testamento sobre esse dia terrível. Essas passagens nos lembram que o povo escolhido de Deus, Israel, e sua capital, Jerusalém, são o foco da batalha. Ela também mostra a compaixão de Deus para com Israel. Analisemos as etapas que levam à batalha, e para o regresso glorioso do Senhor Jesus Cristo.

O Antigo Testamento Prevê a Batalha do Armagedom

Zacarias

O pós-exílico profeta Zacarias tinha muito a dizer sobre o fim do mundo em que vivemos. O próprio Deus vai lutar contra aqueles que se reunirão contra Jerusalém.

“Esta é a palavra do Senhor acerca de Israel. O Senhor, que estende os céus, que estabelece as bases da terra, e que forma o espírito do homem dentro dele, declara: "Eu vou fazer de Jerusalém um copo que envia todos os povos vizinhos cambalear, Judá será cercada. "(Zacarias 12:1-2)

O termo naquele dia usado com freqüência pelos profetas, é um indício de que a passagem está se referindo ao Dia do Senhor, ou seja, ao período da grande tribulação:

"Naquele dia, quando todas as nações da terra estiverem reunidas contra ela, eu farei de Jerusalém uma pedra para todas as nações. Todos os que tentarem movê-la vão se machucar.

"Naquele dia eu vou bater todos os cavalos de pânico e seu cavaleiro com loucura", declara o Senhor. Vou manter um olhar atento sobre a casa de Judá, mas eu vou cegar todos os cavalos dos povos. Então os chefes de Judá dirão no seu coração," O povo de Jerusalém éfortes, porque o Senhor dos Exércitos é o seu Deus . "

"Naquele dia eu vou fazer os chefes de Judá como um firepot em uma pilha de lenha, como uma tocha flamejante entre os feixes. Eles irão consumir direita e à esquerda a todos os povos ao redor, mas Jerusalém permanecerá intacta em seu lugar.

"O Senhor vai salvar as habitações de Judá, de modo que a honra da casa de Davi e dos habitantes de Jerusalém não podem ser maiores do que a de Judá."

"Naquele dia o Senhor vai proteger aqueles que vivem em Jerusalém, de modo que o mais fraco dentre eles será como Davi, e a casa de Davi será como Deus, como o Anjo do Senhor que vai diante deles."

"Naquele dia eu vou expor para destruir todas as nações que atacam Jerusalém." (Zacarias 12:3-9)

Perto do final do período de tribulação, Jerusalém estará sob o cerco militar e será invadida por exércitos estrangeiros mais uma vez. Zacarias anuncia que isso vai acontecer antes do retorno final de Messias para a cidade,

"O dia do Senhor vem, quando o seu saque será dividido entre vocês. Vou reunir todas as nações para Jerusalém para lutar contra ela, a cidade será tomada, e as casas saqueadas, e as mulheres estupradas. Metade da cidade irá para o exílio, mas o resto do povo não será retirado da cidade.

Então o Senhor vai sair e lutar contra estas nações, como pelejou no dia da batalha. Naquele dia, estarão os seus pés sobre o Monte das Oliveiras, a leste de Jerusalém, e o Monte das Oliveiras será dividido em dois, de leste a oeste, formando um grande vale, com metade da montanha em direção ao norte e ao sul meia movimento. Você vai fugir do vale para monyanha montanha, por isso vai se estender para Azel. Você vai fugir como você fugiu do terremoto nos dias de Uzias, rei de Judá. Então o Senhor Deus meu virá, e todos os santos com Ele." (Zacarias 14:1-5)

Daniel

O Livro de Daniel é conhecido como "o Apocalipse do Antigo Testamento." As visões deste livro estabelecem o quadro de toda a história dos impérios mundiais , desde o tempo de Nabucodonosor (e até antes), até que o governo despótico final do Anticristo. No nono capítulo há uma breve alusão à batalha do Armagedom, onde o mal será derrotado.

Ele [o homem do pecado] fará firme aliança com muitos, por uma semana. " No meio do "sete" ele vai colocar um fim ao sacrifício e à oferta. E sobre a asa, ele vai criar uma abominação que causa desolação, até o fim que está determinado, se derrame sobre ele. " (Daniel 9:27)

O décimo primeiro capítulo de Daniel aparentemente prediz algumas das atividades de campanhas militares do Anticristo, que antecedeu a sua criação ousada de si mesmo como governante, e a "abominação da desolação" no ponto médio da Tribulação. Os primeiros 20 versículos deste capítulo descrevem a ascensão da Grécia de Alexandre (versículo 3), no final da era do Medo-Persa, em seguida, o surgimento do Império Romano como "Rei do Norte". No versículo 21, a cena muda a partir do antigo Império Romano para o aparecimento futuro de uma pessoa desprezível, que vai aproveitar o reino com intriga (conspiração).

No auge de seu poder, ele vai decidir romper sua aliança com Israel. Naquela época, ele vai abolir o sacrifício diário (no Templo recém reconstruído em Jerusalém), e o falso profeta irá criar a "abominação da desolação", que revela Apocalipse 13:14-15 será uma imagem da primeira besta que é para ser adorada.

A maioria dos comentaristas conservadores encontram nos eventos de Daniel 11 semelhanças em algum grau com Antíoco Epifânio. O rei do norte voltará para a sua terra com grande riqueza, mas seu coração será contra a santa aliança. Ele vai tomar medidas contra ele e depois retornar ao seu próprio país.

"Na hora marcada, ele vai invadir o Sul novamente, mas desta vez o resultado será diferente do que era antes. Navios das ilhas ocidentais vão se opor a ele, e ele vai perder o coração. Então, ele vai voltar e descarregar sua fúria contra a santa aliança. Ele vai voltar e mostrar favor para os que deixarem a santa aliança. Suas forças armadas se levantarão para profanar a fortaleza e templo vai abolir o sacrifício diário. Então eles vão criar a abominação que causa desolação." (Daniel 11:28-31)

Daniel capítulo 11. A primeira parte deste capítulo é uma longa história de antigos governantes, os Selucidas e os Ptolomeus, que lutaram por muitos anos um contra o outro - com Israel no meio. No versículo 36 há uma mudança repentina nos saltos de texto e Escritura ao longo de séculos de intervenção histórica até "o tempo do fim". Em seguida, a guerra final começará por um rei egípcio a invadir Israel a partir do sul e sendo atendidas pelas forças opostas do último rei do Norte.

"O rei [homem do pecado] vai fazer o que quiser. Ele exaltará e se engrandecerá sobre todo deus e vai dizer coisas inauditas contra o Deus dos deuses. Ele vai ser bem sucedido até que o tempo da ira seja concluído, para o que foi determinado. Ele vai mostrar nenhum respeito aos deuses de seus pais ou a qualquer outro deus e se exaltará acima de todos eles. Ao invés deles, vai homenagear um deus de fortalezas, um deus a quem seus pais não conheceram honrará com ouro e prata, com pedras preciosas e presentes caros Ele vai atacar as fortalezas mais poderosas com a ajuda de um deus estranho e muito honrar aqueles que reconhecem que ele vai fazê-los. dominem sobre muitas pessoas e vai distribuir a terra a um preço.

"No tempo do fim o rei do sul se envolverá em batalha, e o rei do Norte vai atacar contra ele com carros e cavalaria e uma grande frota de navios. Ele vai invadir muitos países e varrer eles como uma enchente. Ele também vai invadir a terra bonita [Israel] Muitos países cairão, mas Edom, Moabe e os líderes de Amom serão entregues a partir de sua mão. Ele vai estender seu poder sobre muitos países;... Egito não escapará Ele vai ganhar o controle dos tesouros de ouro e prata e de todas as riquezas do Egito, com os líbios e núbios em submissão. Mas os relatórios do leste e do norte de alarme, e ele irá definir em uma grande fúria para destruir e aniquilar muitos. Ele vai armar suas tendas reais entre os mares [os mares Mediterrâneo e Dead] no belo santo monte [Jerusalém]. entanto, ele virá ao seu fim, e ninguém vai ajudá-lo. "(Daniel 11:36-45 )

Joel

O profeta Joel também descreve essa invasão final:

" Tocai a trombeta em Sião, soe o alarme no meu santo monte. Que todos os que vivem na terra tremam, porque o dia do Senhor está chegando. Dia de trevas e escuridão, dia de nuvens e escuridão. Como o amanhecer se espalhando através das montanhas, um exército grande e poderoso vem, como nunca foi visto  em séculos antigos e vindouros.

Diante deles o fogo devora, atrás deles chamas de chamas. Diante deles a terra é como o jardim do Éden, atrás deles, um desperdício do deserto - nada escapa.
(Joel 2:1-3)

Joel escreveu sobre a invasão se aproximando de Israel por Nabucodonosor, em sua época, e também sobre a invasão final de exércitos estrangeiros que viriam apenas antes da aparição do Messias em poder e glória. A pista para a aplicação do fim dos tempos é a frase "o Dia do Senhor", que ocorre novamente no final da seção seguinte:

Eles têm a aparência de cavalos, eles galopam como cavalaria. Com um ruído como o de carros que saltam sobre os cumes das montanhas, como um restolho de fogo crepitante que consome, como um exército poderoso elaborado para a batalha. Na visão deles, as nações estão em angústia, cada rosto fica pálido. Eles cobram como guerreiros, eles escalam paredes como soldados. Todos eles marcham em linha, não se desviando de seu curso. Eles não empurram um ao outro, marcham para a frente. Eles mergulham as defesas sem quebrar fileiras. Eles correm sobre a cidade ao longo da parede. Eles sobem nas casas; como ladrões entram pelas janelas.

Diante deles a terra treme, treme céu, o sol ea lua se escurecem, e as estrelas já não brilham. O SENHOR trovões na cabeça do seu exército; suas forças estão além do número, e poderosos são aqueles que obedecem a seu comando. O dia do Senhor é grande, é terrível. Quem poderá suportar?" (Joel 2:4-11)

Deus, em misericórdia já havia salvo o remanescente piedoso em Israel, no ponto médio da tribulação e levado com segurança para refúgio em Petra para a última metade do período da tribulação. Ainda assim, o Senhor chama os judeus remanescentes de Israel a voltar-se para Ele, mesmo na hora de atraso em que estão vivendo agora.

Palavras de Joel se aplicam tanto para o cativeiro na Babilônia aproximando - que estava no horizonte próximo, quanto ao “dia do Senhor”-, mas são ainda mais relevantes para a situação durante o período de tempo do fim. Implora a Deus com o seu povo a voltar a Ele, mesmo na hora da meia-noite.

"Mesmo agora, diz o Senhor", voltarão para mim de todo o vosso coração, com jejuns, lágrimas e lamentações ". Rasgai o vosso coração e não os vossos vestidos. Voltar para o Senhor, teu Deus, porque ele é misericordioso e compassivo, lento para a cólera e cheio de amor, e ele cede o envio de calamidade. Quem sabe? Ele pode voltar e ter piedade e deixar para trás uma bênção - ofertas de cereais e as libações para o Senhor teu Deus.

"Tocai a trombeta em Sião, declarem um jejum santo, convoquem uma assembléia sagrada. Reúnam as pessoas, consagrem a igreja; reúnam os anciãos, congregai as crianças. Saia o noivo e a noiva de seus quartos. Deixem os sacerdotes, que ministram perante o Senhor, entre o alpendre e o altar do templo. Deixe-os dizer: Poupe seu povo, ó Senhor. Não faça de sua herança um objeto de escárnio, um provérbio entre as nações. Por que diriam entre os povos: Onde está o seu Deus?'' (Joel 2:12-17)

Joel também prevê a conversão final de Israel no último minuto - que precede o retorno final do Messias. Em misericórdia a graça de Deus, nessa altura, transforma um terço da nação de volta para si mesmo. Na verdade, as orações deste remanescente são necessárias para o retorno do Messias para a sua terra, para o tempo final. Esta conversão na décima primeira hora, de um grande número de judeus para o Messias, poderia ascender a mais de um milhão de novos crentes que entram no reino, assim como o Messias está voltando para a terra pela última vez:

"Quando o SENHOR se mostrou zeloso da sua terra e teve misericórdia de seu povo. O Senhor respondeu-lhes:Eu vos envio trigo, do vinho novo e de azeite, o suficiente para satisfazê-lo totalmente, nunca mais vou fazer você um objeto de escárnio para as nações, eu vou dirigir o exército do norte longe de você, empurrando em uma terra seca e estéril, com suas colunas frontais que vão para o mar oriental e aqueles na parte traseira para o mar ocidental. E seu fedor vai subir; seu cheiro vai subir. Certamente ele tem feito grandes coisas."

Certamente o Senhor tem feito grandes coisas. Não temas, ó animais selvagens, as pastagens estão se tornando verde. As árvores estão dando seus frutos, a figueira e a videira produzirão suas riquezas. Seja feliz, povo de Sião, regozijai-vos no Senhor vosso Deus, para que Ele lhe dê as chuvas de outono em justiça. Ele te manda chuvas abundantes, tanto de outono e chuvas de primavera, como antes. As eiras serão preenchido com grãos; as cubas transbordarão de vinho novo e de azeite.

"Eu te pagarei pelos s anos que o gafanhoto tem comido - o gafanhoto grande e os gafanhotos jovens, os outros gafanhotos e o enxame de gafanhotos -. Meu grande exército que enviei contra vós. Vocês vão ter muita coisa para comer, até que esteja completo, e você vai louvar o nome do Senhor teu Deus, que fez maravilhas para você;. nunca mais vai ser o meu povo envergonhado Então você vai saber que estou em Israel, que eu sou o SENHOR vosso Deus, e que não não é outra, nunca mais vai ser o meu povo envergonhado.

"E depois, que derramarei o meu Espírito sobre todas as pessoas. Vossos filhos e vossas filhas profetizarão, vossos velhos sonharão, e vossos jovens terão visões. Mesmo sobre os meus servos, homens e mulheres, que derramarei o meu Espírito naqueles dias. vou mostrar maravilhas nos céus e na terra, sangue, fogo e nuvens de fumaça. O sol se converterá em trevas, e a lua em sangue, antes que venha o dia grande e terrível do Senhor. E todo aquele que invocar o nome do Senhor será salvo, pois no monte Sião e em Jerusalém haverá livramento, assim como o Senhor disse, entre os sobreviventes, a quem o Senhor chama "(Joel 2:18-32).

Alerta apocalíptico de Joel é apenas um dos muitos no Antigo Testamento, que tem um cumprimento duplo. Joel advertiu contra as invasões devastadoras de Nabucodonosor que estavam à frente em seu próprio dia. Mas o Espírito de Deus também tinha em mente um cumprimento maior e mais completo dessas passagens no final da época em que vivemos hoje.

As Sete Taças da Ira de Deus

Estes julgamentos parecem vir em rápida sucessão, levando até a batalha de Armagedom. Detalhes nos é dado, mas eles são julgamentos sobrenaturais que parecem afetar toda a terra.

Primeiro Taça - Feridas Prejudiciais

Então, ouvi uma grande voz do templo dizendo aos sete anjos: "Vá, derramar as sete taças da ira de Deus sobre a terra."

O primeiro anjo foi e derramou a sua taça sobre a terra, e feridas feias e dolorosas estourou nas pessoas que tinham o sinal da besta e adoraram a sua imagem. (Apocalipse 16:1-2)

A taça primeira vai causar feridas feias e dolorosas. Se a humanidade tem a capacidade de desenvolver armas biológicas, imagine o que o Criador poderia fazer nesta área. O resultado é doloroso, mas, evidentemente, não mortal. Na verdade, todas essas pragas causam tormento ao invés de morte.

A segunda taça – sangue mortal

O segundo anjo derramou a sua taça no mar, e se transformou em sangue como de um morto, e todos os seres vivos no mar morreu. (Apocalipse 16:3)

Esta é uma reminiscência da praga do Êxodo 7 nos tempos de Moisés, quando o rio Nilo e toda a água do Egito transformou-se em sangue. Neste caso, ele vai afetar "o mar", ou seja, pelo menos, o Mediterrâneo, e talvez todos os oceanos da Terra.

A terceira taça

O terceiro anjo derramou a sua taça nos rios e nas fontes das águas, e se tornaram em sangue. Então ouvi o anjo das águas dizer: "Você é apenas nesses julgamentos, tu que és e que eras, o Santo, porque você tem julgado, pois eles derramaram o sangue dos santos e dos profetas, você deu-lhes o sangue a beber como eles merecem. "

E ouvi o altar responder: "Sim, Senhor Deus Todo-Poderoso, verdadeiros e justos são os teus juízos." (Apocalipse 16:4-7)

Este julgamento é uma continuação do último, espalhando o horror de água sangrenta dos mares a todas as fontes de água. Tão repugnante como esta praga é porque a humanidade rebelde tenha derramado o sangue dos santos e dos profetas.

Quarta Taça – fogo e calor insuportável

O quarto anjo derramou a sua taça sobre o sol, eo sol foi dado o poder de pessoas de queimaduras com fogo. Eles foram cauterizada pelo calor intenso e blasfemaram o nome de Deus, que tinha o controle sobre estas pragas, mas eles se recusaram a arrepender-se e glorificá-lo. (Apocalipse 16:8-9)

Muitas causas naturais poderíamos falar desse sol ardente. Violentas erupções do Sol em si, uma ligeira mudança de órbita, ou mesmo destruição da camada de ozônio. em torno da Terra, poderia causar isso.

É muito significativo que, mesmo com esses lembretes do poder e da ira de Deus, o povo rebelde ainda se recusam a arrepender-se.

Quinta Taça - Escuridão

O quinto anjo derramou a sua taça sobre o trono da besta, e o seu reino foi mergulhado na escuridão. Os homens mordiam as suas línguas de dor e amaldiçoou o Deus do céu por causa das angústias e das úlceras, mas eles se recusaram a se arrepender do que tinha feito. (Apocalipse 16:10-11)

Vindo na esteira de terríveis queimaduras do sol, haverá completa escuridão e o frio que vem com esta falta de luz. Arrepios são comuns entre aqueles que sofreram queimaduras, e isso vai fazer a sua situação ainda pior. No entanto, em vez de se arrepender, a humanidade vai amaldiçoar a Deus.

Sexta taça - Secagem de rios

O sexto anjo derramou a sua taça sobre o grande rio Eufrates, ea sua água secou-se para preparar o caminho para os reis do Oriente. (Apocalipse 16:12)

Esses eventos levam até o grande confronto com Cristo: A batalha do Armagedom. A secagem do rio Eufrates por agências angelicais, será mais fácil para as tropas do Extremo Oriente para entrar no Oriente Médio e se preparar para a batalha.

Espíritos demoníacos

Então vi três espíritos malignos que pareciam rãs, eles saíram da boca do dragão, da boca da besta e da boca do falso profeta. São espíritos de demônios que realizam sinais miraculosos, e vão ao encontro dos reis de todo o mundo, para os congregar para a batalha do grande dia de Deus Todo-Poderoso.

"Eis que venho como um ladrão! Bem-aventurado aquele que vigia, e guarda as suas roupas com ele, para que ele não ande nu, e ser vergonhosamente exposto."Em seguida, eles reuniram os reis no lugar que em hebraico se chama Armagedom. (Apocalipse 16:13-16)

O convite para esta batalha não é por alianças políticas convencionais, mas por uma sedução demoníaca.

A sétima taça - Terremotos graves

O sétimo anjo derramou a sua taça no ar, e fora do templo veio uma voz, vinda do trono, dizendo: "Está feito!"

Então veio relâmpagos, estrondos, trovões e um terremoto grave. Nenhum terremoto como tem ocorrido desde que o homem tem estado na terra, tão grande foi o terremoto. A grande cidade dividida em três partes, e as cidades das nações em colapso. Deus lembrou-se da grande Babilônia e lhe deu o cálice do vinho do furor da sua ira. Toda a ilha fugiu e os montes não pôde ser encontrado. Do céu granizo enormes de cerca de cem quilos cada caiu sobre os homens. E eles amaldiçoaram a Deus por causa da praga da saraiva, porque a praga era tão terrível. (Apocalipse 16:17-21)

A "Campanha" do Armagedom

Como já disse, é óbvio que o conflito final da Tribulação não é uma batalha simples, mas uma série complexa de movimentos militares e compromissos. Estudiosos bíblicos têm proposto uma série de medidas possíveis neste processo. Não é sábio ser dogmático sobre a seqüência exata. Como as profecias da primeira vinda do Messias, os vários aspectos eram conhecidos, mas há muitas maneiras que poderiam ser imaginados. Ninguém poderia ter escrito a ordem específica e detalhes do Evangelho antes e Cristo veio para cumprir as previsões sobre sua vida terrena e ministério.

Aqui estão elementos-chave da segunda vinda de Cristo, e uma seqüência proposta. 
1 - O Anticristo vai invadir Israel, em seguida, tomar as suas tropas para o Sul (Norte da África, incluindo o Egito ea Líbia - Daniel 11:40-43). Sua ditadura econômica será desafiada, envolvendo atividade militar durante a segunda metade da Tribulação. Perto do fim, o "Rei do Sul" (provavelmente o Egito, com a Líbia e outros) irá se rebelar. Ele vai trazer as suas tropas através de Israel, e acabar com os distúrbios.

2 - O Anticristo será perturbado por notícias do Oriente e do Norte, então ele vai voltar a estabelecer uma área de teste no Vale do Armagedom ("entre o mar e a montanha " do bonito Monte Sião - Daniel 11:44 - 45). Ele vai voltar a Israel e estabelecer seu posto de comando. O Vale do Armagedom está a apenas 20 milhas para o interior da cidade portuária de Haifa, através do qual exércitos marítimos do mundo pode entrar.

3 - reis e exércitos de todas as nações serão convocados para o jogo. O Rio Eufrates secará para permitir que os enormes exércitos do Leste passam vir (Apocalipse 9:14-16; 16:12-16). Em um último esforço inútil para unificar os exércitos da Terra, e para desviar a atenção do fato de que sua estrangular espera de que as potências mundiais estarão enfraquecendo, o Anticristo irá declarar guerra contra o próprio Jesus Cristo, o inimigo comum de todas as pessoas degradantes da Tribulação. O objeto de sua ira será o povo escolhido em Jerusalém.

4 - Destruição de Jerusalém (Zacarias 12:1-3; 14:1-2). Jerusalém será devastada pela força avassaladora das forças do Anticristo.

Muitos bons professores da Bíblia, incluindo o falecido Ray C. Stedman, ver o cumprimento a esta altura da guerra de Ezequiel 38 e 39. Neste ponto de vista, a guerra, uma das campanhas da última guerra, será contra Israel, e será provocada pela Rússia e seus aliados.

Deus nos ajude a perseverarmos em fé e obediência, a Ele toda glória!

| Autor: Ray C. Stedman.

Que sua semana seja de vitórias e conquistas, orando por sua vida e familia caro leitor!!!
Querendo falar conosco, escreva-nos no email egalves7@gmail.com ou pelo whatsapp +55 71 98285 9232 ou pelo Instagram @egalves7 ou pelo Twitter @prelimargomes, bem como pelo Facebook @egalves7
Em Cristo,

Rev Elimar e Pra Erica Gomes

Nosso FACEBOOK

Seguidores

Páginas